OPINIÃO

Apague as pendências!

Por Cynthia Lemos

Publicados

em

Meu convite para você hoje é: elimine as pendências da sua mesa.
Sabe aquelas coisas que você não resolve, pequenas decisões, pequenos conflitos que ficam ocupando sua mente gerando uma tonelada de problemas acumulados? Aquela sensação de: “Vou colapsar!” “Preciso de férias urgente!” “Chega! Não aguento mais.”
Esse lixo psíquico acumulado, que somente quando está fedendo você resolve olhar, encarando somente o resultado insatisfatório e frustrante, esquecendo-se de olhar para o que gera, para o processo, para as pequenas não decisões do dia a dia, gerada por aquelas suas famosas respostas as demandas que chegam:
“Ah beleza, depois eu vejo isso!”
“Amanhã eu resolvo!”
“Depois eu ligo”
“À tarde eu vou”
“Deixa para semana que …” e de repente: COLAPSOU.
Pare, pare agora de acumular pendências na sua mesa profissional. Resolva, organize-se.
O que você está fazendo com seu tempo?
Quais são suas prioridades?
Como você se organiza?
A vida é muito dura com quem vive de urgências. Porque O tempo não para… e a hora das resoluções sempre chega. E o grande problema é que quando elas chegam, chegam de uma vez.
“É muita cobrança!” É muita cobrança? Ou é você que não paga?
Quais são as listas de tarefas pendentes que você pode fazer hoje, de forma simples, seja no seu bloco de notas do celular, seja na sua agenda, no seu caderno de anotações? E siga à risca, e a cada etapa cumprida, tenha o prazer de riscar com toda sua energia a tarefa concluída.
Essa é uma forma excelente de você gerenciar a si mesmo, de não perder o foco.
Ah, e nessa lista nunca se esqueça de incluir as três principais ações preciosas que você não pode abrir mão, que precisam ser inseridas na sua rotina sem dó, encaradas com muita força de vontade. Aquelas três principais ações que serão os impulsionadores da concretização dos seus sonhos.
Te desejo um dia mega produtivo e de muitos resultados.
Um grande abraço!
*Cynthia Lemos é Psicóloga Empresarial e Coach na Grandy Desenvolvimento Humano. Especialista no Desenvolvimento de Líderes e Empresas tem a missão de: Expandir a Consciência e Gerar Ações Transformadoras – para pessoas e empresas que desejam evoluir em seus projetos e objetivos. Email: cynthia@grandy.com.br @GrandyDH*

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Big Data e a arrecadação dos municípios

OPINIÃO

Racionalização de medicamentos em tempo de pandemia

Publicados

em

Por

 

*Ednaldo Anthony Jesus e Silva

Desde que promulgada pelo Decreto Federal nº 10.212, de 30 de janeiro de 2020, o Regulamento Sanitário Internacional na qual versa a Declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional pela Organização Mundial de Saúde, criou-se uma busca incansável e inenarrável no meio científico em descobrir um medicamento efetivo no combate à doença COVID-19.

Dois anos de pandemia já se passaram e inúmeras incertezas pairam sobre qual seja a melhor condução terapêutica apropriada no manejo clínico do paciente com a Síndrome Aguda do Desconforto Respiratório. São tantas alternativas “off label”, aquelas em que o tratamento não está descrito em bula técnica do produto, que levantam uma série de questionamentos no tocante ao monitoramento do perfil farmacoterapêutico e farmacovigilância de possíveis eventos adversos a medicamentos.

Neste cenário pandêmico, na qual nos deparamos com um Sistema de Saúde colapsado aliado à escassez de abastecimento devido a alta demanda de consumo, o farmacêutico hospitalar e clínico tem papel importantíssimo junto a equipe multiprofissional no controle do uso racional e efetivo de medicamentos.

Ações constantes e periódicas de revisão de protocolos de sepse, pneumonia, infecção de trato urinário, analgesia e sedação são algumas das inúmeras tarefas que o colega farmacêutico poderá propor para cobertura digna e eficaz da assistência à saúde ao paciente do SUS.

Leia Também:  O cavalinho Xomano e o cuiabanês

Recentemente, um alerta catastrófico acendeu as chamas no cenário mundial e brasileiro, na qual começam a faltar itens fundamentais para recuperação a saúde do paciente COVID-19 positivo tais como antibióticos, anticoagulantes, drogas vasoativas, analgésicos, sedativos e bloqueadores neuromusculares e tantos outros, fazendo com que muitas sociedades científicas orientem da melhor maneira a aplicabilidade dos protocolos hospitalares institucionais. Como exemplo, temos o destaque da inclusão de anestésicos inalatórios (Óxido Nitroso, Desflurano, Isoflurano, Sevoflurano) pela Sociedade Brasileira de Anestesiologia devido a escassez dos agentes endovenosos pelo aumento do consumo para sedação em vigência da Covid-19, a Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA) recomenda aos profissionais que deem preferência aos anestésicos inalatórios e às técnicas anestésicas associadas a agentes adjuvantes durante a realização dos procedimentos anestésicos.

O trabalho deste importante profissional da saúde vai muito além dos holofotes televisivos e manchetes nos noticiários e mídias sociais, desde a pesquisa de uma nova molécula química nas Indústrias farmacêuticas de um medicamento, alguns ensaios clínicos de imunobiológicos até a resolução de problemas no tocante a substituição da farmacoterapia instituída pelo prescritor que muitas vezes não se encontra disponível nos estoques dos hospitais públicos e privados do país.

Leia Também:  Ser Mulher

“Sem medicamento não há saúde, sem farmacêutico não há medicamento e sem saúde não há esperança para a população. Consulte e valorize o farmacêutico, pois ele é um profissional indispensável à saúde pública brasileira e mundial”.  

*Ednaldo Anthony Jesus e Silva é farmacêutico Hospitalar e Clínico e conselheiro regional do CRF-MT. 

065 96392387 065 81100088

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA