Geral

Justiça suspende pesquisa divulgação de pesquisa Gazeta Dados por suposta fraude

Publicados

em

JB News

O juiz eleitoral Cristiano dos Santos Fialho determinou a suspensão da divulgação da pesquisa do instituto Gazeta Dados, em Lucas do Rio Verde, por indício de fraude. A decisão é desta quinta-feira (15).

Ele destacou que os números foram, em um primeiro momento, divulgados no site da empresa, nesta quinta-feira, com percentuais, atribuídos a cada um dos candidatos a prefeito que, somados, totalizavam 112%.

A ação foi protocolada pela coligação “Gente que faz” (Cidadania, PDT, Republicanos, PSL, PSDB, Democratas, DC, PV e PSC), encabeçada pelo candidato a prefeito de Lucas do Rio Verde, Miguel Vaz (Cidadania).

Ele relatou que o atual prefeito e candidato à reeleição, Luiz Binotti (PSD), teria comemorado o resultado em suas redes sociais, fazendo referência expressa à matéria jornalística publicada no site do grupo ligado ao instituto com a divulgação de percentuais “totalmente diferentes”, sem, inclusive, a menção do registro.

Segundo a decisão, está claro os indícios de o atual prefeito cometeu divulgação de pesquisa fraudulenta, mesmo que “as inconsistências informacionais” apresentadas derivem de mero erro de digitação ou edição de texto.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Fux mantém condenação de Jayme Campos por conceder ilegalmente pensão de 10 salários mínimos a ex-vereador da base quando prefeito
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Geral

Estado regulamenta lei para dar publicidade a leitos disponíveis do SUS

Publicados

em

Em decorrência de Notificação Recomendatória feita pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira, em 21 de maio de 2020, que não foi atendida, seguida de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) por omissão, ajuizada pelo MP em 26 de agosto, o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, editou o Decreto Estadual nº 670, de 07 de outubro de 2020, regulamentando a Lei Estadual nº 10.783/2018, que dispõe sobre a Política Estadual de Regulação do SUS. O Ministério Público requeria, com base na legislação vigente e em dispositivos constitucionais, que o Estado desse publicidade, diariamente, aos números de leitos hospitalares e de UTI ocupados e disponíveis em todos os municípios mato-grossenses.

Com a regulamentação da Lei 10.783/2018, a Procuradoria Geral do Estado requereu a extinção do feito, alegando perda de objeto, junto ao Judiciário, que tomará uma decisão após ouvir o Ministério Público. O relator da ação é o desembargador Marcos Machado.

Inicialmente, com base em informações oriundas da Procuradoria de Justiça Especializada em Defesa da Saúde e Cidadania, o Ministério Público, em 21 de maio de 2020, fez uma Notificação Recomendatória ao governador do Estado e ao secretário de Estado de Saúde para que fosse regulamentada a referida lei no prazo máximo de 90 dias, sob pena de “ensejar a adoção de Ação Direta de Inconstitucionalidade por omissão”. Como a recomendação não foi atendida, o MP entrou com a ADI por omissão, “em razão da violação ao artigo 3º, inciso IV, ao artigo 10, caput, ao artigo 38-A e ao artigo 129, caput, todos da Constituição do Estado de Mato Grosso, com a aplicação do artigo 103, §2º da Constituição Federal e aplicação analógica do artigo 12-H, da Lei Federal nº 9.868/19995”.

Com o decreto, o governador Mauro Mendes cumpre a legislação, atende dispositivos constitucionais e quem é beneficiado é o cidadão, que passa a dispor de informações diárias sobre os leitos disponíveis do SUS na rede estadual, o que é essencial para lhe assegurar o direito fundamental à saúde”, disse José Antônio Borges Pereira.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Fux mantém condenação de Jayme Campos por conceder ilegalmente pensão de 10 salários mínimos a ex-vereador da base quando prefeito
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA