Esportes

Isaquias Queiroz é campeão mundial no C1 500 metros no Canadá

Publicados

em

O baiano Isaquias Queiroz aumentou sua coleção de títulos mundiais na canoagem neste sábado (6), em Halifax (Canadá). O canoísta chegou à sua sétima medalha de ouro ao vencer a prova do C1 500 metros. Isaquias, dono de um ouro, duas pratas e um bronze olímpicos (Rio 2016 e Tóquio 2020), já somava seis ouros e seis bronzes em Mundiais. 

Na prova deste sábado (6), o brasileiro, de 28 anos, simplesmente não deu chances aos adversários. Ele concluiu em 1min54s49, 2s02 à frente do medalhista de prata, o romento Catalin Chirila. O bronze ficou com o tcheco Martin Fuksa, com o tempo de 1min56s79. Isaquias liderou a prova de ponta a ponta. 

O baiano ainda pode ampliar a contagem de medalhas em mundiais neste domingo (7). Ele disputará a final do C1 1000m, a partir das 11h33 (horário de Brasília). Isaquias é o atual campeão olímpico desta prova. 

Leia Também:  Com Gio Queiroz, Brasil é convocado para Mundial Feminino sub-20

Dobradinha do Brasil no Mundial de Paracanoagem

Este sábado foi o último dia de disputas do Mundial de Paracanoagem, também em Halifax. O Brasil teve cinco atletas na água e dois subiram ao pódio na mesma prova. No VL 200m, Igor Tofalini e Fernando Rufino fizeram dobradinha para o país, com ouro e prata, respectivamente. 

Tofalini venceu de forma emocionante, com o tempo de 51s67, apenas 33 centésimos à frente de Rufino, atual campeão paralímpico da prova. 

O Brasil encerrou a competição no terceiro lugar no quadro geral de medalhas. Além dos dois pódios neste sábado, o país já conquistara uma uma prata (com Luis Carlos Cardoso, no KL1 200m) e um bronze (com Mari Santilli, no VL3 200m).

Fonte: EBC Esportes

COMENTE ABAIXO:

Esportes

No Mundo da Bola chega à edição 500 com Zico e Edu dividindo histórias

Publicados

em

Por

O programa No Mundo da Bola, da TV Brasil, comemorou a marca de 500 edições neste domingo (7) com uma escalação estrelada. Participaram do debate os irmãos Zico e Edu, ex-craques do futebol brasileiro, além de Zenon, campeão brasileiro com o Guarani na década de 70. Eles acompanharam o apresentador Sérgio Du Bocage e o comentarista Márcio Guedes. A atração separou alguns depoimentos ainda não exibidos, como a entrevista que Edu deu ao quadro ‘Os Setentões’ em que contou uma história de quando travou, sem querer, o carro do irmão quando ele jogava na Itália. Zico relembrou, aos risos, a situação inusitada.

“Era um domingo, não tinha ninguém na rua em Udine. Um fã da Udinese pegou a gente e levou para casa. O carro ficou lá no mesmo lugar por uns quatro dias até que alguém conseguisse destravar”, revelou o Galinho.

Programa No Mundo da Bola, programa 500, MNDB Programa No Mundo da Bola, programa 500, MNDB

Programa No Mundo da Bola, programa 500, MNDB – Carlos Colla/Direitos Reservados

Em outro material, originalmente preparado para o quadro ‘Álbum da bola’, Zico, maior artilheiro da história do Maracanã, com 334 gols, demonstrou que a autoconfiança foi elemento fundamental para o sucesso na carreira. 

‘Eu sei o caminho da trave, já nasci com esse carimbo. Dentro da área, bobeou [o Zico] guardou’ , disse o craque em trecho do quadro. 

Os participantes também responderam à pesquisa da semana, sobre quais times brasileiros avançarão nos duelos caseiros das quartas da Libertadores (Flamengo x Corinthians e Palmeiras x Atlético-MG). Os convidados foram unânimes em apontar Flamengo e Palmeiras como favoritos a alcançarem as semifinais.

“É chover no molhado”, disse Zenon, que também revelou estar honrado por participar da edição número 500 do No Mundo da Bola. “Saudades do Alberto Léo. Estou me sentindo muito emocionado”, revelou o ex-jogador, referindo-se ao jornalista, ex-apresentador do No Mundo da Bola, que faleceu em junho de 2016.

Fonte: EBC Esportes

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Várzea Grande é o primeiro município do Estado a aderir projeto de artes marciais nas escolas
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA