VÁRZEA GRANDE

Kalil determina que vacinados tenham nomes e documentos pessoais formalmente encaminhados para órgãos de controle

Publicados

em

JB News

Várzea Grande iniciou a campanha de imunização contra a COVID 19 para os trabalhadores da área de saúde pública com forte esquema de segurança feito pela Guarda Municipal e com a determinação do prefeito Kalil Baracat e do secretário interino de Saúde, Gonçalo de Barros, para que todos os vacinados tenham seus nomes e documentos pessoais formalmente encaminhados para órgãos de controle como a Controladoria Geral da União (CGU), os Ministérios Públicos Federal e Estadual e o Ministério da Saúde, para não pairar dúvidas de que as vacinas em Várzea Grande vão respeitar as regras e procedimento estabelecidos no Plano Nacional de Imunização.


Além dos funcionários do Hospital Pronto Socorro de Várzea Grande, os profissionais que atuam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) dos bairros IPASE e Cristo Rei também serão imunizados.
“A imunização através da vacina é um passo aguardado por toda a humanidade que se viu atingida por um vírus mortal que pode atingir a todos e não vê cor, raça, religião, condição financeira, ou seja, todos estão passíveis de ser contaminados como eu fui, portanto, temos que ser mais criteriosos e rigorosos nas regras do distanciamento social, uso de máscara, álcool em gel e meios de higienização rigorosos para que a vacina que ainda é pouca diante da necessidade, possa ser o instrumento que vencerá esta doença acompanhada de responsabilidade de cada uma das pessoas”, disse Kalil Baracat.


A técnica de enfermagem, Joselice Figueiredo de Souza, 62 anos, foi a primeira funcionária a ser vacinada e não escondeu a emoção em ter sido selecionada para participar deste momento que vai mudar a vida de milhares de pessoas em todo o mundo. Joselice tem 27 anos de serviços prestados a Saúde Pública da segunda maior cidade de Mato Grosso.
“Estou muito feliz em participar deste ato e mais ainda em saber que aos poucos a vacina está chegando ao nosso município. Saber que vou estar protegida desta doença já traz tranquilidade, porém é essencial que todos tenham acesso a esse medicamento e que ele chegue logo a toda à população que deve manter suas obrigações quanto ao distanciamento social e ao uso de meios de proteção como máscara e álcool em gel, além de água e sabão”.

Leia Também:  Guarda Municipal já está multando motociclistas infratores


O secretário de Assuntos Estratégicos e interino da Secretaria de Saúde, Gonçalo Barros, informou que foram repassadas para o município 3.900 doses, e destas apenas 50% estão disponíveis nesta primeira etapa, uma vez que a eficácia da vacinação só é completa com a aplicação da segunda dose do imunizante e que chegará com certeza a todos os que receberam a primeira dose.
“Esta é a primeira etapa e vamos dar sequência na vacinação cumprindo o protocolo que nos foi dado pelo Ministério da Saúde e pelo governo do Estado de Mato Grosso, onde neste primeiro momento serão priorizados os profissionais da saúde e que estão na linha de frente. Os profissionais que hoje tomarem essa primeira dose, daqui a 21 dias estarão tomando a segunda”, assegurou o secretário.


De acordo com o gestor, embora o município tenha recebido um número pequeno de doses – se comparado à população de Várzea Grande em 300 mil habitantes – o início da vacinação é um ponto de partida que deve ser muito comemorada. “Vamos cumprir com o que determina o plano nacional de vacinação do governo Federal, que neste momento está priorizando os profissionais da saúde. Na medida em que as vacinas forem sendo disponibilizadas, estaremos avançando aos demais grupos prioritários e por fim para toda a população indistintamente”.
E para que não haja aglomeração, os medicamentos estão sendo levados aos locais de vacinação somente nos dias pré-agendados e esses cuidados fazem parte do plano estratégico da própria secretaria de saúde como forma de resguardar a segurança das doses que se tornou um dos bens mais visado por todo mundo.


VACINADOS – Liminha Antunes da Silva, 45 anos, que atua na função de maqueiro, também recebeu a primeira dose da vacina. Ele disse que há poucos meses sentiu no corpo os efeitos produzidos pelo coronavírus e que ser escolhido para receber essa dose o deixa mais tranquilo e seguro, uma vez que a possibilidade de uma reinfecção é iminente, principalmente para quem, assim como ele, atua na linha de frente. “Essa vacina é a esperança para a população do mundo todo e é um privilégio estar tendo essa oportunidade”.
Já a técnica de enfermagem Arlete Aguiar Silva, 63 anos, confidenciou que estava vivendo um misto de ansiedade e, ao mesmo tempo, de emoção por receber a primeira dose da vacina contra o coranavírus. “Esse é um momento histórico em nossas vidas, ainda mais em um período em que o mundo inteiro sofre a perda de milhares de pessoas acometidas por essa doença. Enquanto profissional da saúde o nosso trabalho é levar o máximo de conforto ao doente e nos dedicar à cura, mas enquanto ser humano, a nossa preocupação é o de também nos mantermos ilesos a esse vírus. Eu só tenho a agradecer pelo privilégio de poder tomar a primeira dose desta tão aguardada vacina”.

Leia Também:  Senador Carlos Fávaro tem nome usado por golpistas 


O secretário interino destacou ainda que o interesse do município de Várzea Grande era adquirir 600 mil doses, o que seria ideal para vacinar toda a população da cidade, mas que essa vontade está longe da realidade, uma vez que o município tem também problemas em decorrência de insumos que não são produzidos no Brasil. “Temos problemas diplomáticos e que estão dificultando a produção dessas vacinas e isso tem sido um problema a ser sanado, porém, Várzea Grande já assinou protocolos de aquisição da vacina e que é a nossa vontade, mas esse é um problema mundial. Na medida em que forem disponibilizadas, com certeza vamos avançar com o nosso planejamento, além de contar com o Governo Federal”.
O comandante da Guarda Municipal, Alisson Baracat, frisou que a instituição fará a proteção das vacinas e a guarda da mesma até que ela chegue para a população a ser inicialmente imunizada e assegurou que o povo de Várzea Grande é ordeiro e saberá compreender este momento e o fato de que será necessário se aguardar até que todos possam ser vacinados.

COMENTE ABAIXO:

COVID-19

Varzea Grande adota novas medidas contra a COVID -19 e já estuda encampar um hospital no municípioapos aumento de casos

Publicados

em

Por

JB News

Em busca de soluções para o enfrentamento a COVID 19, Várzea Grande, já adota uma série de medidas para atender a demanda crescente, começou neste final de semana (sábado e domingo) a promover a vacinação daqueles pacientes idosos acamados ou com dificuldades de locomoção diretamente em suas residências e transformou a UPA IPASE temporariamente em referência para COVID.
Além disto está sendo planejado e executado pela Secretária Municipal de Saúde a transferência dos serviços da rede cegonha aonde são realizados os partos e cesarianas para uma unidade de Saúde e reforçar o atendimento de COVID 19 no Hospital Pronto Socorro Municipal.


“Estamos analisando e preparando uma série de medidas para o enfrentamento da COVID 19, neste momento de esgotamento total dos leitos públicos e privados”, disse o secretário de Saúde de Várzea Grande, Gonçalo Barros frisando que mantém conversações avançadas com o Governo do Estado, através do governador Mauro Mendes, com a Assembleia Legislativa, através do 1º secretário, deputado Eduardo Botelho e um grupo de médicos proprietários do Hospital São Lucas em Várzea Grande que pode ser encampado pela parceria Governo de Mato Grosso e Prefeitura de Várzea Grande inserindo o mesmo no SUS – Sistema Único de Saúde e abrindo novas vagas.


Essas transformações visam desafogar o Hospital Pronto Socorro Municipal e a UPA Cristo Rei, as duas outras unidades de urgência e emergência que fazem o primeiro atendimento aos pacientes, estabilizam os mesmos e promovem a transferência deles para as demais unidades referência, o Hospital Metropolitano, a Santa Casa de Misericórdia, o antigo Pronto Socorro de Cuiabá, Hospital São Benedito, o HMC e o Hospital Júlio Muller.
Ficando exclusivamente para COVID 19, Várzea Grande, disponibiliza 30 leitos somente para estes casos e já foi aberta com lotação, pois recebeu os pacientes das outras unidades.
No tocante a vacinação para acamados, entre sábado e domingo foram visitadas 61 pessoas vacinadas e acompanhadas por equipes de enfermeiros da Secretaria Municipal de Saúde de Várzea Grande, sendo que até o momento já são 215 idosos inscritos que desejam receber vacina contra a COVID e que não puderam ir ao Centro Universitário de Várzea Grande – UNIVAG para receber a imunização, seja em drive thru ou na Clínica Médica.


No atendimento de primeira dose para aqueles idosos com 75 anos ou mais realizados na sexta-feira, 05 de março foram vacinadas 911 pessoas que somados ao vacinados no sábado e domingo atingiu-se a marca de 972 imunizados
“Nossa missão é imunizar o maior número de pessoas possíveis o quanto antes para que, segundo cientistas e médicos, nossa população possa adquirir a imunidade de rebanho, por isso, todos os esforços e dedicação neste momento em que a pandemia ganha força e o aumento considerável de casos e óbitos’, disse o prefeito Kalil Baracat.

Leia Também:  Morre jornalista em Várzea Grande vítima da Covid-19


Ele frisou que Várzea Grande está, dentro da lei e da ordem, procurando soluções mais eficientes e duradouras para enfrentar a pandemia, já que a vacina depende de uma série de decisões que são de competência do Governo Federal que prefere centralizar, tanto as aquisições como a distribuição das vacinas.
“Já tentamos adquirir diretamente de laboratórios internacionais, que admitem vender, mas com a entrega diretamente ao Ministério da Saúde”, explicou o prefeito que vê com bons olhos a filiação de Várzea Grande no consórcio nacional de prefeituras da Frente Nacional de Prefeitos – FNP que está tentando adquirir vacinas internacionais, mas encontram as mesmas dificuldades que nós.
O secretário de Saúde, Gonçalo Barros, que acompanhou as vacinações em residências neste final de semana e traçou com técnicos e médicos a estratégia de transformar a UPA IPASE em referência para COVID, lembrou que mesmo estando Várzea Grande antecipada na imunização dos idosos de 75 anos, sinalizou que a ordem é não deixar ninguém para trás, portanto, se alguém com 75 anos ou mais anos, não foi vacinado que procure as unidades mais próximas ou promovam o cadastro no site oficial de Várzea Grande, pelo endereço www.varzeagrande.mt.gov.br na aba IMUNIZAÇÃO VÄRZEA GRANDE – CADASTRO PARA VACINA COVID 19, que terão suas inscrições confirmadas e os mesmos convocados, desde que cumpram as exigências do Plano Nacional de Imunização do Ministério da Saúde.
“Estamos em uma luta constante pela vida das pessoas contra uma doença desconhecida e que tem vários caminhos, portanto, todo e qualquer esforço é bem vindo no sentido de preservar as vidas humanas que se encontram em risco”, disse o secretário de Saúde que é favorável as medidas adotadas pelo Governo do Estado e as Prefeituras Municipais para conter a propagação da COVID.
“O papel dos gestores públicos é encontrar solução para o enfrentamento da doença e o papel da população é ajudar, não aglomerando, mantendo o distanciamento, usando máscara, álcool em gel e outras medidas de biossegurança e higienização segura. Temos todos, que compreender que juntos podemos enfrentar a pandemia e descobrir soluções, mas se todos não caminharem em um único sentido, não iremos conseguir enfrentar as adversidades”, asseverou o secretário.
Gonçalo Barros frisou ainda ser necessária toda uma logística para vacinação seja ela em drive thru, na Clínica de UNIVAG, que é parceria de Várzea Grande ou agora com as visitas in loco para atender todas as demandas e demonstrou satisfação por ter no sábado vacinado duas mulheres, uma com 104 anos de idade e outra com 106 anos, uma vitória da vida e a esperança de que a vacina possa controlar a pandemia em definitivo, juntamente com as medidas que cada pessoa consciente puder adotar em prol de si mesmo e daqueles com quem convive diariamente.
“Envolvemos a questão da segurança com a Guarda Municipal, o acondicionamento das vacinas, a separação das doses para que a primeira seja aplicada e a segunda guardada e também outras medidas para atender a ordem do prefeito Kalil Baracat para que ninguém fique sem atendimento médico e sem medicamentos enquanto não pudermos distribuir vacina para todas as pessoas”, explicou o titular da Saúde Pública de Várzea Grande.
Na terça-feira, 09 de março, começa na Clínica Médica da UNIVAG, a segunda dose daqueles que foram imunizados no dia 13 de fevereiro com a vacina CoronaVac, sinalizando que entre a primeira e a segunda dose desta vacina são de 14 a 28 dias. Já para os que foram vacinados com a Oxford/AstraZeneca o período entre a primeira e a segunda dose são de 90 dias, sendo que em Várzea Grande, quando ofertada a primeira dose, imediatamente a segunda dose já é estocada em local seguro, refrigerado, como as regras e com segurança para que nem a validade e nem o prazo de aplicação sejam perdidos.
“Podem estar certos e convictos de que tudo que estiver ao nosso alcance será realizado pelo bem estar de nossa gente e de nossa Várzea Grande. Acredito que todos querem o mesmo que eu, vencer este obstáculo e voltarmos a ter a vida dentro da normalidade”, disse o prefeito Kalil Baracat.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA