Nacional

Brasil tem 449 mortes confirmadas por Coronavírus em 24 h

Total chega a 5.466 Mortos

Publicados

em

O Ministério da Saúde anunciou hoje que subiu para 5.466 o número de mortes pelo novo coronavírus no Brasil — 449 óbitos confirmados nas últimas 24 horas.

No total, são 78.162 casos oficiais no país, segundo os dados mais recentes do Ministério, com 6.276 novos diagnósticos de ontem para hoje. Segundo a pasta, ao menos 38.564 pacientes estão em acompanhamento e mais de 34.132 já se recuperaram. 1.452 óbitos seguem em investigação.

A

taxa de letalidade — que compara os casos totais pelos números de óbitos confirmados — no Brasil é de 7%, segundo a atualização do governo.

O anúncio de hoje, no entanto, não significa necessariamente que 449 pessoas morreram nas últimas 24 horas. Desde o início da pandemia, o Ministério da Saúde tem somado ao balanço diário mortes ocorridas dias atrás, mas com confirmação de covid-19 no último dia.

No total, as mortes em decorrência do coronavírus confirmadas em cada estado são:

Acre (17); Alagoas (41), Amapá (31); Amazonas (380); Bahia (96); Ceará (441); Distrito Federal (28); Espírito Santo (76); Goiás (27); Maranhão (166); Mato Grosso (11); Mato Grosso do Sul (9); Minas Gerais (80); Pará (137); Paraná (82); Paraíba (58); Pernambuco (538); Piauí (24); Rio Grande do Norte (53); Rio Grande do Sul (50); Rio de Janeiro (794); Rondônia (15); Roraima (6); Santa Catarina (44); São Paulo (2.247); Sergipe (12); Tocantins (3).

Leia Também:  Ministro Alexandre de Moraes suspende nomeação de Ramagem para a PF

 

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Ministro Barroso diz que quem vai bater o martelo sobre a realização das eleições municipais em 2020 serão os sanitaristas

Publicados

em

JB News

O ministro Luís Roberto Barroso do Supremo TribunalFederal (STF) assumiu a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira 25, e em seguida afirmou quem vai bater o martelo sobre a realização das eleições municipais em 2020 serão os sanitaristas.

Em entrevista ao jornal Correio Braziliense, Barroso diz que a decisão a respeito do tema deve ser tomada no final da primeira quinzena de junho, em conjunto com o Congresso, mas ele não cogita adiar as eleições em um primeiro momento, e nem coloca a prorrogação dos mandatos atuais em debate.

Segundo o ministro “A prorrogação de mandato é antidemocrática em si, porque os prefeitos e vereadores que lá estão, foram eleitos por um período de quatro anos. Faz parte do rito da democracia a realização de eleições periódicas e o eleitor ter a possibilidade de reconduzir ou não seus candidatos”, diz,.

Ressaltou  que uma eventual prorrogação de mandatos não encontra respaldo na Constituição, mas que poderia ser excepcionalmente autorizada por meio de emenda aprovada pelo Congresso Nacional.

Leia Também:  Baixa histórica da Selic favorece os negócios imobiliários

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA