topo.jpg
Quinta-feira - 17 de Outubro de 2019
 
MEIO AMBIENTE - 16/07/2019 - 14:39
 
Judiciário determina interdição de indústria de calcário por danos ao meio ambiente a pedido do MPMT
 
   
   
 

 

 


A pedido da 1ª Promotoria de Justiça Criminal de Nobres (a 146km de Cuiabá), a justiça determinou imediata interdição do funcionamento dos setores industriais da Empresa de Mineração Aripuanã Ltda (Emal), por danos causados ao meio ambiente, até que sejam instalados sistema de controle adequado ou filtros para evitar o lançamento de emissões e resíduos tóxicos. A decisão em caráter liminar é de 11 de julho, e estabelece ainda que sejam restritos e suspensos, respectivamente, incentivos, benefícios fiscais e linhas de financiamentos em bancos oficiais em favor da requerida, bem como que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) fiscalize o cumprimento da mesma.


De acordo com a Vara Única de Nobres, o descumprimento da decisão acarretará em multa diária no valor de R$ 10 mil, limitada a R$ 1 milhão. Conforme manifestação da promotora de Justiça Rhyzea Lúcia Cavalcanti de Morais, a ação civil pública de responsabilidade por danos causados ao meio ambiente foi proposta no ano de 1989, em face a diversas indústrias de calcário ao redor no município, especificamente quanto à poluição atmosférica e sonora. Na audiência de conciliação realizada em outubro de 2018, foi determinado o desmembramento do feito original em processos autônomos, sendo um para cada requerido.


Segundo a promotora, a Empresa de Mineração Aripuanã Ltda vem reiteradamente poluindo e prejudicando o meio ambiente há mais de 30 anos. “Os mesmos prejuízos ao meio ambiente são suportados, sendo eles evidentes por qualquer pessoa que passe pelas imediações da indústria não precisando ser especialista para verificar o grave estrago de poluição atmosférica provocado pela empresa”, argumentou, reforçando que a emissão da poeira calcária é tanta, que pode ser visualizada a longa distância, encobrindo toda a vegetação ao redor e causando danos à saúde da população.


Danos – A promotora de Justiça reforçou na manifestação que a atividade de mineração é uma das mais antigas do mundo, sendo referência no desenvolvimento econômico e atualmente importante para a indústria de cimentos e de corretivos agrícolas. “Todavia, trata-se de uma atividade antrópica, potencialmente degradadora do meio ambiente, sendo necessário equalizar o desenvolvimento econômico e a preservação do meio ambiente natural visando propiciar uma melhor qualidade de vida para a população e caminhar na lógica do desenvolvimento sustentável”, ponderou.


Para Rhyzea de Morais, a forma como a empresa requerida vem desenvolvendo suas atividades é prejudicial ao meio ambiente, à sociedade nobrense e aos trabalhadores da indústria. “A atividade de exploração de calcário realizada pela requerida, como na maior parte das minas de calcário no mundo, é lavrada a céu aberto, como forma de reduzir custos. Nessas condições, há uma precipitação de uma poeira sílica (branca e espessa) que cobre casas, vegetações e estradas, além contaminar rios e córregos. Ademais, essas partículas suspensas causam sérios riscos à saúde, podendo provocar na população e trabalhadores expostos doenças como fibrose pulmonar irreversível, além de outros problemas respiratórios”, destacou.



 
   
COMENTAR NOTÍCIA
VER COMENTÁRIOS
 
 
 
14/10/2019  - Ampa prevê manutenção na área de algodão em Mato Grosso na safra 2019/20
13/10/2019  - Prefeitura de São Félix inaugura pavimentação e o novo hospital municipal
10/10/2019  - A solução para dívidas de produtores rurais
09/10/2019  - Cultura do algodão faz parte dos debates do 4º Congresso Nacional das Mulheres do Agro
06/10/2019  - Lesões na virilha
 
Untitled Document
 
DESTAQUES
Emergencial e Fechada
16/10/2019
Mauro Mendes e Energisa debatem redução no ICMS na energia
 
 
DESTAQUES
Nesta Quinta e Sexta-Feira
16/10/2019
Cáceres recebe Colégio de presidentes e delegados do sistema OAB-MT
 
 
ECONOMIA
15%
15/10/2019
Municípios serão contemplados com o leilão do pré-sal
 
 
DESTAQUES
Recrutamento
15/10/2019
Quatro novos defensores públicos tomam posse esta semana
 
 
ECONOMIA
Fim do Prazo
14/10/2019
Mutirão Fiscal de Várzea Grande entra na reta final e vai até o dia 18
 
 
CIDADES
Infraestrutura
13/10/2019
Prefeitura de São Félix inaugura pavimentação e o novo hospital municipal
 
 
DESTAQUES
Desafio
11/10/2019
Inscrições para os maiores devoradores de hambúrgueres estão abertas
 
 
EDUCAÇÃO
6,8 Milhões
10/10/2019
Seduc repassa 7ª parcela do transporte escolar aos municípios
 
 
AGRONEGÓCIO
DINEPEC
09/10/2019
Dia de Negócios da Pecuária reunirá 5 mil pessoas em Cuiabá
 
 
ECONOMIA
Produção Rural
08/10/2019
Governo de MT consegue aporte de R$ 460 milhões para FCO Rural
 
 
MUNDO JURÍDICO
Pionerismo
07/10/2019
MPMT celebra 1º acordo de não persecução penal na Justiça Militar
 
 
GASTRONÔMIA
Com Degustação
04/10/2019
Semana Nacional da Carne Suína realizará oficina gastronômica gratuita em Cuiabá
 
rodape.jpg
Próximo Ciclo  
Ampa prevê manutenção na área de algodão em Mato Grosso na safra 2019/20
 
Infraestrutura  
Prefeitura de São Félix inaugura pavimentação e o novo hospital municipal
 
Posicionamento  
A solução para dívidas de produtores rurais
 
Em São Paulo  
Cultura do algodão faz parte dos debates do 4º Congresso Nacional das Mulheres do Agro
 
Tratamento  
Lesões na virilha
 
MP 884/19  
Câmara acaba com prazo para inscrição no Cadastro Ambiental Rural
 
Infecção  
Excesso de antibióticos pode causar sepse e levar até a morte alerta infectologista
 
Qualidade e Precisão  
Cuiabá conta com novo serviço de Hemodinâmica
 
Levantamento  
Uma história de Maria
 
Formação  
Fundação André e Lucia Maggi vai oferecer bolsas para curso de Agrocomputação da Fatec Senai MT