CULTURA

Governo de MT lança plataforma para solicitação de auxílio emergencial da cultura nesta quinta-feira

Lei Aldir Blanc

Publicados

em

Governo lança plataforma para solicitação de auxílio emergencial da cultura nesta quinta-feira (10)

A renda emergencial consiste no pagamento de três parcelas de R$ 600, beneficiando cerca de 8.500 profissionais do setor cultural mato-grossense

Cida Rodrigues

Com informações Secel-MT

– Foto por: Divulgação

O Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel), dará início ao cadastramento dos profissionais do setor cultural para acesso direto à renda emergencial, uma das ações previstas na Lei Aldir Blanc. O lançamento da plataforma de cadastro será nesta quinta-feira (10.09), às 15h30, em evento que contará com a participação do governador de Mato Grosso, Mauro Mendes.

“É com muita responsabilidade e transparência que abriremos o cadastramento dos trabalhadores e trabalhadoras da cultura. Por meio deste cadastro, parte dos recursos da Lei Aldir Blanc irá diretamente aos profissionais, incluindo artistas, produtores e técnicos das mais diversas áreas. Trabalhamos para que esses recursos cheguem o mais rápido possível aos que necessitam neste período de calamidade pública”, destaca o titular da Secel, Alberto Machado.

Leia Também:  Fórum Agro pede a AL novo estudo do Zoneamento Socioeconômico e Ecológico

De acordo com a lei regulamentada, o valor a ser destinado para as ações de responsabilidade do Estado é de quase R$ 26 milhões. Mais de R$ 15 milhões, que representa 60% do valor total, serão utilizados para o pagamento de renda mensal aos trabalhadores da cultura. O restante (40%) será distribuído em editais de fomento cultural.

O auxílio emergencial consiste no pagamento de três parcelas de R$ 600, beneficiando cerca de 8.500 profissionais do setor cultural mato-grossense. Conforme a Lei Aldir Blanc, essa transferência de recursos diretamente aos trabalhadores ficou sob competência do Estado.

Gerido pela Secel em cooperação com a Central das Organizações do Estado de Mato Grosso (Cordemato), o sistema para o cadastro estadual possui aparato técnico e científico do Núcleo de Pesquisas Econômicas e Sociais e do Núcleo de Tecnologia da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Para auxiliar no processo de cadastramento, a Secel preparou um vídeo tutorial e cartilhas de orientação apresentando as linhas gerais sobre o acesso à renda emergencial, critérios, operacionalização e demais instruções para preenchimento dos dados. Os materiais estarão disponíveis em formato digital.

Leia Também:  Olímpio Bezerra resgata peças do lixo e as transforma em suportes para universos líricos

Durante o lançamento da plataforma será ainda apresentado o plano de ação para execução da Lei Aldir Blanc em Mato Grosso, cadastrado na Plataforma + Brasil na última quinta-feira (03.09). No documento, a secretaria estadual informa o cronograma das principais ações, que incluem editais e prêmios com propostas abrangendo todos os segmentos culturais.

Serviço

Lançamento da plataforma para solicitação de auxílio emergencial da cultura

Data: quinta-feira (10.09)

Horário: 15h30

Local: auditório Garcia Neto – Palácio Paiaguás, em Cuiabá

NÃO SE ESQUEÇA DA SUA MÁSCARA. Eu cuido de você, você cuida de mim!

Atualizada as 100h

*ATENÇÃO*

Em razão de um imprevisto na agenda o lançamento da plataforma para trabalhadores da cultura cadastrarem e acessarem o auxílio emergencial previsto na Lei Aldir Blanc, assim como a coletiva com o governador e secretário de Cultura, Esporte e Lazer, foi adiado para segunda-feira (14.09), às 15h30, no Palácio Paiaguás.

COMENTE ABAIXO:

CUIABÁ

Projeto narra “Memórias de um Restauro” de casa no Centro Histórico de Cuiabá

Publicados

em

Por

A ação foi aprovada em edital da Lei Federal Aldir Blanc em Cuiabá, executada pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, com apoio do Conselho Municipal de Política Cultural

NAIARA LEONOR

Uma sala, um quarto, uma cozinha, um banheiro e um ateliê. Que histórias esses espaços podem nos contar? Memórias tem endereço: Casa 603, Rua do Meio, Centro Histórico de Cuiabá. Nesta sexta-feira (16), a partir das 16h, será o momento de ouvi-las. O projeto “Memórias de um Restauro” apresenta o processo de recuperação desse espaço que sobreviveu ao tempo, como forma de contribuir para a educação patrimonial e preservação do patrimônio histórico cultural na capital de Mato Grosso. Em razão do cumprimento das medidas sanitárias durante a pandemia da COVID-19, o encontro será virtual, por meio do perfil do projeto no youtube e facebook. A ação foi aprovada em edital da Lei Federal Aldir Blanc em Cuiabá, executada pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer, com apoio do Conselho Municipal de Política Cultural.

Foi em 2019 que a arquiteta, historiadora e professora universitária aposentada, Ludmila de Lima Brandão, adquiriu o imóvel de número 603 na antiga Rua do Meio, no Centro Histórico de Cuiabá.

“Encaminhei o projeto de ‘requalificação’ da casa, provavelmente construída em finais do século XVIII, com cerca de 80m2, ao Escritório do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em Cuiabá, por reconhecer a necessidade do Centro Histórico de Cuiabá precisar de um estímulo aos projetos de recuperação/restauro/adaptações de modo a torná-lo um lugar atraente para usos compatíveis com sua condição de patrimônio arquitetônico”, explica Ludmila Brandão.

Leia Também:  Funcionamento da ALMT continua suspenso até o próximo 23 de abril

A proprietária, que também é proponente do projeto contemplado em edital executado pelo município de Cuiabá, conta que à medida que a equipe contratada para a obra trabalhava no restauro da casa, ela foi reconhecendo a importância histórico-arquitetônica do espaço e identificando a necessidade de registrar todo o processo.

“Ter sido contemplada com recursos deste Edital é a oportunidade de efetivar essa Memória e compartilhar os conhecimentos produzidos ao longo da requalificação, que acreditamos poderá não apenas beneficiar profissionais e estudantes que desejam atuar com patrimônio histórico, mas, principalmente, sensibilizar outros proprietários/moradores ou potenciais proprietários para iniciativas semelhantes e até mais audaciosas em termos de investimento”, destaca.

Cuiabá é uma das 68 cidades brasileiras que contam com conjunto urbano tombado, segundo dados de 2017, do Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Cultural (IPHAN). Apesar disso, ainda se nota a dificuldade de gerir esse patrimônio de valor inestimável, já que são poucos os proprietários que dispõe de recursos financeiros para restauro e manutenção das estruturas, que devem seguir os critérios estabelecidos pelo órgão responsável pelo tombamento e exigem equipe técnica especializada na execução da obra.

Considerando esse cenário e o contexto local, o projeto tem a finalidade de produzir uma Memória da obra, buscando o compartilhamento dos conhecimentos produzidos nessa experiência. Para a proponente, os problemas encontrados, bem como as soluções, podem ser do interesse de profissionais e estudantes que atuam/pretendem atuar com patrimônio arquitetônico, dos proprietários de imóveis similares e dos demais cidadãos.

A restauração da casa, que ocupa todo o lote (provavelmente desmembrado) e é constituído de sala, quarto, cozinha, banheiro e espaço anexado de ateliê, foi iniciada em março de 2020, sob a coordenação do arquiteto André Campos, e concluída no início de 2021.

Leia Também:  Inscrições para o “Dixtopia” encerram nesta quinta-feira

Ao longo do processo de restauração, o arquiteto André Campos, assim como o fotógrafo Fred Gustavos, foram registrando imagens que tornam possível hoje refazer o percurso do restauro. Dessa maneira, os registros fotográficos da requalificação do imóvel e textos do Memorial Descritivo farão parte de um espaço expográfico para exibição dessa memória nos diferentes ambientes da casa. Além da exposição, o projeto também pretende abrir a casa para visitações guiadas presenciais e virtuais, com mediação da proprietária e/ou arquiteto responsável.

Por fim, Ludmila Brandão ressalta que a casa abrigará a Sede e Residência Artística da Paratudo Artes – um coletivo interdisciplinar composto por ela, pelo fotógrafo e artista visual Fred Gustavos, por Suzana Guimarães (Doutora em História), Quise Gonçalves (Doutora em Estudos de Cultura Contemporânea) e Giordanna Santos (Doutora em Cultura e Sociedade).

Contatos para imprensa

Giordanna Santos – Assessoria de Imprensa

giosants@gmail.com

Quise Gonçalves e Ludmila Brandão – Produção do Projeto

paratudoartes@gmail.com

 

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA