Economia

Governo retoma obras da ZPE de Cáceres ainda em fevereiro

Publicados

em

Governador Mauro Mendes anunciou retomada após reunião desta quinta-feira (13)

Lucas Rodrigues | Secom-MT

Obras da ZPE de Cáceres serão retomadas – Foto por: Rafaella Zanol
A | A

O Governo do Estado vai dar ordem de serviço para a retomada das obras da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) de Cáceres (217 km de Cuiabá), no dia 20 de fevereiro deste ano.

Veja o vídeo aqui;👇

Meus amigos, uma excelente notícia para a região sudoeste: vamos reiniciar as obras da Zona de Processamento de…

Posted by Mauro Mendes on Thursday, February 13, 2020

O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes na tarde desta quinta-feira (13.02), após reunião que tratou do Plano de Trabalho para a região.

Participaram da reunião a secretária-executiva e o coordenador do Conselho Nacional das ZPEs, Thaise Dutra e Leonardo Rabelo de Santana, respectivamente; os secretários Mauro Carvalho (Casa Civil), César Miranda (Desenvolvimento Econômico) e Celso Banazeski (adjunto de Indústria, Comércio, Minas e Energia); e os deputados estaduais Valmir Moretto e Dr. Gimenez.

“No dia 20 de fevereiro o Governo estará dando ordem de serviço para reiniciar a obra e vamos tomar uma série de providências que está sendo deixada como lição de casa pelo Ministério da Economia. Isso tudo para tornar esse sonho uma realidade pelos próximos meses, para o bem de Mato Grosso”, afirmou o governador.

Leia Também:  Tema Livre recebe Misael Galvão e Rodrigo Coelho nesta terça Feira

Mauro Mendes relatou que a ZPE de Cáceres foi criada há mais de 30 anos e, até o momento, “muito pouco ou quase nada foi feito”.

“A ZPE é Em Cáceres, mas ela é de Mato Grosso, e será importante para que possamos ter mais competitividade nas exportações do nosso Estado”, assegurou.

Para o secretário César Miranda, a obra trará um salto para o desenvolvimento não só da região Oeste, mas de todo o Estado.

“O Governo de Mato Grosso irá focar no desenvolvimento regional. Acredito que a ZPE localizada em Cáceres tem um potencial enorme para atrair investimentos voltados para a exportação”, declarou.

Conforme o secretário adjunto Celso Banazeski, a medida anunciada pelo governador mostra que a gestão tem dado “enorme importância” e priorizado a continuidade das obras.

O deputado Valmir Moretto também mencionou que a ZPE de Cáceres é um anseio muito forte da população local, uma vez que o projeto foi desenvolvido em 1990.

“Essa ZPE é esperada há muitos e muitos anos. Esperamos e contamos com a eficiência e competência desta gestão. Quero parabenizar o governador por ter enxergado essa importante pauta. Muitos já nem acreditavam que isso seria possível, mas nós confiamos na eficiência desse governo para isso”, afirmou.

Leia Também:  Governo afirma que reequilibrio das contas públicas retoma a confiança da sociedade

O relato foi reforçado pelo deputado Dr. Gimenez. Ele acredita que a ZPE irá atrair investidores e, consequentemente, mais prosperidade para a região.

“Com essa novidade, vamos colocar o Estado em competitividade com os demais estados, barateando custos e tendo toda a América do Sul como clientela. Trará mais recursos e mais renda para a população do sudoeste do Estado”, garantiu.

O que são as ZPEs 

As Zonas de Processamento de Exportação caracterizam-se como áreas de livre comércio com o exterior, destinadas à instalação de empresas voltadas para a produção de bens a serem comercializados no exterior. Elas são consideradas zonas primárias para efeito de controle aduaneiro. As empresas que se instalam em ZPE têm acesso a tratamentos tributário, cambiais e administrativos específicos.

Em Mato Grosso, a ZPE dará a possibilidade de abertura para o mercado internacional. De acordo com a legislação vigente, 80% do que as indústrias produzirem no local poderá ser exportado e 20% deverá ficar no mercado interno.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Fecomércio-MT divulga pesquisa de fevereiro que traz queda na Intenção de Consumo das Famílias em Cuiabá

Publicados

em

Após o aumento do consumo provocado pelas festividades do fim e início de ano, o segundo mês de 2020 trouxe uma queda na Intenção de Consumo das Famílias (ICF) em Cuiabá. A pesquisa divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT), registrou retração de -7,9% de janeiro para fevereiro, anotando 82,3 pontos. Já na comparação com fevereiro de 2019, o recuo foi de -6%.

Em todas as faixas de renda a pesquisa apresentou retração mensal na intenção para o consumo, de -8,6% para as que recebem até 10 salários mínimos (79,7 pontos) e de -3,1% para as que recebem acima disso (105,6 pontos). Também na comparação com o mesmo período do ano passado, observou-se recuos de -6,6% e de -1,9%, respectivamente.

Todos os componentes da pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) tiveram resultados negativos em fevereiro sobre o mês anterior, com destaque para o Nível de Consumo Atual que recuou -14,3% e atingiu 62,6 pontos – pontuação menor também na comparação com fevereiro do ano passado. A maior parte dos entrevistados (58,4%) alegaram estar comprando menos do que no ano passado e 21% disseram que estão comprando mais. 20,3% afirmaram que estão comprando a mesma coisa.

Leia Também:  Municípios de MT poderão ter aumento de transferências constitucionais em 2020

O componente referente ao Emprego Atual apresentou retração de -4% na variação mensal e de -10,2% sobre fevereiro de 2019. Apesar da capital mato-grossense ter contabilizado um saldo positivo de 1.389 novos empregos em 2019, segundo dados do Caged/IBGE, o índice de fevereiro da pesquisa ICF atingiu 112,6 pontos contra os 117,3 pontos do mês anterior e 125,3 pontos registrado em fevereiro do ano passado.

A pesquisa revelou uma queda maior para o componente Renda Atual, de -9,4%, saindo da zona de satisfação com 103,6 pontos em janeiro para os atuais 93,9 pontos – abaixo de 100 pontos indica um grau de insatisfação para o consumidor. Para 37,2% dos entrevistados, a renda familiar está igual ao mesmo período do ano passado, 34,1% disseram que piorou, 28% que melhorou e apenas 0,7% não souberam ou não responderam.

Apesar do resultado negativo, a Fecomércio-MT acredita na contínua recuperação da economia nacional, com a reforma tributária, a redução do desemprego e também ancorados em fatores econômicos, como a taxa inflacionária baixa e afirma que os mato-grossenses vão melhorar gradativamente a confiança para o consumo no curto, médio e longo prazo.

Leia Também:  Em sete dias, Cuiabá arrecada em tributos 23,4% do montante acumulado em Mato Grosso

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA