POLITICA

Alcolumbre define nesta quarta-feira relator que decidirá a vida de Selma Arruda

Publicados

em

JB NEws

Da redação

Os próximos passos que definirá a vida da senadora Selma Arruda (PODEMOS) no Senado Federal começa a ser discutido nesta quarta-feira 12, quando o presidente Davi Alcolumbre (DEM-AP) designará um relator para o caso da senadora.

A decisão foi tomada após o presidente receber um parecer favorável da Advocacia-Geral da casa, como foi dito pelo próprio presidente.

A contar da escolha do relator, a parlamentar tem o prazo de 10 dias estipulados para apresentar suas defesa, conforme o código de ética do senado, o relator tem o prazo de 05 dias para proferir sua decisão.

A mesa será composta por sete senadores, que marcará uma reunião para apreciar o relatório, que imediatamente comunicará o plenário sobre as decisões tomadas pela mesa, que dará o veredito final.

O resultado será publicado no Diário Oficial da União.

O rito escolhido foi o mesmo aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e aplicado no caso da perda de mandato do senador João Capiberibe em 2005.

Nos bastidores,  os teóricos dizem ser improvável que a mesa do senado decida algo que venha na contramão da decisão do Tribunal Superior Eleitoral  (TSE) , que em dezembro de  2019 cassou o mandato de Selma Arruda  por caixa dois .

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Promotor de Justiça Célio Joubert Fúrio falece em São Paulo vítima da Covid-19 aos 56 anos

POLITICA

Fávaro assina requerimento por CPI ampla para apurar irregularidades na pandemia

Publicados

em

Por

JB News

Por Glaucio Nogueira

O senador Carlos Fávaro (PSD-MT) assinou o requerimento para a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que visa apurar irregularidades cometidas por gestores públicos no âmbito do estado de calamidade gerado pela pandemia da Covid-19. O pedido para a instalação da investigação foi apresentado pelo senador Eduardo Girão (Podemos-CE) e já conta com o número mínimo de assinaturas para ser instalada.

Ao apoiar a CPI, Fávaro destaca que embora entenda não ser este o melhor momento para a instalação de uma Comissão, ela precisa ser séria e técnica. “Sempre disse que o momento era para buscarmos salvar vidas. Uma vez que a CPI é inevitável neste momento, sobretudo por conta de uma decisão do ministro Luís Roberto Barroso, que ela apure então todas as suspeitas de improbidade nas três esferas, federal, estadual e municipal”.

A decisão citada por Fávaro foi proferida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) na última semana e determinava a instalação imediata de uma CPI para apurar eventuais omissões do Governo Federal. “Havia um grande risco de que esta CPI se tornasse um palanque, visando as eleições de 2022. Com a ampliação do escopo da apuração, vamos ter a oportunidade de um trabalho sério, técnico, pautado apenas e tão somente na busca por informações destes casos suspeitos”, pontua o senador mato-grossense.

Leia Também:  PP Mulher se movimenta em MT e prevê agenda para o 2º semestre

No requerimento apresentado, Girão ressalta que até dezembro do ano passado, ao menos 61 operações foram deflagradas pela Polícia Federal para apurar supostos crimes contra a administração pública cometidos com o intuito de desviar recursos públicos destinados ao combate à pandemia. Neste período, foram emitidos mais de mil mandados de busca e apreensão e 144 de prisão. No total, o valor dos contratos investigados é de quase R$ 2 bilhões.

Veja aqui :👇

CPI COVID ampla (1)

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA