Arquivos JB News 10 Anos

Cuiabá registra primeira queda do endividamento das famílias no ano

Publicados

em

 

Cuiabá registra em setembro primeira queda do endividamento das famílias no ano

O consumo de forma parcelada das famílias em Cuiabá registrou o primeiro recuo no ano no mês de setembro. São 124,8 mil famílias endividadas atualmente, segundo a Pesquisa de Endividamento e inadimplência do Consumidor (Peic), realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) e divulgada nesta sexta-feira (04), pela Fecomércio-MT.

 

De acordo com a pesquisa, observou-se uma queda de 1,6% na sua variação mensal, quando 126,7 mil famílias se encontravam nessa condição em agosto. Já no primeiro mês do ano, eram 112,6 mil famílias endividadas. O aumento verificado neste período, em números absolutos, foi de 10,8%.

 

O cartão de crédito lidera como principal tipo de dívida das famílias na capital (71,2%). Os carnês aparecem em segundo, com 37,1%, e, em seguida, os créditos consignados (8%) e pessoal (7,6%). Na comparação com janeiro, o cartão foi o que apresentou maior crescimento no período, registrando 66,4% na época.

Leia Também:  Luverdense se reapresenta para enfrentar o Boa Esporte

 

Inadimplência

 

Do total de endividados, a Peic atual revelou que menos da metade (55.159 mil) estão com contas em atraso, ficando assim, inadimplentes. Desses – inadimplentes –, 29,2 mil não terão condições de pagá-las no próximo mês. Nota-se uma redução de 11,8% sobre o mês anterior para as famílias que declararam estar com contas em atraso e de 6,1% nas que afirmaram não ter condições de pagá-las.

 

Apesar de oscilar durante o ano, o percentual das famílias que se declararam inadimplentes diminuiu na comparação com janeiro de 2019, apresentando um recuo de 4,4% para as que possuíam contas em atraso e de 24,3% para as que não teriam condições de pagar as contas parceladas.

 

Tempo endividado

 

Em relação ao tempo comprometido com dívidas, as famílias da capital mato-grossense passam, em média, 7,6 meses atreladas a uma dívida parcelada. No entanto, a maioria das famílias entrevistadas (30,2%) alegaram que possuem dívidas parceladas por mais de um ano. Em janeiro, o tempo comprometido com dívida era pouco menor, de 7,4 meses.

Leia Também:  Jogos de sábado na Arena serão antecipados em meia hora

 

Já sobre a parcela da renda comprometida, a Peic de setembro revela que o comprometimento médio da renda está em 23%, pouco maior do que o verificado no mês anterior (22,8%) e bem acima do registrado em janeiro (14,9%). O aumento mostra que as famílias recuperaram, no período de nove meses, seu poder de compra.

COMENTE ABAIXO:

Arquivos JB News 10 Anos

Kalil Baracat cobra melhorias na pavimentação de bairros

Publicados

em

Por

 

O vereador por Várzea Grande, Kalil Sarat Baracat de Arruda apresentou duas indicações que visam melhorias na pavimentação asfáltica de dois bairros da cidade.

Sua primeira indicação solicita do Poder Executivo Municipal junto à Secretaria de Infraestrutura a necessidade de serviços de tapa buracos e reparos na pavimentação asfáltica nas ruas do bairro Jardim Novo Horizonte, em sua totalidade.

Segundo Kalil a proposta é urgente e visa à realização de “tapa buracos” e reparos na pavimentação asfáltica.

“As ruas do bairro em questão encontram-se totalmente esburacadas, quase sem condições de tráfego, provocando pequenas colisões e avarias nos veículos dos que por ali transitam. É tamanha a calamidade em que se encontram as vias que não é possível especificar onde e quão grandes são os buracos. Atender à solicitação daquela comunidade é cumprir com o dever social e zelar pelo bem público e pelos munícipes”, explica o vereador.

Os moradores do bairro Jardim Potiguar também vem passando pelo mesmo problema e dessa forma, Kalil também indicou a necessidade de serviços de tapa buracos e reparos na pavimentação asfáltica em todas as ruas do bairro.

Leia Também:  Parentes e Novo Horizonte disputam final do Campeonato Amador

“ As ruas Jardim Potiguar estão cheias de buracos com o aumento do fluxo de veículos pela região devido aos desvios das obras da Copa, quase que sem condições de tráfego. Além da falta de conforto e segurança, os buracos deixam o bairro com aspecto feio e mal cuidado desvalorizando os imóveis construídos ali. Dezenas de colisões com prejuízos financeiros e lesões físicas são registradas todos os dias naquele local”, disse Kalil Baracat.

 

Michelle Carla Costa

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA