topo.jpg
Quinta-feira - 18 de Julho de 2019
 
AGRONEGÓCIO - 09/05/2019 - 10:22
 
Controle químico não deve ser única tática adotada para o combate ao bicudo-do-algodoeiro
 
   
   
 

 

 

Desde o final da safra 2014/2015 o IMAmt e os produtores de algodão de Mato Grosso realizam um projeto de controle efetivo do bicudo-do-algodoeiro.

 

O bicudo-do-algodoeiro é a principal praga da cultura do algodão e requer a atenção dos produtores rurais. Causador de queda acentuada de botões florais e abertura irregular dos capulhos, o inseto eleva a necessidade de aplicações de inseticidas e, consequentemente, os custos de produção, como na safra brasileira 2015/2016 quando as perdas somadas aos custos de controle registraram um valor médio de US$ 360 por hectare. Segundo especialistas, o controle químico não deve ser a única tática adotada para o controle do bicudo-do-algodoeiro.

O assunto é abordado na Circular Técnica 40 do IMAmt, publicada no mês de março de 2019, assinada pelos pesquisadores Dr. Jacob Crosariol Netto e Dr. Guilherme Gomes Rolim, além do coordenador de projetos e difusão do Instituto, Marcio Souza.

O elevado potencial do bicudo-do-algodoeiro como praga é decorrente do ataque às estruturas reprodutivas do algodoeiro, ocasionando queda acentuada de botões florais e abertura irregular dos capulhos. Conforme os especialistas do IMAmt, o controle químico não deve ser a única tática a ser adotada pelos produtores para combater a praga.

“Para maior sucesso no controle dessa praga, é necessária a adoção/realização de um conjunto de táticas que envolvem escolha correta de moléculas inseticidas, regulagem de equipamentos de aplicação, destruição efetiva de restos culturais (soqueiras/tigueras), monitoramento de populações durante o período da entressafra, entre outras. No entanto, a utilização dessas táticas de forma isolada em grandes áreas de cultivo surte poucos efeitos contra a população da praga”, afirmam os pesquisadores.

No final da safra 2014/2015 o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt), em parceria com produtores rurais, iniciaram um projeto de controle efetivo do bicudo-do-algodoeiro. A partir de então, grupos regionais denominados GTA (Grupo Técnico do Algodão) começaram a ser formados. “Cada grupo foi montado regionalmente, com intuito de entender as características de cada região, e, a partir disso, planejar e executar de forma conjunta ações regionais visando à redução populacional do bicudo-do-algodoeiro”, explicam os pesquisadores.

Inicialmente foram criados nove grupos localizados nas principais regiões produtoras de algodão em Mato Grosso. Cada grupo é composto por produtores, diretores e gerentes de fazendas, agrônomos, técnicos agrícolas, consultores e pesquisadores. “Além de tratarem das estratégias para o controle do bicudo-do-algodoeiro, os grupos também discutem sobre cultivares, doenças, plantas daninhas e outros tratos culturais importantes para a boa condução da lavoura, que são compartilhados entre os integrantes”.

Ainda de acordo com a Circular Técnica do IMAmt, o atual cenário possui componentes que contribuem para que a presença do bicudo-do-algodoeiro seja frequente, como a retirada de moléculas de alta eficiência de controle (como Endosulfan e Parationa Metílica) e redução da eficiência dos piretroides, por exemplo, bem como o crescente índice de adoção e desenvolvimento de novas cultivares resistentes a uma série de herbicidas, o que acarreta maior dificuldade no controle das soqueiras e tigueras de algodão. “Desta forma com o iminente crescimento das áreas de cultivo de algodão no Brasil, principalmente no cerrado, é de extrema importância a manutenção e a criação de novos grupos com o mesmo propósito”, concluem os pesquisadores do IMAmt.

Confira aqui a Circular Técnica do IMAmt nº 40/2019.

   
COMENTAR NOTÍCIA
VER COMENTÁRIOS
 
 
 
15/07/2019  - Vermes de solo acende o sinal de alerta em MT
11/07/2019  - Inteligência Artificial no mercado financeiro
11/07/2019  - Conselho Regional de Psicologia é alvo de denúncia no MPF
11/07/2019  - Promotoria de Justiça notifica concessionária de água
10/07/2019  - Obesidade é a nova vilã do combate ao câncer, alertam pesquisas
 
Untitled Document
 
POLICIA
Em Várzea Grande
18/07/2019
Homem vai registrar B.O por perca de documento e acaba preso
 
 
MEIO AMBIENTE
Nobres
16/07/2019
Judiciário determina interdição de indústria de calcário por danos ao meio ambiente a pedido do MPMT
 
 
MUNDO JURÍDICO
Propaganda Enganosa
16/07/2019
MPMT pede condenação de empresa ao pagamento de R$ 350 mil por dano moral coletivo em Sorriso
 
 
EDUCAÇÃO
Escolas em Contêineres
15/07/2019
Comissão de Educação da AL vistoria Escola Estadual Padre Firmo nesta terça
 
 
DESTAQUES
Mandado de Segurança
14/07/2019
TJ defere liminar e determina retomada de inquérito pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa
 
 
DESTAQUES
Improbidade
11/07/2019
Justiça decreta indisponibilidade de bens de prefeito de Comodoro
 
 
ECONOMIA
Benefícios Fiscais
10/07/2019
Setor do comércio vê avanços nas negociações com o governo estadual
 
 
DESTAQUES
Cuiabá
09/07/2019
Abertas as inscrições ao processo seletivo para escolha dos candidatos a conselheiros tutelares
 
 
DESTAQUES
Nesta Segunda-Feira
08/07/2019
Carretas batem e pegam fogo na Serra de São Vicente
 
 
DESTAQUES
Itiquira
08/07/2019
Servidores comissionados são exonerados após suspeita de nepotismo indireto
 
 
DESTAQUES
Injúria, Desacato e Ameaça
05/07/2019
Servidores do Detran-MT são agredidos por proprietário com veículo irregular
 
 
DESTAQUES
Mato-grossense – 2ª divisão
05/07/2019
Recheado de jogadores conhecidos dos torcedores, certame começa neste domingo
 
rodape.jpg
Perdas na Produção  
Vermes de solo acende o sinal de alerta em MT
 
Porto Esperidião  
Promotoria de Justiça notifica concessionária de água
 
Vaga para PcD  
Conselho Regional de Psicologia é alvo de denúncia no MPF
 
Hábitos de Consumo  
Inteligência Artificial no mercado financeiro
 
Benefícios Fiscais  
Setor do comércio vê avanços nas negociações com o governo estadual
 
Fator de Risco  
Obesidade é a nova vilã do combate ao câncer, alertam pesquisas
 
Regularização Fundiária  
Decreto regulamenta nova modalidade de concessão de títulos em MT
 
Meditando  
Tempos Modernos
 
Mercado Global  
Sistema que controla produção de madeira nativa de Mato Grosso terá padrões europeus
 
Perspectivas do Agronegócio  
“Não há precedente histórico no mundo para o caso da China e a peste suína africana”,