topo.jpg
Sexta-feira - 24 de Maio de 2019
 
ARTIGO - 12/03/2019 - 09:00
 
A cruel ruína de reputações
 
   
   
 

 

 

Vinícius Segatto*

 

Sobre ela muito se fala, mas pouco se discute com consciência. O substantivo feminino em foco refere-se ao prestígio, isto é, ao conceito de reconhecimento. Cada indivíduo possui sua carga de reputação: seja através da sua imagem, do seu nome, da sua história, das suas origens ou das suas essências.

 

Diante disso, no intento de preservar a liberdade, a igualdade e a dignidade atreladas a esse renome pessoal, resguardando os valores essenciais de convivência humanitária, a Constituição Federal de 1988 consagrou expressamente o princípio da presunção de inocência, através do artigo 5ª, LVII que consigna: “ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória”.

 

Além, a Carta Magna quis impedir, por exemplo, a consideração da pessoa como culpada antes mesmo de ser provada a sua culpabilidade, protegendo-a de eventuais pré-julgamentos que, erradamente propagandeados, hostilizam de modo severo sua vida pessoal, social e moral.

 

Sobrevém que, atualmente, a presunção de inocência é colocada em prática da maneira inversa, de modo que o sujeito é apontado como culpado, até que se prove o contrário, por vezes ainda antes das efetivas investigações, baseado apenas em meras informações midiáticas.

 

A publicidade desenfreada de matérias criminais, com ampla divulgação de dados dos investigados, não só reflete de modo negativo na reputação dessas pessoas, mas influi diretamente na averiguação dos fatos e, também, em seu condigno julgamento.

 

Há uma formação geral de convencimento persuadido que, se não impossibilita, praticamente massacra a esperança de um investigado arguir suas razões para se defender de uma acusação. Entre várias dessas situações que ocorrem corriqueiramente em nosso Estado, cita-se o caso de quatro funcionários estaduais indiciados por supostamente participarem de esquema de emissão de cartas de crédito.

 

Estes servidores foram denunciados em 2016, com seus nomes amplamente divulgados pelos meios de comunicação e, três anos depois, o Tribunal de Justiça rejeitou a denúncia formulada pelo Ministério Público em relação a estes funcionários.

 

Isto é, durante esse longo período houve irrestrita divulgação dos seus nomes e das suas vidas íntimas, sendo amplamente expostos a diversas opiniões, dissabores e até mesmo a situações vergonhosas que custosamente serão reparadas.

 

Assim, a reputação é calculada através de uma matemática bem desproporcional: a divulgação de supostos crimes ou de ações batizadas de “escândalos” se dá forma generalizada, constante e por inúmeros meios. A demonstração de inocência é voz calada, desrespeitada e solitária que não se propaga com o mesmo efeito.

 

É preciso que haja cautela e proporcionalidade ou retornaremos ao modelo inquisitorial da Idade Média e à prática do ancien regime contra a liberdade das pessoas, numa estrutura de Processo Penal em que se parte da culpa para posteriormente demonstrar, se for o caso, a sua ausência.

 

*Vinícius Segatto é advogado, pós-graduado em Direito Constitucional, Direito Eleitoral e Improbidade Administrativa, pós-graduando em Direito Penal e Processo Penal, membro do Instituto Brasileiro de Ciências Criminais e da Comissão de Direito Penal e Processo Penal da OAB-MT

--
   
COMENTAR NOTÍCIA
VER COMENTÁRIOS
 
 
 
22/05/2019  - Resultados de pesquisas com uso de biológicos para controle de pragas e doenças na agricultura
20/05/2019  - Gestão participativa é aprovada durante reunião promovida em Juína
09/05/2019  - Controle químico não deve ser única tática adotada para o combate ao bicudo-do-algodoeiro
07/05/2019  - Código de Terras de Mato Grosso sofre primeira mudança
07/05/2019  - Culinária regional é uma das atrações de turistas que visitam Mato Grosso
 
Untitled Document
 
DESTAQUES
Itiquira
24/05/2019
MP manda Câmara Municipal implementar ponto eletrônico em 60 dias
 
 
POLÍTICA
Explicações ao Parlamento
23/05/2019
AL convoca chefe do MPE para explicar proibição de reajuste aos servidores de MT
 
 
ESPORTES
Amistoso
23/05/2019
Arena Pantanal receberá Desafio Centro-Norte de futebol americano
 
 
POLICIA
Tribunal do Júri
22/05/2019
Réu confesso por matar ex-namorada será julgadodia 23 em Cuiabá
 
 
DESTAQUES
Método ABA
22/05/2019
TAC prevê capacitação para atendimento a crianças e adolescentes com Transtorno do Espectro Autista
 
 
DESTAQUES
Em Cuiabá
21/05/2019
Advogado civilista e auxiliar jurídico estão entre vagas do Sine desta semana; confira
 
 
DESTAQUES
Apoio Institucional
20/05/2019
Gestão participativa é aprovada durante reunião promovida em Juína
 
 
ECONOMIA
Mercado Agriculoa
17/05/2019
Feira agrícola que movimenta Oeste de Mato Grosso é aberta
 
 
DESTAQUES
Sem Alvará
14/05/2019
MPMT recomenda regularização de prédio da Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça
 
 
DESTAQUES
Em Cuiabá
12/05/2019
MPMT quer ampliar pena de 10 anos aplicada a réu por tentativa de homicídio
 
 
DESTAQUES
Funcionalismo Público
10/05/2019
Dep. João Batista convoca Audiência Pública na ALMT para debater o fechamento das Cadeias Públicas
 
 
DESTAQUES
Cuiabá
09/05/2019
Prefeito entrega 461 títulos definitivos e todo o bairro Praeirinho estará regularizado
 
rodape.jpg
Contra as Pragas  
Resultados de pesquisas com uso de biológicos para controle de pragas e doenças na agricultura
 
Apoio Institucional  
Gestão participativa é aprovada durante reunião promovida em Juína
 
Praga na Lavoura  
Controle químico não deve ser única tática adotada para o combate ao bicudo-do-algodoeiro
 
Cuiabá  
Sine oferece mais de 150 vagas para esta semana
 
Turismo Gastronômico  
Culinária regional é uma das atrações de turistas que visitam Mato Grosso
 
Em 40 Anos  
Código de Terras de Mato Grosso sofre primeira mudança
 
Mercado  
Centro-Oeste apresenta aumento nas vendas em abril
 
Cine Teatro Cuiabá  
Programação de maio conta com shows de música, de humor e infantil
 
Benefícios à Saúde  
Os benefícios de comprar frutas, verduras e legumes da estação
 
Reunião  
MPMT reivindica do Estado construção de Centros Socioeducativos