Saúde

Mato Grossos continua com 11 casos confirmados de coronavírus; número de suspeitos sobe para 556

Publicados

em

Pacientes são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do estado e dos municípios

Fernanda Nazário e Ana Lazarini | SES-MT

Os casos confirmados da Covid-19 são em Cuiabá (8), Nova Monte Verde (1) e Várzea Grande (2). – Foto por: Tchélo Figueiredo – Secom/MT
A | A

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) continua, até a tarde desta sexta-feira (27.03), com 11 casos confirmados de coronavírus em Mato Grosso. Já os casos suspeitos subiram para 556.

Os casos confirmados da Covid-19 são em Cuiabá (8), Nova Monte Verde (1) e Várzea Grande (2). As ocorrências que levantam a suspeita do vírus estão detalhadas por municípios em Nota Informativa divulgada pela SES. Os casos são devidamente acompanhados pelas equipes de Vigilância Epidemiológica do Estado e dos municípios.

O aumento no número de casos suspeitos também é consequência da atualização do protocolo de definição de caso, conforme direcionamento do Ministério da Saúde; a medida impactou no aumento de casos suspeitos e confirmados em todo o país.

A Nota Informativa com dados atualizados é divulgada neste link de segunda-feira a sexta-feira a partir das 17h – horário em que também ocorre a coletiva de imprensa virtual com o secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, transmitida pelo Instagram e FaceBook do Governo do Estado.

Leia Também:  Mato Grosso registra 1.005 casos e 32 óbitos por Covid-19

Casos confirmados em Rondonópolis

Os laboratórios privados de Rondonópolis que emitiram resultado positivo para três casos de Covid-19 entregaram às 17h desta sexta-feira (27) a documentação que valida as análises desses locais para constatação do coronaviurs, conforme prevê a portaria 099/2020.

Diante disso, os três resultados positivos emitidos por estes laboratórios serão incluídos na lista de confirmados na próxima nota informativa, que será divulgada na segunda-feira (30.03).

Recomendações

Atualmente, não existe vacina para prevenir a infecção pelo novo coronavírus. A melhor maneira de prevenir a infecção é evitar ser exposto ao vírus. Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca do novo coronavírus. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Leia Também:  Governo vai abrir mais 60 UTIs no interior para casos de Covid-19

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
– Evitar contato próximo com pessoas doentes. Ficar em casa quando estiver doente;
– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

DOWNLOAD 

  • Nota Informativa Coronavírus – 27.03.20

 

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Saúde

Depois de 21 dias de UTI, paciente de 59 anos com coronavírus deixa hospital

Publicados

em

_Filha segue internada na UTI, genro também teve a doença_

Depois de 34 dias internada, sendo 25 na UTI devido ao covid-19, Shirley Huguney Siqueira, deixou neste sábado (06), o hospital onde estava internada e pôde ir para a casa. “Agora eu quero deitar na minha cama, por mais que o hospital seja confortável, não é o nosso lar”, disse assim que recebeu a notícia de sua alta.

Aos 59 anos, com quatro filhos e quatro netas, afirma que não via a hora de falar, pois durante vários dias precisou usar o respirador. Com várias comorbidades, incluindo hipertensão, diabetes e problemas cardíacos, Shirley afirma que depois que saiu da terapia intensiva, cada dia tem sido uma vitória. “No primeiro dia que eu coloquei os pés no chão eu não conseguia nem andar”, lembra. Mas com a fisioterapia ela já está andando bem.

“Ela veio ao hospital com sintomas de síndrome gripal, evoluiu para insuficiência respiratória grave e já foi para UTI e no dia seguinte ela precisou ser entubada e colocada em ventilação mecânica”, explicou o médico intensivista, Gilberto Pereira Franco, visitador do Centro de Terapia Intensiva Adulto do Complexo Hospitalar Cuiabá.

Leia Também:  Mato Grosso registra 1.005 casos e 32 óbitos por Covid-19

Ela ainda precisou passar por uma traqueostomia para facilitar a respiração e não comprometer as cordas vocais devido ao uso do respirador. Com a melhora do seu quadro clínico ao passar dos dias, ela começou a ter a sedação reduzida. Após testar negativo do novo coronavírus, Shirley ainda ficou sob observação, fora da ala de isolamento durante alguns dias até receber a alta.

“Além de sua força de vontade, o desfecho favorável da Shirley deveu-se ao empenho de toda a equipe multiprofissional e do suporte oferecido pela estrutura hospitalar como um todo”, lembra Gilberto, analisando a gravidade da doença.

Apesar de sua conquista, ela ainda continuará preocupada, já que uma de suas filhas também está internada devido ao coronavírus. “Chamou a atenção pelo fato de ser um problema familiar, já que a filha foi admitida no hospital no dia seguinte e está em recuperação. Por coincidência, as duas foram traqueostomizadas no mesmo dia”, explicou Gilberto. Além da filha, um genro também contraiu a doença, mas se recupera bem.

Leia Também:  Governo vai abrir mais 60 UTIs no interior para casos de Covid-19

*SUPERAÇÃO*

Há cerca de 15 dias, Suzana Maria da Glória, de 63 anos, também ficou internada no Centro Hospitalar de Cuiabá e venceu a Covid-19. Além de estar no grupo de risco, por ser idosa, ela possuía várias comorbidades, o que fez dela uma paciente com um quadro tão delicado como dona Shirley. Suzana é hipertensa e diabética, também é portadora de doença pulmonar e cardíaca. E, antes de testar positivo para o novo coronavírus, fez três tratamentos contra câncer.

Os casos em Mato Grosso começaram a se intensificar nos últimos dias. Até o dia 05 de junho já havia mais de 3.500 infectados e 90 mortes, a grande maioria em Cuiabá e Várzea Grande.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA