Saúde

Monkeypox: Saúde deve receber primeiras doses das vacinas em setembro

Publicados

em

Varíola dos macacos tem 1ª morte confirmada no Brasil
Reprodução / CNN Brasil – 17.06.2022

Varíola dos macacos tem 1ª morte confirmada no Brasil

O Ministério da Saúde deve receber as primeiras vacinas para varíola dos macacos (ou monkeypox) em setembro. De acordo com a pasta, cronograma preliminar prevê a entrega de pouco mais de 20 mil doses na primeira remessa e, depois, em novembro, o restante até completar as 50 mil doses encomendadas pela pasta. Os imunizantes serão destinados a profissionais de saúde e a contactantes de pacientes com a doença. A pasta pretende lançar ainda em agosto uma campanha publicitária para conscientização sobre a doença. As peças devem ser veiculadas nas redes sociais e nos meios de comunicação.

O secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou, no entanto, que não está “escrevendo na pedra” o cronograma e ele pode ser alterado a depender da disponibilidade de entrega. A negociação para aquisição das vacinas é feita por meio do fundo rotatório da Organização Panamericana de Saúde (Opas).

Atualmente, há 1176 casos confirmados da doença no Brasil e outros 513 casos suspeitos. Mais cedo a pasta confirmou a primeira morte de um paciente com varíola dos macacos . De acordo com nota divulgada pela pasta, o homem de 41 anos tinha histórico de comorbidades e tratava um câncer no sistema linfático.

Leia Também:  Dia da saúde: 6 dicas para um estilo de vida mais saudável

O Brasil tem vivido uma explosão no número de casos de varíola dos macacos nas últimas semanas. Nesta quinta-feira, após repercussão negativa acerca da condução do combate à doença, o Ministério da Saúde criou um comitê sobre o tema. A primeira reunião do grupo ocorreu nesta sexta-feira.

“Gostaríamos de tranquilizar toda população de que a monkeypox é uma doença viral de baixíssima letalidade. As últimas informações da OMS temos cerca de 20 mil casos e apenas 5 óbitos. Diferentemente da Covid, a transmissão se dá apenas por contato direto em feridas infecciosas e fluidos corporais. O Ministério da Saúde tem monitorado de forma diuturna o comportamento do vírus- afirmou o secretário-executivo da pasta, Daniel Pereira.”

No início de julho, a pasta desmobilizou uma sala de situação criada para monitorar a doença no país, medida que foi amplamente criticada. O Ministério da Saúde argumentou que a decisão foi tomada porque a estratégia de combate à doença foi incorporada à rotina da pasta.

No sábado passado, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou emergência de saúde pública internacional em decorrência da disseminação da doença . Segundo o órgão, há casos da doença em pelo menos 76 países no mundo. Foram registradas até esta sexta 19.143 ocorrências de varíola dos macacos em todo planeta. A doença é endêmica da África, mas desde maio, quando foi registrado um caso no Reino Unido, ela tem se espalhado por outros continentes.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:

Saúde

6 hábitos que prejudicam o desempenho do cérebro

Publicados

em

Por

6 hábitos que prejudicam o desempenho do cérebro
Redação EdiCase

6 hábitos que prejudicam o desempenho do cérebro

Alguns alimentos e hábitos do dia a dia podem auxiliar nas funções cognitivas cerebrais. Outros, porém, podem se transformar em grandes vilões e até potencializar a destruição dos neurônios. “A pessoa que não tem o hábito de realizar a primeira refeição matinal, no caso o café da manhã , estimula constantemente processos pontuais de hipoglicemia, que gera uma quantidade insuficiente de nutrientes ao cérebro, causando sua degeneração paulatinamente”, explica a nutricionista clínica esportiva Fernanda Alves.

Principais vilões para o cérebro

Ainda que vários hábitos e alimentos possam prejudicar o cérebro, alguns, em específico, são considerados os mais perigosos. “Os maiores vilões são o estresse , o álcool, as drogas, a má alimentação, a poluição e o cigarro. A alimentação rica em produtos industrializados, especialmente adicionados de corantes, aromatizantes e conservantes, também se mostra bastante nociva para o cérebro, inclusive para as crianças”, sintetiza a nutricionista Pérola Ribaldo. 

Cafeína também é prejudicial

A nutricionista Gabriela Taveiros explica que a ingestão excessiva de cafeína, presente no café, refrigerantes à base de cola, chocolate e alguns chás, como o mate, também é prejudicial, pois ela é um estimulante do sistema nervoso. 

Leia Também:  Saúde confirma primeira morte relacionada à varíola dos macacos

Outros h ábitos que também são perigosos 

A seguir, a nutricionista clínica esportiva Fernanda Alves lista alguns hábitos negativos para o cérebro! 

Consumo de alta quantidade de alimentos

O consumo exagerado de alimentos , principalmente dos industrializados, causa o endurecimento das artérias do cérebro, o que influencia na diminuição da capacidade mental. 

Nicotina

Os fumantes contam com os malefícios proporcionados pela nicotina, substância tóxica que tem como um dos sintomas a diminuição encefálica, com a aceleração da morte de alguns neurônios, o que facilita o aparecimento dos sintomas iniciais da doença de Alzheimer. 

Consumo excessivo de açúcar

O alto consumo de açúcar interrompe a absorção de proteínas e outros nutrientes, causando má nutrição e podendo interferir no desenvolvimento do cérebro. 

Noites de sono mal dormidas

Dormir pouco também é ruim. Isso porque o ato de dormir permite ao cérebro descansar. A falta de sono por períodos prolongados acelera a perda de células cerebrais. 

Poluição

O cérebro é o maior consumidor de oxigênio do corpo, por isso, inalar ar contaminado ou poluído diminui sua oxigenação, provocando uma diminuição da eficiência cerebral. 

Leia Também:  Por falta de doses de BCG, postos de saúde racionam estoques

Fonte: IG SAÚDE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA