Crime Ambiental

Bombeiros controlam incêndio e prendem em flagrante suspeito em Tangará da Serra

Publicados

em

 

 

Um homem de cerca de 40 foi detido após populares o identificaram para a equipe da 3ª CIBM
Assessoria

Com informações CBMMT

Incêndio próximo à zona urbana de Tangará da Serra – Foto por: RS Imagens

A | A
Nesta sexta-feira (11.09), por volta das 21h, o Corpo de Bombeiros Militar em Tangará da Serra (3ª CIBM) controlou os incêndios que atingiram cerca de 105 hectares de pastagens e área de reserva no entorno da cidade. Segundo informações de populares, o incêndio teve origem criminosa. Um homem de cerca de 40 foi detido após populares o identificaram para a equipe da 3ª CIBM.

Ele ateou fogo próximo à Prefeitura Municipal e no bairro Jardim Monte Carlo, colocando em risco casas, clubes e prédios da região e causando grandes preocupações por parte dos moradores, tendo em vista que os dois incêndios foram iniciados em pontos distantes cerca de 1.500 metros um do outro.

A equipe foi acionada para atender esta ocorrência por volta das 15h30. Ao todo foram empregados 16 militares, três viaturas da 3ª CIBM, sendo uma Auto Bomba Tanque, uma Auto Rápido, e Unidade de Resgate, além de dois caminhões pipa do Samae, três da Sinfra e um de terceiros, além de uma aeronave de propriedade particular, bem como dezenas de voluntários.

Leia Também:  Várzea Grande vacina idosos de 65 anos acima e atende mais de 5 mil pessoas em três dias

Policiais civis do Instituto Médico Legal (IML), que fica próximo ao local do incêndio, deram apoio na prisão do suspeito, já que, diante das circunstâncias, a equipe da 3ª CIBM teve que dar seguimento ao combate. Feito a solicitação de apoio dos policiais, eles acionaram a PM, que o conduziu até a delegacia para, após a guarnição de bombeiros controlar o incêndio, ser realizado o flagrante.

COMENTE ABAIXO:

Crime Ambiental

MPMT intensificará atuação na área criminal para coibir desmatamentos

Publicados

em

Por

JB News

Em reunião realizada nesta segunda-feira (08) para discutir estratégias de combate aos desmatamentos, o Ministério Público do Estado de Mato Grosso deliberou que intensificará a atuação na área criminal para garantir a punição de proprietários das áreas e todos os envolvidos em desmatamentos ilegais, do motorista ao dono do maquinário utilizado. Somente em 2020, o MPMT, por meio do projeto Satélites Alerta, abriu investigações relacionadas a 170 mil hectares desmatados irregularmente.

Durante reunião virtual, com a participação de membros, assistentes ministeriais e técnicos, o procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges Pereira enfatizou que a defesa do meio ambiente está entre as prioridades da instituição. Adiantou, inclusive, que iniciará tratativas com o governador do Estado para assegurar a presença de um delegado dentro do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) para investigações na área ambiental.

A defesa do meio ambiente é política institucional e está prevista no nosso planejamento. Priorizar essa área é uma necessidade de sobrevivência nossa e de nosso Estado”, afirmou o procurador-geral de Justiça.

O titular da Procuradoria Especializada na Defesa do Meio Ambiente e da Ordem Urbanística, Luiz Alberto Esteves Scaloppe, disse que levará ao Comitê Estratégico para o Combate ao Desmatamento Ilegal, à Exploração Florestal Ilegal e aos Incêndios Florestais (CEDIF-MT) proposta para adequação dos autos de infração. A sugestão é para que sejam incluídos os nomes e dados de todos os envolvidos no desmatamento para colheita dos elementos e provas necessários para responsabilização na área criminal.

O coordenador do Centro de Apoio da Execução Ambiental (Caex), promotor Marcelo Vachiano, informou que, para facilitar e agilizar a atuação dos promotores de Justiça em todo o estado, quase três mil minutas de Termos de Ajustamento de Conduta, Ações Civis Públicas e Portarias de instauração de inquéritos foram encaminhadas às Promotorias de Justiça. Todo o material foi produzido com base nos autos de infração emitidos pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e por meio de inteligência artificial.

SATÉLITES ALERTA: Coordenado pela Procuradoria Especializada de Defesa do Meio Ambiente e da Ordem Urbanística e pelo Centro de Apoio Operacional, o projeto consiste no desenvolvimento e implantação de uma tecnologia que permite o cruzamento de dados de áreas desmatadas e queimadas – monitoradas via satélite por sistemas do Inpe – com áreas lançadas no CAR (Cadastro Ambiental Rural) em todo o estado.

Para isso, foi desenvolvido um módulo a partir da plataforma portável de monitoramento, análise e alerta a extremos ambientais TerraMA², do Inpe. Os dados dessa plataforma são trazidos para a rede do Ministério Público e cruzados com outros dados para auxiliar na tomada de decisões. Tudo em conformidade com o Planejamento Estratégico 2020/2023 do MPMT, que tem entre seus objetivos estratégicos “elevar as ações de prevenção e de reparação de danos causados aos ecossistemas”.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Intervenções já dão resultado e volume de água na planície da Baía de Chacororé aumenta
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA