Economia

Com alta da refeição, 65% dos trabalhadores já optam por marmita

Publicados

em

Com alta da refeição, 65% dos trabalhadores já optam por marmita
Redação Nova Imprensa

Com alta da refeição, 65% dos trabalhadores já optam por marmita

Em meio à alta dos preços, a marmita passou a ser a principal aliada dos trabalhadores que querem economizar. Uma pesquisa realizada pela Sodexo Benefícios e Incentivos mostra que 65% dos empregados preferem levar a comida pronta para o trabalho. E o resultado não é à toa: dados da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT) apontam que a refeição já custa em média R$ 40,64.

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

O levantamento da Sodexo entrevistou 3.931 pessoas em todo o país entre os dias 13 e 15 de julho. Do total de entrevistados, 17,22% ainda dizem preferir almoçar em restaurantes que oferecem ‘prato feito’, 14,68% costumam comer em restaurantes com comida por quilo, e 3%, em restaurantes à la carte.

Marmita já era opção antes da alta dos preços

Mesmo antes do avanço da inflação, cuja prévia acumula alta de 11,39% nos últimos 12 meses até julho, alguns brasileiros já preferiam levar marmita de casa para o trabalho. 

Leia Também:  Procon-SP: self-service teve alta de 23% desde janeiro de 2020

Ao todo, 33,15% dizem ter esse hábito por considerá-lo uma opção mais barata e 25,36%, por preferir comida caseira. Os que passaram a levar comida de casa após o avanço da inflação somam 22,82% dos entrevistados. Há ainda 18,67% que declararam que, mesmo com a alta dos preços, preferem comer em restaurante.

A pesquisa também mediu com que frequência os trabalhadores levam marmita para o trabalho: 51,72% responderam “sempre”; 20,63%, “de duas a três vezes por semana”; 20,27%, “nunca”; e apenas 7,38%, “uma vez por semana”.

Aos sábados (55,23%), sextas-feiras (43,27%) e segundas-feiras (27,04%), no entanto, os brasileiros preferem não levar comida de casa. Na sequência, aparecem as quartas-feiras (15,85%), quintas-feiras (14,83%) e terças-feiras (13,43%).

Mas quando se trata do lazer do final de semana, 43,28% afirmam que ainda continuam frequentando restaurantes, mas não como antes; 40,52% declaram que não frequentam mais restaurantes por não terem mais condições financeiras para isso, e 16,21%, que continuam frequentando restaurantes normalmente.

Leia Também:  Empresas travam disputa por MP do vale-refeição; entenda

Inflação encolhe vale-refeição

Para o diretor de Relações Institucionais e de Responsabilidade Corporativa da Sodexo Benefícios e Incentivos, Willian Tadeu Gil, vivemos um cenário inflacionário muito desafiador que atinge diretamente o setor de alimentos e, consequentemente, o bolso do trabalhador brasileiro.

Pesquisa anterior da Sodexo já havia mostrado que, com a inflação em alta, o vale-refeição tem durado em média 13 dias. Antes da pandemia, a duração média era de 18 dias.

“Por essa razão, é importante que as empresas se mantenham atentas ao cenário atual para ajustar sempre que necessário o valor do benefício aos seus colaboradores a fim de cobrir os dias úteis. É por meio dele que as pessoas encontram a oportunidade de manterem uma alimentação balanceada e de qualidade, condição para a manutenção da saúde e de sua boa produtividade”, diz Gil.

Segundo ele, no primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado, empresas de todos os portes aumentaram, em média, 4,20% o valor do crédito do vale-refeição e 8,82% do vale-alimentação de seus funcionários. Em ambos os casos, porém, o reajuste ficou abaixo da inflação em junho, que acelerou para 11,89% em 12 meses.

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:

Economia

10 dicas para se sair bem na dinâmica em grupo

Publicados

em

Por

10 dicas para se sair bem na dinâmica em grupo
Redação EdiCase

10 dicas para se sair bem na dinâmica em grupo

Saiba como se preparar para essa fase do processo seletivo

Por Eco Editorial

A dinâmica em grupo é a etapa do processo seletivo em que os candidatos interagem uns com os outros para desenvolver determinadas tarefas em equipe. Esse tipo de teste costuma ser muito cobrado, por isso, é fundamental estar preparado para ele. Confira a seguir 10 dicas para se sair bem e garantir uma vaga.

Invista na carreira profissional que você gosta

1. Conheça a empresa

Procure se informar sobre a empresa e a vaga antes de iniciar a dinâmica. Pode haver perguntas sobre isso.

2. Preste atenção ao vestuário

Procure descobrir como as pessoas nessa empresa se vestem. Na dúvida, opte por roupas clássicas.

3. Seja você

Não tente fingir o que você não é, buscando “acertar” qual é o perfil desejado para a vaga. Os profissionais da seleção costumam saber quando alguém está fingindo. Seja autêntico!

Leia Também:  Procon-SP: self-service teve alta de 23% desde janeiro de 2020

4. Fale o essencial

Não fale demais, tentando “roubar” o tempo dos outros ou interrompê-los o tempo todo. Mas também não fique quieto demais. Apresente e defenda as suas ideias.

Entenda a importância da inteligência emocional no trabalho

5. Faça parte do grupo

Participe ativamente das atividades em grupo, dando ideias e colaborando com os demais.

6. Cuidado com as gírias

Não use gírias e palavrões. Evite vícios de linguagem , como o excesso de gerúndio.

7. Escute com atenção

Para não repetir o que já foi dito, escute com atenção os demais candidatos.

8. Preste atenção na explicação do recrutador

Atente-se à explicação do recrutador. Há várias atividades que avaliam justamente a atenção do candidato.

Saiba como se comportar nas entrevistas e evite gafes

9. Seja pontual

Chegue 15 minutos antes do início da dinâmica.

10. Deixe a timidez de lado

Por mais que você seja tímido e não goste de participar de dinâmicas em grupo , entenda que em algum momento vai ter que passar por isso. Apenas faça o seu melhor e lute pela vaga desejada.

Leia Também:  Taxa de desemprego cai para 9,3% no segundo trimestre

Confira mais dicas de carreira na revista ‘Sim, você pode!’

Fonte: IG ECONOMIA

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA