Nacional

Bolsonaro nomeia Kassio Nunes Marques para o cargo de ministro do STF

Publicados

em

JB News

Por Denise Niederauer

O presidente da República, Jair Bolsonaro, nomeou nesta quinta-feira (22.10), o desembargador federal TRF-1, Kassio Nunes Marques para o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), na vaga aberta com a aposentadoria do ministro Celso de Mello, no último dia 13.

Kassio Nunes Marques foi sabatinado nessa quarta-feira (21.10) na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e teve o nome aprovado pelo colegiado e pelo plenário.

A data da posse foi marcada pelo presidente do STF Luiz Fux, e será no próximo dia 5 de novembro. A cerimônia será de forma virtual.

Kassio Nunes Marques, 48 anos, atuava como desembargador do Tribunal Federal da 1ª Região (TRF1) desde 2011. Natural de Teresina (PI), Kassio Nunes Marques foi advogado por cerca de 15 anos e integrou os quadros da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Ele também foi juiz no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Piauí.
Veja a publicação D.O.U.

https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/decreto-de-22-de-outubro-de-2020-284442716

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Nova onda do boi gordo atropela margens dos frigoríficos
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Nacional

Empresa de MT é eleita melhor case em tecnologia

Prêmio Nacional

Publicados

em

 

Júri popular escolheu a tecnologia de rastreabilidade de algodão da ID-Cotton com 36% dos votos. Em segundo lugar, as empresas UpperBag e Unipac receberam cada uma 19%.

Empresa mato-grossense que atua na área de soluções tecnológicas voltadas para o agronegócio, ID-Cotton, foi a vencedora do prêmio nacional IoP Journal Award, 2020, entregue nesta quinta (12). Também disputavam outras empresas renomadas, como HP, Vale, UpperBag, Unipac e SIG Brasil.

Com o seu projeto de identificação por radiofrequência (RDIF) para rastreabilidade do algodão, no entanto, a ID-Cotton conquistou o primeiro lugar e se consagrou como Melhor Case do Ano. O diretor executivo da empresa, Flávio Tarasoff, afirmou que notícia foi recebida com muita alegria.

“Concorremos com grandes multinacionais. Já estávamos honrados em estar entre os 6 melhores cases e sermos consagrados por uma equipe de especialistas. Nos honra e nos dá muito orgulho e foco para seguirmos com o nosso trabalho levando não só o Estado de Mato Grosso, mas o Brasil a ser referência em tecnologia na rastreabilidade mundial do algodão”, disse.

Leia Também:  Novo Você

Empresa foi selecionada por júri composto pelos professores doutores Fernando Rangel de Sousa (UFSC), Glauco Fontgalland (UFCG), Jean Louis Silva Santos (IFS) e Marcelo Lubaszewski (UFRGS). Para ser vencedora, no entanto, foi submetida a júri popular e levou 36% dos votos. Em segundo lugar, as empresas UpperBag e Unipac receberam cada uma 19% dos votos.

“O Brasil não é apenas fornecedor de produtos agrícolas, mas também – e cada vez mais – de inteligência para o agronegócio mundial, graças a empresas como a ID-Cotton, vencedora como Melhor Case do Ano”, pontuou o fundador do IoP Journal, Edson Perin.

A tecnologia

Tecnologia de rastreabilidade do algodão desenvolvida pela ID-Cotton tem como principal objetivo combater as falhas na identificação e na marcação dos fardos colhidos. Ao eliminar as etiquetas manuais e planilhas manuscritas, é possível evitar a contaminação do beneficiamento e a redução da qualidade da pluma.

Coletores e sistemas desenvolvidos pela empresa são capazes de ler as etiquetas RFID dos rolinhos de algodão. Assim, informações são reconhecidas e sincronizadas por portal de gestão. Este, no mesmo sentido, faz a movimentação do produto da lavoura até a unidade de beneficiamento. Toda a origem do algodão é rastreada e certificada.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA