Economia

Crescimento do mercado imobiliário deve continuar em 2021

Publicados

em

Qualidade de vida passou a ser fator decisivo para os consumidores, que adotaram novos hábitos de lazer com o isolamento social

 

A experiência de ficar em casa para diminuir a intensidade da proliferação do novo coronavírus fez com que o lar ganhasse ainda mais importância. A qualidade de vida passou a ser fundamental para quem estava procurando um imóvel para comprar. Outras famílias, mesmo durante a pandemia, preferiram trocar o apartamento pequeno e funcional para um lugar onde pudessem ficar bem acolhidas e com opções de lazer.

Dados da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) apontaram que a crise econômica deste ano, embora tenha diminuído em quase 30% os lançamentos de novos condomínios horizontais ou verticais, não prejudicou o interesse do consumidor. As vendas de imóveis registraram um aumento de 8,4% por cento no primeiro trimestre de 2020, comparado com o mesmo período de 2019.

Na visão do diretor da Ginco, Julio Braz, mesmo com menos empreendimentos disponíveis, há uma tendência de que as vendas continuem em alta devido a dois fatores. A pandemia ainda não acabou e há uma possível segunda onda, então as famílias continuarão buscando boas opções de moradia. Outro fator é que com a instabilidade da economia, investir em imóveis é sempre uma aposta segura.

Leia Também:  “O Governo investe na construção de 27 km de dutos de gás e vai garantir fornecimento para indústria”, afirma presidente da MT Gás

“Existe a possibilidade de uma segunda onda da doença, então a pessoa sabe que mais cedo ou mais tarde ela vai viver uma coisa parecida de novo. Então está todo mundo tentando se organizar. E outra coisa é porque hoje o dinheiro no banco não rende nada. Então é uma possibilidade de fazer um pequeno investimento”, pontuou Braz.

Em Mato Grosso, com a perspectiva de crescimento nas vendas, a tendência é que é que as os lotes residenciais e imóveis disponíveis durem pelo menos dez meses. Ou seja, sem novos lançamentos, a disponibilidade de ofertas se esgotam dentro deste período. Em tempos normais, número chega aos 15 meses.

De acordo com Braz, outro fator que influencia é o ciclo dos negócios. Para que um novo empreendimento seja construído, são pelo menos cinco anos entre projeto, aprovação, lançamento, construção e todo o planejamento para execução do residencial.

“Pelas minhas contas vamos ter um vácuo de aproximadamente dois anos para reequilibrar e ter mais estabilidade entre a oferta e a procura. Quando não tem empreendimento pronto, as pessoas começam a comprar de terceiros. Se não temos lotes, consumidores vão procurar outras pessoas, que colocam um preço mais alto e isso tudo inflaciona o mercado”, relatou.

Leia Também:  Detran-MT alerta para golpe de venda de CNHs falsas

Novos conceitos em moradia

Para os próximos dois anos, serão entregues pela Ginco o Florais do Parque, no Jardim Itália, e o Florais Chapada, na saída de Cuiabá. Eles devem ser entregues em 2021 e 2022, respectivamente.

No entanto, a construtora planeja lançamentos de condomínios horizontais com conceitos diferenciados, ainda não vistos no estado.

A proposta da Ginco para 2021 é lançar não somente um produto, mas um bairro completo, com vias planejadas, comércio, empreendimentos, áreas verde e de lazer. “Este novo conceito faz parte de um programa arrojado de estruturação urbana e que vai ao encontro do crescimento natural da cidade”, finaliza Braz.

Dialum

COMENTE ABAIXO:

Economia

Governo de MT firma cooperação para facilitar parcerias comerciais com a China

Publicados

em

Governador Mauro Mendes assinou protocolo de intenções com o Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina), com objetivo de facilitar parcerias para promoção comercial, atração de investimentos e fomento da política internacional

Por Carol Sanford

Com informações Secom-MT

Assinatura do Protocolo de Intenções entre Governo do Estado e Ibrachina – Foto por: Tchélo Figueiredo – SECOM/MT

O Governo de Mato Grosso firmou nesta quarta-feira (20.01) o marco de cooperação com o Instituto Sociocultural Brasil-China (Ibrachina) com o objetivo de facilitar parcerias para promoção comercial, atração de investimentos e fomento de iniciativas para o desenvolvimento econômico, educação, cultura e ciência e tecnologia entre o Estado e a China.

O governador Mauro Mendes assinou o protocolo de intenções com o instituto, destacando que o país asiático é o principal mercado para os produtos mato-grossenses, principalmente, diante do crescimento econômico da China.

“A China é o principal parceiro comercial de Mato Grosso nos últimos onze anos e justamente por isso, essas relações institucionais são tão importantes. Temos grande capacidade de continuar crescendo, principalmente, no setor da produção de alimentos, que pode ser dobrada nos próximos anos, e vejo na China a maior oportunidade que Mato Grosso tem de ampliar suas exportações e de gerar emprego e renda”, afirmou Mauro Mendes.

Leia Também:  “O Governo investe na construção de 27 km de dutos de gás e vai garantir fornecimento para indústria”, afirma presidente da MT Gás

O diretor-presidente do Ibrachina, Thomas Law, participou da solenidade por videoconferência e afirmou que o país tem grande interesse em estreitar as relações econômicas, educacionais e culturais e que a intenção do instituto é aprimorar essas iniciativas junto ao Governo de Mato Grosso.

“Posso garantir que nos empenharemos ao máximo para fazer o melhor possível para criar esse programa de valorização com a China, para que Mato Grosso torne-se uma referência para os países asiáticos”, asseverou Thomas Law.

Além do governador e do representante do instituto, também assinaram o protocolo o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cesar Miranda, e deputados estaduais.

“É mais um passo na política internacional desenvolvida pelo Governo de Mato Grosso, pois agora temos um importante parceiro, que vai nos aproximar culturalmente e comercialmente da China, trazendo ainda mais investimentos e melhorando a economia do Estado”, destacou Cesar Miranda.

Participaram da solenidade os secretários de Estado Alberto Machado (Cultura, Esporte e Lazer), Alan Porto (Educação), Nilton Borgato (Ciência, Tecnologia Inovação) e Walter Valverde (adjunto de Investimentos e Negócios da Sedec). Além do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso, Leonardo Campos, e outros representantes do Ibrachina, da OAB e da Assembleia Legislativa.

Leia Também:  Detran-MT alerta para golpe de venda de CNHs falsas

Protocolo de intenções

O Ibrachina tem como foco a promoção e integração entre a cultura jurídica brasileira e chinesa por meio da tradução e divulgação de documentos, possuindo grande expertise nas relações jurídicas e de comércio exterior com a China. O Instituto promove palestras, debates e workshops promovendo o intercâmbio de conhecimento e cultura, bem como estabelecendo oportunidades de firmamento de parcerias. O Ibrachina integra a Frente Parlamentar Brasil China e a Frente Parlamentar BRICS nacional e possui parcerias com várias universidades, institutos e entidades brasileiras.

A expertise jurídica e comercial do Instituto Sociocultural Brasil-China irá auxiliar o Estado de Mato Grosso no seu posicionamento firme no mercado chinês, apoiando as empresas mato-grossenses de forma consultiva na inserção ou consolidação em tal mercado igualmente pode ser útil para promover aproximações e parcerias nas áreas de educação, turismo, cultura, educação e tecnologia entre outras.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA