POLITICA

Fávaro articula a liberação de mais de R$ 3,7 milhões para Mato Grosso

Publicados

em

Fávaro atua na liberação de mais de R$ 3,7 milhões para Mato Grosso

JB News

A Fundação Nacional de Saúde (Funasa) transferiu mais de R$ 3,7 milhões em recursos para Mato Grosso. O dinheiro, repassado para oito municípios do Estado, foi liberado graças à atuação do senador Carlos Fávaro (PSD) junto ao órgão e se refere a convênios firmados em 2014 e 2017.

 

Foram contemplados com a liberação dos recursos os municípios de Confresa, Feliz Natal, Gaúcha do Norte, Indiavaí, Nossa Senhora do Livramento, Nova Brasilândia, Paranatinga, Santo Antônio do Leste e Terra Nova do Norte. O dinheiro deverá ser usado em obras e serviços como melhorias sanitárias domiciliares, sistema de abastecimento de água e sistema de esgotamento sanitário.

 

Fávaro destaca que a liberação dos recursos, viabilizada por meio de sua atuação parlamentar, assegura mais desenvolvimento a estes municípios. “Estamos falando de obras que vão oferecer à população direitos básicos, como água e esgoto tratados. Eu vivi na pele o mal que a ausência do Poder Público faz na vida das pessoas e é meu dever lutar para que isso acabe”.

Leia Também:  Russi quer apuração na distribuição de imunizantes e defende acelerar vacinação

 

Dos mais de R$ 3,7 milhões liberados, R$ 214 mil foram para Confresa, Feliz Natal recebeu R$ 252 mil, Gaúcha do Norte R$ 412 mil, Indiavaí R$ 443 mil e Nossa Senhora do Livramento, quase R$ 144 mil. Nova Brasilândia, por sua vez, teve creditado R$ 735 mil, já Paranatinga, R$ 95 mil, Santo Antônio do Leste, R$ 138 mil e Terra Nova do Norte, quase R$ 150 mil por um convênio de 2017 e R$ 975 mil, por outro de 2014.

COMENTE ABAIXO:

POLITICA

Fávaro assina requerimento por CPI ampla para apurar irregularidades na pandemia

Publicados

em

Por

JB News

Por Glaucio Nogueira

O senador Carlos Fávaro (PSD-MT) assinou o requerimento para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que visa apurar irregularidades cometidas por gestores públicos no âmbito do estado de calamidade gerado pela pandemia da Covid-19. O pedido para a instalação da investigação foi apresentado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE) e já conta com o número mínimo de assinaturas para ser instalada.

Ao apoiar a CPI, Fávaro destaca que embora entenda não ser este o melhor momento para a instalação de uma Comissão, ela precisa ser séria e técnica. “Sempre disse que o momento era para buscarmos salvar vidas. Uma vez que a CPI é inevitável neste momento, sobretudo por conta de uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso, que ela apure então todas as suspeitas de improbidade nas três esferas, federal, estadual e municipal”.

A decisão citada por Fávaro foi proferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) na última semana e determinava a instalação imediata de uma CPI para apurar eventuais omissões do Governo Federal. “Havia um grande risco de que esta CPI se tornasse um palanque, visando as eleições de 2022. Com a ampliação do escopo da apuração, vamos ter a oportunidade de um trabalho sério, técnico, pautado apenas e tão somente na busca por informações destes casos suspeitos”, pontua o senador mato-grossense.

Leia Também:  Fávaro assina requerimento por CPI ampla para apurar irregularidades na pandemia

No requerimento apresentado, Girão ressalta que até dezembro do ano passado, ao menos 61 operações foram deflagradas pela Polícia Federal para apurar supostos crimes contra a administração pública cometidos com o intuito de desviar recursos públicos destinados ao combate à pandemia. Neste período, foram emitidos mais de mil mandados de busca e apreensão e 144 de prisão. No total, o valor dos contratos investigados é de quase R$ 2 bilhões.

Veja aqui :👇

CPI COVID ampla (1)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA