Policial

Empresário é preso com 500 mil em apartamento de luxo em Cuiabá

Publicados

em

 

JB News

Uma investigação que culminou com a prisão nesta quinta-feira 15, do empresário Antônio Fernando Pereira Ribeiro, no bairro Duque de Caxias ,em Cuiabá.
A prisao foi realizada com operação conjunta da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) do Estado de Goiás, e pela delegacia de Combate a Corrupção (Deccor) de Mato Grosso. Antônio Fernandes é presidente (CEO) da empresa mato-grossense LogLab Digital, e foi preso por crime de corrupção.
A prisão do empresário, em Cuiabá, faz parte de uma operação que esta sendo realizada pela polícia do Estado de Goiás, contra a corrupção e lavagem de dinheiro, que além ds prisão, também cumpriram um mandado de busca e apreensão.
Segundo informações, a policia apreendeu uma quantia, entre reais e dólares, que somados chega ao valor de R$ 500 mil em espécie. Foi necessária, uma máquina de contar notas para contabilzar o montante, dentro do apartamento.
As investigações ainda correm em segredo de Justiça.
Veja o vídeo da prisão divulgado no site Mídia News:👇

Leia Também:  Fux mantém condenação de Jayme Campos por conceder ilegalmente pensão de 10 salários mínimos a ex-vereador da base quando prefeito

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Operação da polícia civil de SP cumpre em MT mandados contra Golpistas que agiam pela OLX

Publicados

em

JB News

Por Denise Niederauer

Quatro mandados de busca e apreensão são cumpridos nesta quinta-feira (22.09), em Cuiabá, em uma operação da Polícia Civil de São Paulo, com apoio da Polícia Civil de Mato Grosso, com objetivo de apurar a atuação de um grupo envolvido na aplicação de golpes cometidos por meio de site de compra e venda OLX, pela internet e em aplicativos de celulares.

A operação Camaleão, deflagrada pelo Setor Especializado no Combate à Corrupção, Organização Criminosa e Lavagem de Dinheiro (Seccold) da Seccional de Guaratinguetá (SP) constitui a fase externa de uma investigação de crimes de estelionato cometidos pelas plataformas OLX e WhatsApp.

O trabalho conta com apoio da Delegacia Especializada de Combate a Corrupção (Deccor), Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), Gerência de Operações Especiais (GOE) e Delegacia de Diamantino.

Após instauração de inquérito policial e emprego de técnicas de investigação, foram colhidos indícios de autoria e materialidade que apontam a participação de ao menos quatro pessoas residentes em Cuiabá envolvidas no crime.

Leia Também:  Paciente denuncia ser vítima de estupro em UTI do HMC

No golpe aplicado em um vendedor e um comprador de veículos anunciante na plataforma OLX, ambos residentes em Guaratinguetá, o estelionatário conseguiu obter R$ 26 mil da vítima que pretendia adquirir o veículo.

Com base nas investigações, a Seccold representou ao Juízo de Guaratinguetá pelo sequestro do valor da pessoa titular da conta bancária destino da vantagem ilícita, bem como pelo deferimento dos  quatro mandados de busca e apreensão domiciliar em quatro endereços localizados em Cuiabá com objetivo de apreender aparelhos celulares e outros elementos que possam contribuir com as investigações. Com informações da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA