Economia

Em sete dias, Cuiabá arrecada em tributos 23,4% do montante acumulado em Mato Grosso

Publicados

em

A Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso (Fecomércio-MT) divulga toda sexta-feira o “Boletim Impostômetro”. Nesta semana, do dia 23 a 29 de novembro, Mato Grosso recolheu em tributos R$ 65.149 milhões, no mesmo período em Cuiabá, o valor arrecadado foi de R$ 15.241 milhões, ou seja, a capital mato-grossense é responsável por cerca de 23,4% do total de impostos, taxas e contribuições recolhidos dentro do estado.

De acordo com o Impostômetro, entre 1º de janeiro deste ano até às 16h desta sexta-feira (29), Mato Grosso já contabiliza R$ 30.606 bilhões arrecadados em impostos, e Cuiabá aproximadamente R$ 71.600 milhões.

O Impostômetro considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos: impostos, taxas e contribuições, incluindo as multas, juros e correção monetária

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Instabilidade no Brasil deve manter dólar em alta, alerta especialista de MT
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Setor industrial alerta sobre prazo para aderir à nova lei de incentivos em MT

Até dia 20 de Dezembro

Publicados

em

AEDIC recomenda adesão à nova lei de incentivos de MT

Empresas devem buscar enquadramento na nova norma até próximo dia 20 para conseguir benefícios

A presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá (AEDIC), Margareth Buzetti, recomenda que os empresários do setor industrial de Mato Grosso devem aderir à nova lei de incentivos do Estado. O governo estabeleceu o prazo até 20 de dezembro para que as empresas busquem o enquadramento nos benefícios previstos na Lei Complementar 631/2019.

A nova legislação para os incentivos foi publicada no Diário Oficial de Mato Grosso no dia 28 de novembro. As alíquotas dos incentivos programáticos estão sendo discutidas com os setores produtivos, em reuniões dirigidas pelas secretarias de Estado de Desenvolvimento Econômico e da Fazenda. De acordo a nova legislação, os incentivos passam a valer a partir de 1º de janeiro de 2020.

Para Margareth Buzetti, os empresários não devem se acomodar com o posicionamento da Assembleia Legislativa, que derrubou vetos do governador Mauro Mendes em relação à lei de reinstituição dos incentivos fiscais. A derrubada dos vetos garantiu que as empresas que já possuíam o benefício fiscal do Programa de Desenvolvimento Industrial e Comercial de Mato Grosso (Prodeic), cuja vigência já tenha ultrapassado 4/5 do prazo dado, ou seja, na reta final, permaneçam com os créditos fiscais.

Leia Também:  Programa social que doa salário mínimo por um ano às famílias carentes é aprovado na Câmara de Cuiabá

“Essa situação pode ser temporária. Um pedido de Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN) derruba a decisão da Assembleia Legislativa, tendo em vista que o Supremo Tribunal Federal já decidiu sobre essa questão”, explica Margaret Buzetti.

A presidente da AEDIC alerta que, para o setor industrial ter segurança jurídica, o melhor é buscar o enquadramento previsto na nova lei. “Aconselhamos a todos que procurem o Estado para negociar sua porcentagem de incentivo e aderirem à nova lei, para que não fiquem com passivo dos últimos anos”, reforça.

De acordo com o governo do Estado, após as negociações com os setores produtivos, as alíquotas aplicadas serão analisadas pelo Conselho Deliberativo dos Programas de Desenvolvimento do Estado de Mato Grosso (Condeprodemat), em reunião marcada para esta sexta-feira (6), no Palácio Paiaguás.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA