Economia

Mato Grosso figura em 3º lugar no ranking de estados com alto potencial de mercado do país

Publicados

em

O estado subiu quatro posições no pilar de taxa de crescimento no ranking de competitividade dos estados brasileiros

Julianne Caju

Com informações Sedec MT

– Foto por: grupo cultivar

O potencial agrícola de Mato Grosso contribuiu de uma maneira efetiva para a elevação no ranking dos estados no pilar do potencial de mercado de acordo com o Ranking de Competitividade dos Estados 2020 realizado pelo Centro de Liderança Pública (CLP), e conta com parcerias da Tendências Consultoria e da Economist Intelligence Unit.

No ano passado, o Estado ocupou o sétimo lugar e nesse ano a terceira colocação, com 76,6 pontos (numa escala de zero a 100). O destaque neste quesito foi para taxa de crescimento, a maior na comparação nacional, apresentando o melhor resultado nesse indicador.

“Esses salto e saldo positivo do potencial de mercado de Mato Grosso está associado ao crescimento do PIB do estado, ao crescimento do setor agrícola, aumento da produção de grãos, do empreendedorismo da classe produtora, dos incentivos para instalação de indústrias, principalmente de biocombustíveis. Além disso, é importante ressaltar o vínculo do bom desempenho da agropecuária com o aumento do setor de serviços no estado. Um setor puxa o outro”, explicou César Miranda, secretário de Desenvolvimento Econômico de Mato Grosso.

Para o secretário, esses dados são importantes indicadores para mais uma vez confirmar a aptidão agrícola do estado, bem como a importância de políticas públicas que fomentem a geração de emprego e renda para a população mato-grossense.

Leia Também:  Sistema de reconhecimento facial começa ser usado em cartórios

“Por ser um estado com pujança para o agronegócio, os fatores de crescimento do potencial de mercado estão muito correlacionados com indústria e serviços, e ambos existem por causa do agronegócio. São serviços desde a assistência técnica específica do setor rural, como também de dentista, ou de uma empresa de informática ou de telefonia que se instala numa região situada num polo produtivo de Mato Grosso”, afirmou.

Dados do Observatório de Desenvolvimento elaborado pela equipe da Superintendência de Agronegócio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) mostram que Mato Grosso continua tendo destaque em relação aos outros estados da federação na produção de soja, milho e algodão, mantém na safra 2019/2020 a liderança em produção, com aumento de 7%, 6% e 2% de toneladas, respectivamente. Grandes culturas com muita importância econômica estão ganhando espaço no estado, tais como, amendoim, feijão, gergelim e sorgo.

O levantamento do Observatório mostra também que o estado conta com 12 plantas de etanol, das quais a metade utiliza o milho como matéria-prima, além de outras plantas de biocombustíveis, em que a soja é um dos componentes.

“É bem provável que o setor agrícola continuará impulsionando o crescimento do potencial de mercado de Mato Grosso. A base econômica do estado está na produção agrícola. É importante destacar que essa produção não significa necessariamente aumento na abertura de áreas, ou seja, os dados não indicam aumento de produção e produtividade com aumento de desmatamento. Pelo contrário, toda a cadeia produtiva que envolve empresas de pesquisas, classe produtora, indústrias e empresas agrícolas concentram esforços para construírem uma agricultura sustentável. Há uma série de medidas e ações para atender a demanda por alimento produzido com consciência ambiental. O Estado tem cumprido seu papel que é o de regular e de fiscalizar, e o setor está fazendo uso de tecnologias que possibilitam produzir mais na mesma área”, afirmou Carlos Izaltino Bolzan, superintende de agronegócios da Sedec.

Leia Também:  Mato Grosso registra 137.287 casos e 3.744 óbitos até o final desta terça-feira

Estudo

O levantamento da CLP desenvolvido desde o ano de 2011 traça um panorama dos estados e os compara. O estudo considera 69 indicadores, agrupados em 10 pilares estratégicos para o desenvolvimento brasileiro: sustentabilidade ambiental, sustentabilidade social, segurança pública, solidez fiscal, potencial de mercado, capital humano, educação, eficiência da máquina pública, infraestrutura e inovação.

De acordo com organizadores do estudo, o Ranking de Competitividade dos Estados é uma ferramenta para balizar as ações dos governos estaduais, apoiar a elaboração de políticas baseadas em evidências, é instrumento de planejamento, gestão e criação de políticas públicas que melhorem a qualidade de vida da população.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CULTURA

Prazo para requerer auxílio emergencial da cultura termina neste sábado

Publicados

em

Prazo para requerer auxílio emergencial da cultura termina neste sábado (24.10)

Têm direito ao benefício todos os profissionais que atuam na cadeia produtiva da cultura. A solicitação é feita na plataforma www.estadodoamanha.com.br

Cida Rodrigues

Com informações Secel-MT

Foto por: Cida Rodrigues

Termina neste sábado (24.10) o prazo para solicitação do auxílio emergencial da cultura previsto na Lei Aldir Blanc. Uma das ações emergenciais executadas pelo governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), a transferência da renda diretamente aos trabalhadores visa minimizar os impactos da pandemia no setor cultural.

De acordo com os prazos atualizados no regulamento geral do cadastramento, O resultado da análise deste último lote de solicitações será divulgado a partir do dia 10 de novembro.  Os cadastros aprovados serão pagos a partir de 20 de novembro e os demais autorizados após recursos, a partir de 03 de dezembro.

A requisição é feita na plataforma www.estadodoamanha.com.br, a única para a solicitação do benefício no estado. Gerida pela Secel em cooperação com a Central das Organizações do Estado de Mato Grosso (Cordemato), a plataforma recebe os dados da solicitação que serão analisados, validados e aprovados de acordo com critérios estabelecidos na regulamentação federal.

Leia Também:  Mato Grosso equilibrou as finanças e recuperou a credibilidade, afirma secretário de Fazenda

O valor da renda emergencial é de três parcelas mensais de R$ 600,00 que serão pagas de uma única vez.  Mulheres provedoras de família monoparental recebem o dobro do valor.

Para requisitar, o interessado deve completar as etapas de preenchimento do formulário de solicitação, que inclui a aceitação do termo de autodeclaração de que está apto a receber o auxílio emergencial. Uma equipe de apoio fica disponível das 8h às 00h para tirar dúvidas pelo chat da plataforma.

Têm direito ao benefício todos os profissionais que atuam na cadeia produtiva da cultura, como artistas, curadores, contadores de história, técnicos, produtores, professores de escolas de arte e de capoeira, dentre outros.  Dentre os requisitos, o profissional com atividades interrompidas precisa evidenciar a atuação nas áreas artística e cultural nos últimos dois anos, não ter emprego formal ativo e não ser beneficiário do auxílio emergencial do início da pandemia e nem de outros programas federais previdenciários ou assistenciais, a exceção é o bolsa-família.

Até a manhã desta sexta-feira (23.10), foram contabilizadas somente 446 solicitações do auxílio no estado.  A sobra dos recursos programados para execução dessa ação emergencial será realocada nos editais da Secel que abrangerão todos os segmentos culturais e atenderão mais de 500 projetos.

Leia Também:  Todos os 141 municípios de Mato Grosso permanecem com risco baixo de contaminação da Covid-19

Serviço

Auxílio emergencial da cultura

Prazo final de solicitação: sábado (24.10)

Plataforma para solicitação: www.estadodoamanha.com.br

Critérios para receber o benefício: cartilha 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA