Internacional

Importação de armas de fogo é proibida no Canadá

Publicados

em

Arma de fogo
Pixabay

Arma de fogo

O Canadá anunciou nesta sexta-feira que proibirá a importação de armas de fogo, em uma tentativa de conter os ataques a tiros no país. A medida passa a valer daqui a duas semanas e tem caráter temporário, mas durará até que uma lei seja aprovada no Parlamento e entre em vigor permanentemente, disseram as autoridades.

“Tenho orgulho de anunciar que nosso governo decidiu proibir a importação de armas de fogo”, anunciou Marco Mendicino, ministro da Segurança Pública, em entrevista coletiva.

É uma “proibição temporária” que se aplicará a partir de 19 de agosto a indivíduos e empresas e “até a entrada em vigor de um congelamento nacional”, especifica um comunicado de imprensa do governo canadense.

Seu objetivo é acelerar a aplicação de algumas medidas previstas no Projeto de Lei C-21, apresentado em maio pelo primeiro-ministro Justin Trudeau, mas que ainda está tramitando no Parlamento, disse Mendicino. A legislação visa o controle de armas e inclui o congelamento nacional na importação, compra, venda e transferências de armas de fogo.

Leia Também:  Fortes terremotos sacodem o sul do Irã

“Quando anunciamos o Projeto de Lei C-21 e o congelamento nacional de armas, dissemos que usaríamos todas as ferramentas disponíveis para manter os canadenses seguros”, escreveu o minsitro, no Twitter. “Hoje, estamos anunciando uma proibição nacional da importação de armas curtas, antecipando o impacto final do congelamento em vigor.”

As leis que regulamentam a posse de armas no país já haviam ficado mais rígidas depois de um massacre que deixou 23 mortos na cidade costeira de Portapique, na Nova Escócia, em 2020. Foi o ataque com o maior número de vítimas no Canadá em 30 anos.

Na semana passada, três pessoas foram mortas em um ataque a tiros no centro da cidade de Langley, perto de Vancouver, no Oeste do país, incluindo o suposto atirador. Duas pessoas ficaram feridas, uma em estado crítico e a outra com ferimentos graves.

Segundo dados de 2021 do Instituto de Métricas e Avaliação de Saúde (IHME) da Universidade de Washington, a taxa de homicídios por arma de fogo no Canadá é de 0,5 por 100 mil pessoas, contra a taxa dos EUA, que está em 4,12.

Leia Também:  Onda de calor: cidade na Itália sofre com 'infestação' de insetos

Dados comerciais de Ottawa, citados pela rede de televisão CTV, também mostram que o país importou US$ 26,4 milhões em pistolas e revólveres entre janeiro e junho — um aumento de 52% em comparação com o mesmo período do ano passado.

Estima-se também que mais de um milhão de revólveres estejam em circulação no país, de acordo com o jornal La Presse. Na última década, cerca de 55 mil dessas armas foram registradas a cada ano, em média, sem incluir armas importadas e vendidas ilegalmente.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Mundo

COMENTE ABAIXO:

Internacional

Países ocidentais prometem 1,5 bi de euros em auxílio à Ucrânia

Publicados

em

Por

Países ocidentais se comprometeram nesta quinta-feira (11) a oferecer mais de 1,5 bilhão de euros em dinheiro, equipamentos e treinamento para aumentar as capacidades militares da Ucrânia, que está em guerra contra a Rússia. A informação é do ministro da Defesa da Dinamarca, Morten Bodskov. 

O dinheiro, que foi prometido por um grupo de 26 países em uma conferência em Copenhague, será utilizado para fornecer armamentos, mísseis e munições existentes, para aumentar a produção de armas para a Ucrânia, treinar soldados ucranianos, e retirar minas terrestres de regiões do país destruídas pela guerra. 

“Vamos continuar a auxiliar a Ucrânia em suas necessidades militares”, disse Bodskov a jornalistas no final da conferência que reuniu ministros da área de Defesa da Europa para discutir apoio de longo prazo para a defesa ucraniana contra a invasão russa. 

Os ministros da Defesa de Polônia, Eslováquia e República Tcheca sinalizaram disposição para expandir as produções de sistemas de artilharia, munição e outros equipamentos militares para a Ucrânia, afirmou Bodskov. 

O Reino Unido, que já doou sistemas avançados de armas à Ucrânia e ofereceu milhares de suas tropas em treinamentos militares, prometeu na quinta-feira uma verba adicional de 300 milhões de euros em sistemas de lançamentos de foguetes múltiplos e mísseis guiados M31A1, que podem atingir alvos a até 80 quilômetros de distância. 

Leia Também:  Fortes terremotos sacodem o sul do Irã

“O presidente Putin apostava que em agosto nós estaríamos cansados do conflito e a comunidade internacional teria se espalhado em direções diferentes. Bem, hoje provamos o oposto”, disse o secretário de Defesa do Reino Unido, Ben Wallace. 

Fonte: EBC Internacional

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA