Saúde

Governador: “Nosso objetivo é zerar a atual fila represada de cirurgias eletivas em Mato Grosso”

Publicados

em

Mauro Mendes lançou o programa Mais MT Cirurgias, com investimento previsto de R$ 105 milhões

Por Lucas Rodrigues | Secom-MT

Governador Mauro Mendes lança programa Mais MT Cirurgias
Foto por: Marcos Vergueiro/Secom-MT

O governador Mauro Mendes afirmou que um dos principais objetivos do programa Mais MT Cirurgias, lançado na quinta-feira (15.07), é “zerar a atual fila represada de cirurgias eletivas em Mato Grosso”.

Pelo programa, o Governo de Mato Grosso vai investir R$ 105 milhões para a realização de 138 mil procedimentos de Saúde. A previsão é que sejam feitas 23 mil cirurgias eletivas, 69,5 mil exames de alta complexidade, além de outros 45,5 mil procedimentos de outras naturezas.
“Nosso objetivo é zerar a atual fila de cirurgia represada de Mato Grosso, dos últimos 3 anos. Fizemos um trabalho muito grande para conseguir lançar o programa e nossos hospitais estão sendo preparados para esse grande volume de procedimentos”, relatou.

Mauro Mendes destacou o esforço da equipe da Secretaria de Estado de Saúde, bem como do apoio recebido pela base do Governo do Estado na bancada federal e na Assembleia Legislativa.

Leia Também:  Infectologista orienta população sobre casos da doença ‘mão-pé-boca’ em Cuiabá

“Agradeço a todos que estão nos apoiando. Quero ressaltar o trabalho do secretário Gilberto Figueiredo e da equipe. Esse programa começou inicialmente com previsão de R$ 40 milhões e agora alocamos R$ 105 milhões para poder realizar esse grande volume de procedimentos”, afirmou.

Conforme o governador, o programa vai beneficiar os 141 municípios e contará com a parceria dos 16 Consórcios Intermunicipais de Saúde. As cirurgias, exames e demais procedimentos serão realizados nos 11 hospitais regionais e também poderão ser cadastrados conforme a necessidade pelos hospitais filantrópicos e municipais.

As cirurgias previstas contemplam as especialidades de Geniturinário, Aparelho Digestivo, Ortopedia, Cardiovascular, Neurocirurgia e Oftalmologia. Dentre os exames de alta complexidade, estão: Ressonância Magnética, Ultrassonografia com Dopper, Tomografia Computadorizada, Cintilografia, Eletroneuromiografia, Arteriografia, Cateterismo e Colangiopancreatofiaendoscópica.
Como vai funcionar

O aporte financeiro de R$ 105 milhões poderá ser acessado por qualquer estabelecimento de saúde, seja público ou privado, que se adeque às regras estabelecidas pela SES. Entre os requisitos para acessar o incentivo está o credenciamento do hospital junto ao Sistema Único de Saúde (SUS), a especificação do quantitativo de procedimentos eletivos a serem atendidos e o serviço a ser executado deve ser complementar às pactuações já existentes na unidade.

Leia Também:  Judiciário implanta Centro de Solução de Conflitos específico para Saúde Pública em MT

O repasse do valor será realizado pós-produção. A ação terá como base a tabela do SUS e os incentivos serão de acordo com a complexidade de cada procedimento. Para integrar o programa, também é fundamental a alimentação dos sistemas oficiais de faturamento do Ministério da Saúde.

Os municípios interessados no incentivo deverão acessar um link que será disponibilizado no site da SES. Após criação de login, a unidade deverá inserir sua proposta para análise e validação da Secretaria.  As propostas deverão ser apresentadas em até 60 dias pelas unidades de saúde, gestões municipais ou Consórcios Intermunicipais de Saúde.

COMENTE ABAIXO:

Saúde

Mais um casal de brasileiros são diagnosticados com a variante Ômicron

Publicados

em

Por

JB NEWS

Por Alisson Gonçalves

Foto: Exame

Mais um casal de brasileiros foram diagnosticados com a variante Ômicron do coronavírus , informou  a prefeitura de São Paulo  (SP), nesta quarta-feira, 01.12, o fato só foi divulgado hoje quinta-feira 02.12. As informações são de que os mesmos já haviam tomado as doses única da vacina da Janssen, quando ainda estavam na África do Sul, país onde residem.

O casal chegou ao Brasil a passeio em 23 de novembro. Dois dias depois, quando retornariam para a Cidade do Cabo, testaram positivo para covid-19.

A nova variante ,apresenta sintomas como cansaço, dores musculares, coceira na garganta, febre baixa e em poucos casos
tosse seca.

Os sintomas da Ômicron são mais parecidos com a variante Beta.

Até agora, os pacientes infectados pela Ômicron apresentaram apenas sintomas leves. No entanto, a nova variante preocupa a OMS e os países por causa das 50 mutações que a nova cepa apresenta, sendo 32 apenas na proteína S, principal alvo das vacinas desenvolvidas até o momento.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  SAÚDE MENTAL: Cuiabá terá segunda edição do Talk Show “Tenho Depressão. E agora?”
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA