topo.jpg
Terça-feira - 20 de Agosto de 2019
 
ARTIGO - 11/06/2019 - 14:41
 
Construindo cidades sustentáveis
 
   
   
 

 

 

Eduardo Chiletto

 

Estamos em plena 4ª Revolução Industrial, marcada pela convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas, por robôs integrados em sistemas ciberfísicos. A revolução tecnológica que está transformando a forma como vivemos, trabalhamos e nos relacionamos. Um momento de repensar as cidades como lugares para proteger e melhorar a vida das pessoas.

 

No mês em que tanto se fala tanto em meio ambiente, é prioritário lembrar que somos parte desse meio e dessa revolução. Por isso, é fundamental promovermos em Mato Grosso uma melhor interlocução tecnológica-cultural entre os 141 municípios, de modo a estimular experiências de urbanização exitosas no enfrentamento à pobreza e no modo como as cidades se desenvolverão espacial e economicamente, para atender os desafios do desenvolvimento urbano sustentável.

 

Somos um Estado rico, onde o PIB (produto interno bruto) cresce em um ritmo acima da média nacional e mesmo mundial. Mas, mesmo em um contexto de crescimento, existem municípios extremamente pobres e abandonados; ao passo que outros que são referência em desenvolvimento. Também temos 65% da população vivendo em áreas urbanas, percentual maior que a média mundial de 54%, conforme a ONU.

 

O lado preocupante é que o êxodo rural aumenta significativamente a cada ano. Em 2050, estima-se que 70% da população global viverão em área urbana. Então, nossas cidades estão enfrentando mudanças demográficas, ambientais, econômicas, sociais e diversos desafios espaciais. Sempre enfrentaram, porém, a partir da década de 1930, tudo isso passou a ser mais acentuado e divergente.

 

Um exemplo é que dentre os consórcios intermunicipais de Mato Grosso há uma realidade muito distinta. Enquanto na região sul, nos 11 municípios integrantes, 80% da população vive em área urbana, no Vale do Guaporé, região sudoeste, entre os oito municípios, apenas 54% dos cidadãos estão nas cidades. Se olharmos para densidade (habitante/quilômetro quadrado), a discrepância é maior.

 

No primeiro consórcio temos uma média de 9,21 hab/km2 e no segundo a taxa cai para 1,44 hab/km2. Neste contexto, como engajar autoridades locais, regionais, nacionais e internacionais, parceiros e comunidade para que tenhamos cidades sustentáveis e resilientes? Não podemos esquecer que esse conceito está ligado e alicerçado em como processos e tecnologias da quarta revolução industrial serão aplicados.

 

Uma agenda bem-sucedida requer parcerias entre todos os principais atores, assim como o engajamento com os principais atores locais. Um exemplo bem-sucedido vem sendo implantado no Estado pelo Comitê Gestor da Page (Partnership for Action on Green Economy), que conta com o engajamento da recém-criada e atuante Academia de Arquitetura e Urbanismo (AAU-MT).

 

A proposta é contribuir com a transformação equitativa e sustentável das estruturas econômicas. Na prática, estamos buscando, por meio de programas e ações já desenvolvidas pelos diversos atores, alcançar sustentabilidade ambiental com a criação de empregos decentes, redução da pobreza e a melhoria do bem-estar humano no território mato-grossense.

 

Partindo da percepção que os arquitetos e urbanistas possuem um papel estratégico no desenvolvimento econômico do país, estamos inseridos nessa missão com a tarefa de elaborar e implementar as políticas públicas a partir de uma perspectiva ampla e multidisciplinar.

 

O objetivo é melhorar significativamente a qualidade de vida de seus cidadãos, esverdeando a economia. Também queremos garantir que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) estejam disponíveis a todos. Assim, AAU-MT e Page seguem engajados em arquitetar e edificar ‘cidades melhores’ para termos uma ‘vida melhor’.

 

É sempre bom lembrar que não haverá mudanças se não trabalharmos em sinergia, todos juntos. Que tal começarmos agora? Vamos ampliar os conhecimentos sobre a economia verde e a sustentabilidade das nossas cidades?

 

Eduardo Chiletto, arquiteto e urbanista, presidente da AAU-MT, academia.arquitetura@gmail.comhttps://www.instagram.com/academiaarqurb/



   
COMENTAR NOTÍCIA
VER COMENTÁRIOS
 
 
 
09/08/2019  - A escala para o bem como propósito individual e de marca
08/08/2019  - Associação de Rondonópolis solicita abrigo para vítimas de violência doméstica contra a mulher
06/08/2019  - A inveja mata até o invejoso
26/07/2019  - Procuradoria do Município e Judiciário alinham ações para Mutirão Fiscal 2019
25/07/2019  - Prorrogado prazo para inscrições do Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal
 
Untitled Document
 
DESTAQUES
Em Nota
20/08/2019
Defensor público-geral diz que nunca fez ataques aos advogados ou à advocacia
 
 
POLICIA
Em Sorriso
17/08/2019
Réu é condenado a 22 anos e seis meses de prisão por matar ex-mulher com 27 facadas
 
 
DESTAQUES
Abuso de Autoridade
16/08/2019
CNPG manifesta sua preocupação com o avanço do Projeto de Lei sobre o Abuso de Autoridade
 
 
EDUCAÇÃO
Cuiabá
16/08/2019
Prefeito visita EMEB Santa Cecília para acompanhar o Projeto Garatuja
 
 
MUNDO JURÍDICO
Baixaria na Corte
15/08/2019
OAB-MT diz não aceita que o defensor meça a advocacia com a régua da Defensoria
 
 
POLICIA
Alto Paraguai
14/08/2019
Sargento da PM é denunciado por deixar vítima cega de um olho
 
 
MUNDO JURÍDICO
Estruturação
14/08/2019
MPE cobra melhorias para Politec em Alta Floresta
 
 
CIDADES
Em Cuiabá
13/08/2019
Sine oferece 86 vagas para esta semana
 
 
ESPORTES
Série B 2019
10/08/2019
Cuiabá recebe o São Bento na Arena Panatanl neste sábado
 
 
POLICIA
Em Cuiabá
09/08/2019
Militares são denunciados por comercializar materiais de uso obrigatório para alunos em curso de for
 
 
DESTAQUES
Improbidade
08/08/2019
Justiça determina indisponibilidade de bens de prefeito de Comodoro, secretárias e empresários
 
 
ESPORTES
Copa Verde 2019
07/08/2019
Mato-grossenses estreiam nesta quarta-feira fora de casa na 1ª fase
 
rodape.jpg
Negócios  
A escala para o bem como propósito individual e de marca
 
Proteção  
Associação de Rondonópolis solicita abrigo para vítimas de violência doméstica contra a mulher
 
Cobiça  
A inveja mata até o invejoso
 
Cuiabá  
Procuradoria do Município e Judiciário alinham ações para Mutirão Fiscal 2019
 
Até 22 de Agosto  
Prorrogado prazo para inscrições do Prêmio Nacional CFO de Saúde Bucal
 
Falêcia  
Dos crimes falimentares
 
Já Tramita na Câmara Federal em Brasilia  
Projeto que exige intérprete de Libras em locais de grande fluxo de pessoas
 
Perdas na Produção  
Vermes de solo acende o sinal de alerta em MT
 
Porto Esperidião  
Promotoria de Justiça notifica concessionária de água
 
Vaga para PcD  
Conselho Regional de Psicologia é alvo de denúncia no MPF