CULTURA

Alunos do curso superior de tecnologia em teatro da Unemat realizaram a 1ª Mostra de Cenas online

Publicados

em

Com a pandemia causada pelo novo Coronavírus muitas coisas do cotidiano precisaram ser adaptadas à nova realidade, como as apresentações de final de semestre que são realizadas pelos alunos do Curso Superior de Teatro, da MT Escola de Teatro e Unemat. A Mostra de Cenas aconteceu em julho, no espaço digital da MT Escola, por meio da plataforma Zoom.

Diferentemente de outros anos, quando os alunos mostram os resultados de seus trabalhos no palco principal do Cine Teatro Cuiabá, em três peças, dessa vez o palco ficou por conta da tela do computador de cada aluno.

“A pandemia fez mudar a forma como consumimos cultura. Por causa do isolamento social, o lazer e o acesso às artes têm sido pelos conteúdos disponíveis nos meios eletrônicos e digitais, tudo de dentro da nossa própria casa. Isso nos deu a ideia de trabalharmos com os estudantes também dessa maneira”, esclarece o diretor artístico da MT Escola de Teatro, Flávio Ferreira.

No eixo da performatividade, tendo como material de pesquisa as obras “Elogio ao amor”, de Alain Badiou e Nicolas Truong e “A casa subjetiva”, de Ludmila Brandão, os núcleos montaram seus trabalhos. Baseando-se nisso, a Companhia Eletro Antropozoomórfica de Teatro convocou os invocados para uma inusitada performance a partir do conceito “O sonho de amar em peles de plástico com olhos de vidro: Calabouço”. Já o outro núcleo, criou o espetáculo Corpo-Casa a partir do conceito “o espaço como coprodutor de nossas subjetividades”, a peça joga com observações e percepções individuais para criação de experiências em arte.

Leia Também:  Bombeiros constroem refúgio para animais silvestres do Parque Encontro das Águas

Resultado da parceria entre Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel-MT), Unemat, Grupo Cena Onze de Teatro e Associação dos Artistas Amigos da Praça (Adaap), de São Paulo, a MT Escola se destaca por ser o único Curso Tecnológico Superior de Teatro de Mato Grosso, oferecendo aos alunos de graduação sete áreas de especialização: Atuação, Cenografia e Figurino, Direção, Dramaturgia, Iluminação, Sonoplastia e Produção Cultural.

Sobre a MT Escola

A MT Escola de Teatro é polo de formação criado e mantido através da parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura, o Cine Teatro Cuiabá, a Companhia Cena Onze, a Associação dos Artistas Amigos da Praça e a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat).

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CULTURA

Bonsucesso completará 72 anos de criação de Distrito nesta quarta-feira

Publicados

em

JB News

Nesta quarta-feira (23.09), o Distrito de Bonsucesso, em Várzea Grande – MT, completará 72 anos de história nesta quarta-feira.


Bonsucesso, é reconhecido por ser uma região turística dentro da cidade, e suas comidas típicas e guloseimas, assim como a rapadura produzida de forma ainda  artesanal,o moinho de cana, e o peixe que já é um prato típico da região. E as redes feitas a mão são os grandes destaques que tipificar a comunidade.

O Distrito de Bonsucesso foi registrado em  23 de Setembro de 1948, vai completar 72 anos, nesta quarta-feira 23, pela Lei estadual n. 126 de autoria do Deputado Licínio Monteiro da Silva.

Conforme o historiador Wilson Tavares, os últimos documentos de criação do distrito quanto a propriedade de terra, foram datados de 1866, os documentos já falavam de transmissão de herança de terras.
Assim, ele ressalta que as informações quanto a ocupação das terras da região, incluindo o distrito, em que criou a Sesmaria de Bonsucesso, as quais foram terra de Justino Antonio da Silva Claro, e Seo Fião, pois era o Tataravô de seu Fião, dono da maioria das terras naquele tempo, e aparecem também terras no nome de Dona Teonila e familia, foram datadas em 1823, que este espaço de tempo na historia são insignificantes.
“Diante de todo o levantamento histórico da região ficaram sendo marcados para alguns, a data reconhecida entre  15 ou 16, como alguns mais antigos relatam, nós afirmamos pela fala de inclusive de Seo Fião, ser 16 de Outubro de 1823, portanto 197 anos em 2020”, diz o historiador.

Leia Também:  Dias da árvore e limpeza têm distribuição de mudas, plantio e mutirão


Dona Eliane da Silva, presidente da Vila Nova de Bonsucesso, filha de uma das rendeiras mais antigas, inclusive falecida, disse a reportagem que a região carece de muito apoio dos poderes públicos para dar continuidade na fabricação de peças artesanais, como por exemplo, as redes tecidas a mão, pela falta de incentivo esta deixando de existir, e nos próximos anos pode ser que não aconteça mais. Segundo, dona Eliane ficou ainda pior nos últimos tempos, devido a um vendaval que ocorreu no último dia 14 de outubro de 2019, devastando toda a comunidade. “De lá pra cá, ninguém mais veio nos ajudar a reconstruir Bonsucesso, e amargamos no descaso.


De acordo com dona Eliane, além da falta de políticas públicas para o desenvolvimento do turismo, não tem atendimento de saúde na região, creches e espaço de lazer, e cursos profissionalisantes para a juventude que ainda resistem na comunidade.

Representatividade

A comunidade não conta com nenhum representante no legislativo municipal,  e nestas eleições de 2020, o jovem Ribeirinho Roberto Ribeiro da Rosa, em nome da população de Bonsucesso, resolveu ser uma opção para resgatar a tradição e a cultura da região.

Leia Também:  Campanha em prol da Apae Cuiabá será lançada na próxima terça-feira


Para Roberto, a idéia de ser um pré-candidato a vereador, veio por conta das inúmeras promessas nunca realizadas para o desenvolvimento do local pelo poder público, diante do quadro negativo em que se encontra, e é o único nome da comunidade para representar os debates necessários para toda região de Bonsucesso.

 

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA