Política Estadual

Campus da Unemat de Rondonópolis pode se chamar “Dom Juventino Kestering”

Publicados

em


Foto: JLSIQUEIRA / ALMT

O deputado estadual Delegado Claudinei (PSL) visitou as obras do campus da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), em Rondonópolis, na última sexta-feira (17), juntamente com a empresária do ramo imobiliário, Neusa Novais da Rocha – conhecida por Neuzinha, e a irmã Fátima Lima que é catequista franciscana. Na oportunidade, ele informou sobre o Projeto de Lei nº 496/2021 que propõe a inserção do nome de Dom Juventino Kestering à instituição pública de ensino.

“A irmã Fátima e a Neuzinha são duas grandes batalhadoras na realização de projetos sociais em benefício da igreja católica e da educação, fazendo um trabalho para fortalecer os estudos junto às escolas de caráter religioso. Em Mato Grosso, já são nove escolas. Estamos aqui, nas obras do futuro campus da Unemat, nosso projeto de lei é uma homenagem ao nosso saudoso, Dom Juventino, que foi nosso chefe da Igreja Católica, em Rondonópolis. Ele deixou um importante legado na região, com a evangelização e promoção de ações sociais”, diz o parlamentar.

Leia Também:  Call centers oferecerão chamada de vídeo para pessoas surdas

Projeto – O deputado explica que o projeto de lei está em fase de tramitação, e já foi aprovado na Comissão de Educação, Ciência, Tecnologia, Cultura e Desporto da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT). 

“Dom Juventino lutou pela educação junto com as escolas de cunho religioso, por mais de 20 anos. Infelizmente, ele faleceu este ano, devido as complicações da Covid-19 e, agora, estamos fazendo essa homenagem para que tenha o nome dele”, explica.

A irmã Fátima recebeu uma cópia da matéria das mãos do parlamentar. “Estamos muito gratas por essa homenagem e, assim dizer, que Dom Juventino é muito merecedor, pois ao chegar em Rondonópolis se colocou à serviço da vida, na educação e na fé. Não economizou sua vida. Em todos os momentos, ele se colocou nesse campo da missão da evangelização. Mas, também, ele se dedicou para todos e para a nossa juventude com tanto carinho. Então, ele tinha como dever, lutar pela educação. Ele se eternizará no chão de Rondonópolis”, declarou a catequista.   

Leia Também:  Deputado quer Programa de Percurso de Pacientes para portadores de neoplasia maligna de mama

Neuzinha agradeceu ao deputado pela iniciativa e aos integrantes da Comissão de Educação da Casa de Leis por reconhecerem a importância da denominação de Dom Juventino ao futuro campus da Unemat. “Eu tenho certeza que muitos deputados conheceam a atuação de Dom Juventino. Tenho certeza que será aprovado esse projeto. E Dom Juventino conduziu com muita eficiência os trabalhos. Só temos que agradecer ao deputado de eternizar o nome dele no campus da Unemat”, frisou a empresária.

 

Dom Juventino – Ele nasceu em 1946, em Santa Catarina, sendo que aos 13 anos ingressou no seminário Nossa Senhora de Fátima, na cidade de Tubarão (SC). Já em 1997, o padre foi nomeado como bispo diocesano de Rondonópolis pelo Papa João Paulo II, sendo que no ano seguinte tomou posse na Diocese do município. Em março deste ano, aos 74 anos, o bispo não resistiu as complicações da Covid-19.

Informações:

Samantha dos Anjos – Assessoria de Imprensa

(65) 99639 9715

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:

Política Estadual

Lúdio Cabral requer explicações do governador sobre dinheiro público gasto em festa no Salto das Nuvens, em Tangará da Serra

Publicados

em

Por


Foto: Marcos Lopes

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) requereu ao governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), e ao secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, César Miranda, informações e documentos sobre o apoio do governo estadual e o dinheiro público gasto na festa realizada na cachoeira Salto das Nuvens, em Tangará da Serra, na sexta-feira passada (15), no chamado “1º Encontro de Líderes e Empreendedores do Brasil”.

“Não haveria problema em realizar um seminário ou mesa-redonda para apresentar e debater o potencial de Mato Grosso para desenvolvimento econômico. Mas a informação que temos, de pessoas que estiveram no evento, é que o palestrante falou apenas 20 minutos, e o restante do tempo foi apenas festa. Uma festa milionária, um banquete regado a uísque, com show de cantores nacionais. A festa tem a marca do governo de Mato Grosso entre os apoiadores. O governo colocou dinheiro público nesse evento? Quanto de dinheiro público foi gasto com essa festa? São perguntas que fizemos no requerimento”, disse Lúdio.

Leia Também:  Projeto de lei institui a "hora do colinho" na saúde pública mato-grossense

No requerimento aprovado na sessão de quarta-feira (20), Lúdio Cabral busca ter acesso às planilhas detalhadas dos gastos feitos pelo governo estadual, além das cópias dos processos de contratos, convênios, ou termos assinados pelo governo, e detalhamento das ações do governo e do dinheiro público gasto para realizar o evento na cachoeira Salto das Nuvens.

“Mato Grosso tem 3,5 milhões de habitantes, dos quais 2 milhões estão inscritos no Cadastro Único da Assistência Social, em situação de insegurança alimentar, e 500 mil pessoas abaixo da linha de pobreza, passando fome. Não tem lógica o governo estadual gastar dinheiro com uma festa como essa. É um desrespeito com a população de Mato Grosso, que ainda sofre com a pandemia de covid-19. O estado com a pior gestão do país na pandemia, a maior taxa de mortalidade, quase 14 mil famílias em luto por conta da covid-19, e o governador fazendo uma festa milionária como essa?”, destacou Lúdio.

Fonte: ALMT

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA