VÁRZEA GRANDE

Lucimar Campos entrega novas instalações da ESF em Várzea Grande

Com mais de 26% aplicados em Saúde Pública

Publicados

em

AMPLIANDO INVESTIMENTOS
VÁRZEA GRANDE ENTREGA A REFORMA DA UNIDADE DE ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

COM 26,16% APLICADOS EM SAÚDE PÚBLICA, A PREFEITA ASSEGURA QUE
VÁRZEA GRANDE CONTINUARÁ PRESTANDO SERVIÇO PARA TODOS QUE PROCURAREM

O atendimento preventivo à saúde ganhou mais um reforço em Várzea Grande. Na manhã de hoje (20), a prefeita Lucimar Sacre de Campos e o secretário de Saúde, Diógenes Marcondes, entregaram as obras de reforma geral das novas instalações da Estratégia Saúde da Família (ESF), ‘Maria Galdina da Silva’, localizada no bairro Vila Arthur. A unidade atende a uma microrregião de 12 mil pessoas, sendo cerca de 3,5 mil famílias.
Em 2019 a Saúde Pública Municipal executou 29 obras entre grandes, médias e pequenas intervenções, tudo para melhorar a estrutura de atendimento à população. Com mais de R$ 7,6 milhões em investimentos e mais o concurso público realizado que elevou o número de profissionais na área de saúde, o Município avançou na atenção básica que se resume no primeiro atendimento aonde são solucionados em média 90% dos problemas daqueles que procurar o Sistema Único de Saúde – SUS.


Para a moradora Maria Rosa Vieira, 68 anos, o reforço no atendimento de saúde primário têm feito muita diferença no controle de sua diabetes. “A gente sabe que não tem cura (a diabetes), somos obrigados a aprender a viver com ela e com toda a atenção do doutor Arthur Canavarros, que é o nosso médico da família, consigo viver com qualidade. Ter atendimento perto de casa ajuda muito no tratamento”.
A ESF, antiga unidade do PSF, tem como objetivo promover a qualidade de vida da população e intervir nos fatores que colocam a saúde em risco, como falta de atividade física, má alimentação e o uso de tabaco. Com atenção integral e contínua, a ESF se fortalece como uma porta de entrada do Sistema Único de Saúde (SUS). Como destacou a prefeita, o reforço na Atenção Primária de Várzea Grande, não apenas com novas estruturas e profissionais, mas com suprimentos e insumos, “tem reduzido de forma considerável as filas por atendimento mais complexo nas unidades de urgência e emergência, como nas UPAS e no Hospital Pronto-Socorro. Esse trabalho preventivo com resolutividade é que faz a diferença no dia-a-dia da nossa população”.

Leia Também:  PV retira candidatura de Wallace Guimarães e fecha apoio à Flávio Vargas


A prefeita fez questão de dizer ainda que a resolutividade é resultado de um tripé: estrutura/pessoal/insumos. “Temos filas no SUS? Sim, temos. E temos por que aqui em Várzea Grande o Sistema Único de Saúde funciona de portas abertas e sem cobrar nada, totalmente gratuito. Atende a todos. Atende quem mora em Várzea Grande, quem mora na Baixada e quem mora no Estado e até fora dele. E quem precisa da nossa saúde recebe atendimento do começo ao fim, é medicado, faz exames em aparelhos de última geração e em casos de consultas de rotina, tem remédios na farmácia à disposição. Não é fácil manter uma estrutura dessas, pois quanto mais eficientes somos, maiores demandas surgem”.
A saúde municipal, como fez questão de lembrar a prefeita, fechou o exercício 2019, conforme dados avalizados pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), aplicando mais de R$ 79,76 milhões de sua receita própria na Pasta. As cifras representam em valores absolutos mais de R$ 34 milhões se considerados os percentuais constitucionais que exigem um mínimo de 15% da receita própria em investimentos em saúde. No exercício 2019, Várzea Grande superou o preconizado pela Constituição, e atingiu 26,16% dos recursos próprios voltados à saúde.
“Para este primeiro semestre ainda, outras três unidades de saúde serão entregues à população em todas as regiões da cidade. Uma no Manaíra, outra na Passagem da Conceição, mais uma na Manga e outra na comunidade do Limpo Grande”, completou a prefeita.
O secretário Diógenes lembrou que foram dois meses de obras na unidade do Vila Arthur e que durante este período toda a comunidade foi atendida na unidade do Jardim Glória. “Temos uma estrutura funcional resolutiva atualmente, graças a um corpo clínico e profissional engajado e motivado, por isso bons resultados estão sendo contabilizados. Nessa engrenagem todos dão sua cota de dedicação, do mais humilde servidor, passando pelos profissionais da enfermagem e da medicina, tudo para atender à população”.
Representando a Câmara de Vereadores, o vereador Cleyton Nassarden Guerra (Sardinha), disse que o atendimento público de saúde é um dos diferenciais entre os serviços prestados pelo Município. “Os investimentos ocorrem a olhos vistos, obras, equipamentos novos, distribuição de medicamentos e materiais nas unidades. Isso traz dignidade à população e resgata a credibilidade do serviço público”, ponderou o parlamentar.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

VÁRZEA GRANDE

Lei torna a Banda Municipal de Várzea Grande Patrimônio Cultural

Publicados

em

 

A prefeita de Várzea Grande, Lucimar Sacre de Campos, e a Câmara Municipal, aprovaram a Lei de número 4.633/2020 que transforma a Banda Municipal ‘Maestro Manoel Teixeira de Oliveira’ patrimônio imaterial da cultura várzea-grandense. O tombamento da Banda se faz justo em razão de seu valor histórico e cultural, passando a constituir um patrimônio municipal, como argumenta a prefeita. A Banda foi criada em março de 1984.

A Banda retornou em 2017 e se tornou uma das grandes atrações do ‘Natal Feliz’, ação promovida pela prefeitura que traz entretenimento e diversão para as famílias, de forma totalmente gratuita. Ainda como efeito do tombamento, e sua consequente integração ao Patrimônio Histórico Municipal, a Banda Municipal de Várzea Grande passa a receber do Poder Executivo todas as condições necessárias para sua conservação e preservação como bem público, agregando valor afetivo à população e impedindo que venha a ser destruída ou descaracterizada.

O maestro Uelinton Santos, explica que a nova lei foi e está sendo muito comemorada, pois independentemente das gestões futuras e dos músicos que estiverem fazendo parte da nova instituição, a Banda seguirá cumprindo com sua vocação, que é a de levar alegria, conhecimento e cultura para toda Várzea Grande.

Leia Também:  Várzea Grande fortalece o desenvolvimento econômico e social com o Plano Diretor da cidade

“Em outubro de 2002, ainda na gestão do então prefeito Jayme Campos, a Banda passou a se chamar ‘Maestro Manoel Teixeira’. Se transformou referência na cidade e bastante elogiada e esperada nos eventos do Município. Na Gestão da prefeita Lucimar a banda foi resgatada, por ter ficado uns 10 anos sem atuação e agora recebe toda a atenção merecida, pertencendo à cultura local”.

Como pontua o secretário de Educação, Cultura, Esporte e Lazer de Várzea Grande, Silvio Fidelis, o tombamento é a primeira ação a ser tomada para a preservação dos bens culturais, na medida em que impede legalmente a sua destruição. “No caso de bens culturais, preservar não é só a memória coletiva, mas todos os esforços e recursos já investidos para sua construção, como ocorreu para o resgate da Banda Municipal. No caso específico de Várzea Grande, há um incentivo contínuo à musicalidade. Começou com a reordenamento da Banda e hoje se efetiva com ações concretas no dia-a-dia da educação”.

Como explica o secretário, as oficinas de música fazem parte da grade do Ensino em Tempo Integral, o ETA, presente hoje em 22 escolas municipais. No contra turno escolar crianças e adolescentes têm o contato com música, o que contribuiu, sobremaneira, no aprendizado. “A Banda está presente em todas as atividades cívicas de nossa cidade e a música promove mudanças positivas na percepção de vida dos nossos alunos. Temos certeza de que todo esse aprendizado, uma vez absorvido, passa a fazer parte da rotina de cada um, e melhor, é partilhado no seio familiar e na comunidade”.

Leia Também:  Em Sinop, governador Mauro Mendes afirma que MT será o Estado com maior investimento em infraestrutura do país

A superintendente municipal de Cultura, Maria Alice de Barros Silva, lembra que a Banda faz parte da história da cidade desde a década de 80. “Seu tombamento é um ato de reconhecimento de sua importância histórica e cultural e garante a preservação e salvaguarda da memória cultural das músicas e ritmos de Várzea Grande”.

De 2017 para cá, a Banda vem inovando seu repertório de músicas, hoje transita sob aplausos entre grandes clássicos da MPB, bem como de canções românticas internacionais, como sucessos em trilhas de filmes e de novelas, e fomenta o ritmo local, com acordes de rasqueado, que levantam o público, seja qual for a apresentação. “Levamos entretenimento e alegria. Ofertamos boa música para fazermos uma viagem no tempo, sempre promovendo valores o resgate musical”.

Por: Marianna Peres – Secom/VG

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA