Policial

Dois homens são presos com 18 dinamites e rolo de cordel detonante em Várzea Grande

Publicados

em

JB News

O agrupamento Força tática da Polícia Militar de MT prendeu neste sábado 23, I.P.M. (20 anos) e I.W.M. (22) suspeitos de vender artefatos explosivos em Várzea Grande. Os homens tinham um rolo de cordel detonante e 18 emulsões de dinamite.

Policiais da 15ª Companhia de Força Tática receberam denúncia de que os envolvidos estariam vendendo os artefatos em um Hyundai HB20 preto, na Avenida da Feb. Os suspeitos tentaram fugir da abordagem policial, mas acabaram batendo o carro em uma calçada.

No interior do automóvel os militares encontraram um rolo de cordel detonante e I.W.M. confessou que em sua casa, no bairro Parque do Lago, teria mais dinamite escondida. No local, foram apreendidas as 18 emulsões de dinamite.

O Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foi acionado e fez a retirada adequada dos artefatos explosivos do imóvel.

Durante a prisão dos suspeitos, a polícia constatou a existência de um mandado de prisão em aberto contra I.W.M. Já I.P.M possui antecedentes criminais por crimes de roubo e furto.

Leia Também:  Lucimar Campos confirma pagamento de salários injeta 100 milhões em VG e cobra pacto federativo urgente

Os suspeitos foram entregues à Central de Flagrantes.

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado, sem precisar se identificar, por meio do disque-denúncia 0800.65.3939. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. Exemplos: a presença de foragidos da Justiça com mandado de prisão em aberto e ponto de venda de droga.

Com informações da secretaria de segurança de MT.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Sérgio Moro autoriza uso da Força Nacional na fronteira de Mato Grosso com a Bolívia

Publicados

em

JB News
Com Informações da Assessoria

Pedido foi formulado
pelo senador Wellington Fagundes durante reunião do Bloco Parlamentar Vanguarda, da qual é líder

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, autorizou nesta terça-feira,
3, o emprego da Força Nacional de Segurança Pública em apoio à Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública, nas ações de Polícia Judiciária, no combate à criminalidade organizada na região de fronteira de Mato Grosso. A
medida atende um pedido formulado ainda no mês de junho pelo senador Wellington Fagundes (PL-MT), durante reunião do Bloco Parlamentar Vanguarda.

De acordo com a portaria publicada na edição do Diário
Oficial da União, também será implementado o Programa VIGIA, em caráter episódico e planejado, pelo prazo de 180 dias. O programa é uma parceria entre o Ministério da Justiça e Segurança Pública e Ministério da Defesa visa a capacitação para policiais federais,
civis e militares que atuam nas fronteiras do país.

Entre as linhas de atuação do programa estão operações
integradas; aquisição de equipamentos; capacitações e bases operacionais com integração de sistemas. “O objetivo é aumentar a fiscalização e a repressão contra os crimes transfronteiriços, como contrabando, tráfico de drogas, armas e munições, que é o que
mais estamos precisando neste momento” – disse o senador.

Leia Também:  Polícia Civil realiza prisão de 3 pessoas envolvidas em tráfico no município de Nortelândia

Em Mato Grosso, são mais de 720 quilômetros de divisa
seca e mais de 200 quilômetros de divisa por água. “Ou seja, 900 quilômetros de divisa, extremamente vulnerável” – disse o senador.

Ao anunciar a iniciativa, Fagundes lembrou que há muito
a bancada federal vem lutando para impor uma vigilância mais eficiente na fronteira de Mato Grosso. “E ao agir nessa direção, pelo fortalecimento da segurança na nossa fronteira, em verdade, estamos buscando paz e segurança não apenas para a população das
cidades de Mato Grosso, mas, sobretudo, atacando de maneira direta a bandidagem que teima em tomar conta do Brasil, através do tráfico de drogas e de armas e munição” – disse.

Na conversa com o ministro Sérgio Moro, em junho passado,
acompanhado pelo senador Jayme Campos, Fagundes mostrou ao ministro a situação de abandono da faixa de fronteira em Mato Grosso. Destacou que a fronteira do Estado têm sido um caminho aberto para entrada de armas ilegais, e do contrabando, além, do tráfico
de drogas – crime que, segundo ele, “tem destruído nossa juventude e as famílias brasileiras”.

Leia Também:  Cinema de MT estreia em 2 festivais nacionais este mês

Plano Integrado de Desenvolvimento

Além de atacar a criminalidade, Wellington Fagundes afirmou
que se faz necessário seguir trabalhando na defesa da implantação de um projeto integrado de ocupação da faixa de fronteira. “Inclusive – ele explicou – para gerar desenvolvimento, oportunidades e emprego”. O senador do PL de Mato Grosso defendeu a regularização
fundiária e investimentos em políticas públicas de atendimento específico às necessidades locais, dos municípios.

Fagundes atuou no ano passado como relator setorial de
Orçamento de Justiça e Defesa. “Esperamos que esse trabalho da Força Nacional seja uma investidura para uma atuação mais efetiva das nossas forças de segurança nessa importante região brasileira” – acentuou.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA