Eleições 2020

Com Mauro Mendes, DEM triplica número de prefeitos eleitos em Mato Grosso

Publicados

em

JB News 

Partido tinha eleito sete prefeitos em 2016 e a partir de 2021 comandará 25 prefeituras

O Democratas (DEM) de Mato Grosso conseguiu triplicar o número de prefeitos eleitos em Mato Grosso nas eleições municipais realizadas no último domingo (15.11).

Conforme as informações disponibilizadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o DEM elegeu 25 prefeitos em todo o estado e é o partido que mais emplacou prefeitos em Mato Grosso.Nas eleições de 2016, o partido havia conseguido conquistar sete prefeituras. Ou seja, com o governador Mauro Mendes, o DEM mais que triplicou o número de prefeitos eleitos.

“Estamos muito felizes com o resultado dessa eleição. Fomos o partido com maior número de prefeitos eleitos e isso mostra a força do partido, a força do nosso grupo político. E, em especial, a força da liderança do nosso governador Mauro Mendes, do nosso senador Jayme Campos, e dos nossos deputados estaduais Eduardo Botelho e Dilmar Dal Bosco”, afirmou o presidente do Diretório Estadual do Democratas, Fabio Garcia.

Desses 25 prefeitos, 11 já exerciam o cargo e foram reeleitos. Para Garcia, isso demonstra que os representantes municipais do Democratas, com o respaldo e apoio do governador, têm se empenhado em trazer bons resultados para a população mato-grossense.

Leia Também:  Emanuel pinheiro segue liderando e pode ser reeleito em instantes

“É uma grande felicidade não só eleger e reeleger prefeitos, mas termos o reconhecimento e apoio da administração séria do governador, que tem feito grandes investimentos nos municípios, além de fazer todos os repasses necessários literalmente em dia. Essa é a comprovação que estamos no caminho certo e que o Estado irá melhorar ainda mais, principalmente, com o programa Mais MT, pois os investimentos do Governo aumentarão muito mais nos próximos dois anos para”, completou.

Confira a lista de prefeitos do Democratas que foram eleitos em Mato Grosso:

  1. Alto Taquari – Marilda Sperandio
  2. Brasnorte – Edello Ferrari
  3. Campinápolis – Zé Bueno
  4. Canarana – Fábio Faria (reeleição)
  5. Carlinda – Carmen Martinez (reeleição)
  6. Guarantã do Norte – Érico Stevan (reeleição)
  7. Guiratinga – Barga Rosa
  8. Indiavaí – Sidney da Cêramica
  9. Ipiranga do Norte – Graxa
  10. Juara – Carlos Sirena (reeleição)
  11. Juruena – Manoel Garça Branca
  12. Juscimeira – Moises dos Santos (reeleição)
  13. Marcelândia – Celso Padovani
  14. Matupá – Fernando Zafonato
  15. Nossa Senhora do Livramento – Souza (reeleição)
  16. Nova Guarita – Zeca
  17. Nova Lacerda – Uilson Linguiça
  18. Nova Olímpia – José Elpídio (reeleição)
  19. Novo Santo Antônio – Adão Belchior (reeleição)
  20. Poconé – Tatá Amaral (reeleição)
  21. Querência – Fernando Gorgen (reeleição)
  22. Santo Afonso – Luis Fernando
  23. São José do Xingu – Dr. Sandro
  24. Torixoréu – Inês Coelho (reeleição)
  25. Vale de São Domingos – Geraldo Ramos (reeleição)
Leia Também:  Texto de Fávaro, aprovado no Senado, inclui novas categorias como prioridades para vacinação e atendimento

Crédito foto: Gazeta Digital

COMENTE ABAIXO:

Eleições 2020

Prazo para eleitor justificar ausência ao 2º turno termina hoje

Publicados

em

Por

ELEIÇÕES 2020

JB News

Por Denise Niederauer

Termina na nesta quinta-feira (28.01) o prazo de 60 dias para que o eleitor justifique a ausência às urnas nas localidades onde houve segundo turno para prefeito e vice-prefeito nas Eleições 2020.

 

O cidadão que não compareceu à urna deve apresentar justificativa fundamentada, com o motivo que o impediu de votar.

 

A justificativa pode ser apresentada nos cartórios eleitorais, pelo Sistema Justifica ou pelo aplicativo e-Título. O cidadão pode baixar o app no Google Play ou na App Store.

 

Devido às restrições impostas pela pandemia de Covid-19, muitos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) optaram pelo atendimento de maneira virtual, que também pode ser feito pela ferramenta Título Net, disponível no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A medida busca evitar aglomerações nos postos de atendimento da Justiça Eleitoral.

No dia 14 de janeiro encerrou o prazo para que o eleitor justificasse a ausência à urna no primeiro turno, realizado no dia 15 de novembro. De acordo com os dados do TSE, cerca de oito milhões de eleitores apresentaram justificativa por não comparecerem para votar no primeiro turno do pleito.

Leia Também:  Funcionamento da ALMT continua suspenso até o próximo 23 de abril

 

Como fazer:👇

A justificativa pode ser feita pelo Sistema Justifica, no qual o eleitor deve preencher o “requerimento de justificativa” e informar os dados pessoais exatamente como registrados no cadastro eleitoral, declarar a razão da ausência à urna e anexar documentação comprobatória digitalizada.

 

Com o campo preenchido corretamente, será gerado um código de protocolo para acompanhamento, que será transmitido à zona eleitoral a que o eleitor pertence, para que seja examinado pelo juiz competente.

O eleitor será notificado da decisão ou poderá consultar a situação também pelo Sistema Justifica.

No caso de justificativa presencial, o eleitor deve entregar o requerimento em qualquer cartório eleitoral ou enviar por via postal ao juiz da zona eleitoral na qual é inscrito. Além do formulário, deve apresentar documentação que comprove os motivos alegados para justificar a ausência.

Consequências:👇

Na última quinta-feira (21.01), o presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, suspendeu, por meio da Resolução TSE nº 23.637, as consequências previstas no artigo 7º do Código Eleitoral para os eleitores que deixaram de votar nas Eleições 2020 e não apresentaram justificativa eleitoral ou não pagaram a respectiva multa. A resolução deverá ainda ser referendada pelo Plenário do Tribunal após o recesso forense.

Leia Também:  PL que garante punição financeira a agressores de mulheres é aprovado na ALMT

 

A resolução suspendeu os seguintes efeitos: o impedimento de o eleitor obter passaporte ou carteira de identidade; inscrever-se em concurso ou prova para cargo ou função pública, e neles ser investido ou empossado; renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo; e receber remuneração de função ou emprego público.

A medida vale enquanto permanecer vigente o plantão extraordinário previsto pela Resolução TSE nº 23.615/2020 para prevenir o contágio pelo novo coronavírus.

Com informações do TSE

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA