VÁRZEA GRANDE

Famílias carentes da região do grande Cristo Rei recebem doações de roupas

Publicados

em

Cada pessoa tem direito a cinco peças, mas havendo a necessidade, podem retirar um número maior

Por Kátia Passos

Para muitas famílias carentes a alimentação é mais que uma necessidade básica, o salário muitas vezes não dá para comprar o essencial, e o vestuário acaba se tornando um item de luxo. Pensando nisso, a direção do Centro de Referência em Assistência Social – CRAS – do bairro Cristo Rei, resolveu instalar na sede do órgão o ‘Guarda Roupa Solidário’, dando àqueles que precisam a oportunidade de levar para casa, peças de roupas (usadas, porém em boas condições).

Como explica a gerente do CRAS – Lucilene da Silva Amaral, o ‘Guarda Roupa Solidário’ é um projeto que visa auxiliar famílias em extrema vulnerabilidade, que precisam de roupas e não tem condições de comprar se quer uma peça de vestuário. “Cada pessoa tem direito a cinco peças, e havendo a necessidade, podem levar um número maior. As roupas são doadas pela comunidade em geral, e a partir da entrega são colocadas em araras e varais e já podem ser retiradas sem que haja necessidade de cadastro ou inscrição”.

 

Lucilene Amaral disse ainda que todos os dias o CRAS recebe essas doações, mas que os vestuários não ficam lá por muito tempo porque todos os dias tem uma família de um bairro do Cristo Rei, e de outras regiões à procura das peças de roupas. “As roupas infantis são as que mais têm saída, uma vez que as crianças crescem rápido e acabam perdendo as roupas com mais facilidade. Bermudas também saem bastante, aliás, tem aumentado muito a procura por roupas masculinas e eles próprios têm vindo ao CRAS para fazer a seleção da peça. Antes, a presença no local era de mulheres e crianças. Agora o público masculino tem sido percebido por vários dias da semana”.

Leia Também:  Kalil pretende inaugurar ainda em outubro Estação de Água do Cristo Rei

A Secretária de Assistência Social, Ana Cristina Vieira, destaca a importância do projeto, que além de alcance social, pois beneficia aqueles que realmente necessitam, é um ato de solidariedade, que foi ampliada, principalmente, neste período de pandemia, onde muitas famílias que já eram consideradas carentes foram afetadas ainda mais, tendo as suas necessidades aumentadas, ao ponto de não terem o que comer e vestir.

“Temos oferecido cestas básicas e agora estamos também com esse projeto de distribuições de roupas, que à princípio está sendo realizado na CRAS do bairro Cristo Rei, mas a nossa intenção é levar para outras unidades, por isso é essencial que a população que tenha condições de doar, que faça a sua doação na unidade ou quem não puder levar que ligue informando a sua localização, que a nossa equipe irá buscar”, explicou a secretária destacando que ajudar quem precisa nunca sai de moda.

Moradora do bairro da Manga, a aposentada Valdeci Pereira Matias, é usuária do CRAS – do Cristo Rei – e recebe mensalmente uma cesta básica que atende as necessidades de sua família. Sem condições de comprar roupas novas, ainda que a preços acessíveis, ela é uma que se dispõe desse benefício, e sempre vai à unidade à procura de peças para ela e seus netos. “Já levei para casa diversas roupas para mim e meus netos. São peças semi novas e que nos ajudam uma vez que não temos dinheiro para comprar. É importante que programas como esse existam, porque o que não serve mais para uns, servem para outros”.

Leia Também:  Retomada das obras do IFMT em Várzea Grande vai potencializar o Parque Tecnológico

A dona de casa, Georgina Maria Damaceno também já levou para casa várias peças e sempre volta para ver o que pode ser usado por ela, e pela família. “Para o pobre a prioridade é ter comida no prato, mas também não podemos sair sem roupas por aí, daí a importância desse projeto que beneficia aqueles que mais precisam. É necessário que quem tem mais possa ajudar a quem nada tem, por isso eu peço que se você tem roupas sem uso em seu guarda roupa, que faça a sua doação a este posto de atendimento que com certeza fará a felicidade de quem mais precisa”, pontuou.

COMENTE ABAIXO:

VÁRZEA GRANDE

Kalil e Jayme anunciam R$ 20 milhões em investimentos e esforço pela solução para a falta de água

Publicados

em

Por

 

­­­­MAIS R$ 20 MILHÕES EM EMENDAS

O trabalho de Jayme Campos já representou emendas que somam R$ 31 milhões para Várzea Grande em 2021. Ele garantiu dedicação em busca de mais recursos para enfrentar o problema da falta de água

Sinalizando que vai continuar redobrando os esforços no sentido de ajudar a administração municipal de todas as 141 cidades de Mato Grosso, mas principalmente de Várzea Grande, o senador Jayme Campos anunciou a liberação de novas emendas para obras e ações, bem como, entendimentos junto ao Governo Federal para ampliar repasses de recursos para obras de abastecimento de água e esgoto sanitário, hoje um dos maiores problemas da segunda maior cidade do Estado.

Várzea Grande recebeu duas emendas no valor de R$ 20 milhões do senador Jayme Campos. Os recursos serão aplicados na saúde pública e em obras de infraestrutura, principalmente na pavimentação asfáltica de vários bairros.

“É sempre bom contar com o apoio dos parlamentares da bancada federal e novamente o senador Jayme Campos demonstra seu apreço a cidade de Várzea Grande aonde ele foi prefeito por três mandatos, lembrando que no início de nossa gestão já foi repassado valores de R$ 10 milhões para a saúde pública de outra emenda do senador”, disse o prefeito Kalil Baracat, sinalizando que vai colocar recursos próprios de Várzea Grande para ampliar a capacidade e atender mais bairros do município com obras, pois recursos federais e estaduais são essenciais, mas também precisam de contrapartida de recursos do Tesouro Municipal.

Kalil Baracat sinalizou que estes recursos se somam com o empréstimo da ordem de R$ 90 milhões contratados junto a Caixa Econômica Federal – CEF, sendo R$ 70 milhões para pavimentação asfáltica e R$ 20 milhões para ampliar os R$ 100 milhões que estão sendo investidos em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário.

Leia Também:  Retomada das obras do IFMT em Várzea Grande vai potencializar o Parque Tecnológico

“Quero deixar meu testemunho do apoio que temos recebido dos senadores, deputados federais, dos deputados estaduais da Assembleia Legislativa e do próprio Governo de Mato Grosso e isto tem que ser declarado para que as pessoas saibam o quanto eles têm nos ajudado a vencer as dificuldades e obstáculos que são comuns em uma gestão pública”, assinalou o prefeito.

Ele aproveitou a presença dos vereadores no evento, para agradecer o apoio do Poder Legislativo Municipal que também não tem medido esforços no sentido de ajudar o Executivo a vencer os obstáculos impostos como a questão do abastecimento de água.

Já o senador Jayme Campos assinalou que sua meta é concluir ano que vem a primeira parte de seu mandato com 141 cidades contempladas com recursos de emendas parlamentares de sua autoria. “Já liberei próximo de R$ 200 milhões em emendas para 134 cidades e queremos dentro da possibilidade e da realidade, pois estes recursos são federais, atender a todas as cidades, atender a Mato Grosso”, disse Jayme Campos frisando ainda que vai reforçar os pedidos em cima da questão do abastecimento de água e de obras de esgoto.

O senador reconheceu a necessidade de reforçar os investimentos no abastecimento de água de Várzea Grande e lembrou que o prefeito Kalil Baracat está investindo R$ 100 milhões nestas obras e vai lançar outras duas obras que em definitivo irão permitir que Várzea Grande melhore de forma significativa o abastecimento de água para toda a sua população.

Jayme Campos ressaltou que o bom trânsito do prefeito Kalil Baracat, junto à Bancada Federal, graças ao trabalho que vem fazendo em Várzea Grande, facilita a busca por emendas parlamentares, defendendo uma emenda de bancada com recursos mais volumosos para ser aplicado em obras de abastecimento de água e esgoto sanitário. “A deficiência que existe hoje é decorrente do crescimento populacional aliado à falta de investimentos, até porque os R$ 215 milhões de um total de R$ 500 milhões previstos do PAC resgatado em 2015 pela prefeita Lucimar Sacre de Campos, nem R$ 5 milhões para água foram liberados, então o problema se demonstra mais severo e mais potencializado pela seca que é a maior das últimas décadas e pela falta de investimentos, sem contar outros problemas que também agravam a situação como as perdas de água, os desvios entre outros”, disse Jayme Campos.

Leia Também:  DAE informa que nesta quinta-feira não terá água em Várzea Grande

Já o prefeito Kalil Baracat reafirmou a disposição e o enfrentamento do problema sinalizando que durante todo o seu mandato, os esforços em primeiro plano são pela resolutividade da questão da água e consequentemente do esgoto, mas que é necessário avançar ainda mais, seja em novas redes, novos equipamentos e na conscientização das pessoas quanto ao uso racional da água disponível.

“Com o apoio dos Governos, Federal, de Mato Grosso, da Assembleia Legislativa e de recursos próprios, Várzea Grande irá dobrar a atual capacidade de captação, tratamento e distribuição de água dos atuais 700 litros por segundo par apontada como ideal pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de 120 até 140 litros/dia por habitante”, disse o prefeito Kalil Baracat.a 1.400 litros por segundo ou 120.960 milhões de litros de água por dia, o que representa dizer mais de 400 litros por dia por cada habitante, ou seja, mais que três vezes a necessidade apontada como ideal pela Organização Mundial da Saúde (OMS) de 120 até 140 litros/dia por habitante”, disse o prefeito Kalil Baracat.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA