Saúde

Mendes defende racionalidade em decisões sobre o coronavírus

Publicados

em

Governador de Mato Grosso discutiu medidas com governadores do RS e ES, em debate transmitido pelo portal Uol

Lucas Rodrigues

– Foto por: SecomMT
A | A

O governador Mauro Mendes defendeu a racionalidade e o uso de critérios técnicos para a tomada de decisões relativas à prevenção e no combate contra o coronavírus nos estados.

Mendes participou de um debate na tarde desta quarta-feira (01.04) com os governadores Eduardo Leite (RS) e Renato Casagrande (ES). O debate foi promovido pelo portal UOL e mediado pelo jornalista Josias de Souza.

De acordo com o governador, é preciso que os estados promovam medidas que sejam compatíveis com a realidade da população local, de modo a minimizar as consequências do coronavírus.

“Acabamos de editar um decreto no qual estabelecemos, seguindo a portaria do Ministério da Saúde, um conceito de que existindo contaminação local, você toma um pacote específico de providências e, existindo contaminação comunitária, são aplicadas providências de nível mais restrito. E o secretário de Saúde vai dizer quais as cidades que têm contaminação local e quais têm contaminação comunitária, para podermos dar mais racionalidades nessas decisões”, afirmou.

Leia Também:  Governo vai abrir mais 60 UTIs no interior para casos de Covid-19

O governador de Mato Grosso estimou que deve ser gasto o montante de R$ 150 milhões nos próximos meses para o combate à COVID-19.

Ele também citou as medidas que estão sendo tomadas para auxiliar as pessoas em situação de vulnerabilidade, que são as mais afetadas pela pandemia.

“Estamos liberando R$ 8,5 milhões para os municípios ampliarem a rede de assistência social. Com isso, vamos conseguir comprar 100 mil cestas básicas em todos os municípios. Já compramos 50 mil para distribuir agora em abril. Há empresas privadas que estão se apresentando para ajudar. Só uma empresa aqui no Estado afirmou que vai doar 50 mil cestas básicas por mês, durante três meses. Com isso, queremos dar uma resposta mais rápida, porque há pessoas paradas há 10 dias e isso vai trazer grandes transtornos se elas passarem fome”, ressaltou.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Depois de 21 dias de UTI, paciente de 59 anos com coronavírus deixa hospital

Publicados

em

_Filha segue internada na UTI, genro também teve a doença_

Depois de 34 dias internada, sendo 25 na UTI devido ao covid-19, Shirley Huguney Siqueira, deixou neste sábado (06), o hospital onde estava internada e pôde ir para a casa. “Agora eu quero deitar na minha cama, por mais que o hospital seja confortável, não é o nosso lar”, disse assim que recebeu a notícia de sua alta.

Aos 59 anos, com quatro filhos e quatro netas, afirma que não via a hora de falar, pois durante vários dias precisou usar o respirador. Com várias comorbidades, incluindo hipertensão, diabetes e problemas cardíacos, Shirley afirma que depois que saiu da terapia intensiva, cada dia tem sido uma vitória. “No primeiro dia que eu coloquei os pés no chão eu não conseguia nem andar”, lembra. Mas com a fisioterapia ela já está andando bem.

“Ela veio ao hospital com sintomas de síndrome gripal, evoluiu para insuficiência respiratória grave e já foi para UTI e no dia seguinte ela precisou ser entubada e colocada em ventilação mecânica”, explicou o médico intensivista, Gilberto Pereira Franco, visitador do Centro de Terapia Intensiva Adulto do Complexo Hospitalar Cuiabá.

Leia Também:  Conselho Deliberativo do Mixto agenda reunião para homologar renúncia e marcar eleição

Ela ainda precisou passar por uma traqueostomia para facilitar a respiração e não comprometer as cordas vocais devido ao uso do respirador. Com a melhora do seu quadro clínico ao passar dos dias, ela começou a ter a sedação reduzida. Após testar negativo do novo coronavírus, Shirley ainda ficou sob observação, fora da ala de isolamento durante alguns dias até receber a alta.

“Além de sua força de vontade, o desfecho favorável da Shirley deveu-se ao empenho de toda a equipe multiprofissional e do suporte oferecido pela estrutura hospitalar como um todo”, lembra Gilberto, analisando a gravidade da doença.

Apesar de sua conquista, ela ainda continuará preocupada, já que uma de suas filhas também está internada devido ao coronavírus. “Chamou a atenção pelo fato de ser um problema familiar, já que a filha foi admitida no hospital no dia seguinte e está em recuperação. Por coincidência, as duas foram traqueostomizadas no mesmo dia”, explicou Gilberto. Além da filha, um genro também contraiu a doença, mas se recupera bem.

Leia Também:  Produtores florestais brigam pelo direito de trabalhar legalmente

*SUPERAÇÃO*

Há cerca de 15 dias, Suzana Maria da Glória, de 63 anos, também ficou internada no Centro Hospitalar de Cuiabá e venceu a Covid-19. Além de estar no grupo de risco, por ser idosa, ela possuía várias comorbidades, o que fez dela uma paciente com um quadro tão delicado como dona Shirley. Suzana é hipertensa e diabética, também é portadora de doença pulmonar e cardíaca. E, antes de testar positivo para o novo coronavírus, fez três tratamentos contra câncer.

Os casos em Mato Grosso começaram a se intensificar nos últimos dias. Até o dia 05 de junho já havia mais de 3.500 infectados e 90 mortes, a grande maioria em Cuiabá e Várzea Grande.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA