Economia

Abrasel MT apresenta Festival Gastronômico Sabores e Aromas Cuiabá

Publicados

em

 

A Abrasel MT, Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Mato Grosso, apresenta o Festival Gastronômico Cuiabá Sabores & Aromas.

A comemoração, que acontece de 05 a 21 de abril, contará com uma série variada de cerca de 30 estabelecimentos participantes para a população celebrar o aniversário de Cuiabá (08 de abril).

A combinação de Sabores & Aromas Regionais com o voto popular premiará o estabelecimento mais votado com bonificações da Abrasel MT, além da prorrogação da permanência do prato ganhador no cardápio até o fim deste mês, bonificando também o público. Um evento como esse é capaz de oferecer um serviço confiável, de qualidade, com um preço acessível e deve alcançar aproximadamente 50.000 pessoas na capital.

O Festival estabelecerá valores para os pratos individuais a R$29,99, na modalidade pegue & leve ou consumo no local. O Guia Online de Bares & Restaurantes completo pode ser encontrado na bio do Instagram da Abrasel-MT (@Abraselmt).

“Como forma de impulsionar a economia local e o bem-estar dos cidadãos, com entretenimento seguro, seguindo todos os protocolos da Covid-19, criamos o Festival Gastronômico Cuiabá Sabores & Aromas. Neste momento de crise e reinvenção, em busca de novos meios de se obter receitas auxiliares, esperamos colaborar para que mais vendas sejam realizadas. Ao mesmo tempo, queremos homenagear nossa querida Cuiabá em seu aniversário”, comenta Lorenna Bezerra, Presidente da Abrasel Mato Grosso.

Leia Também:  Projeto de viveiros contribuirá para reestruturação de áreas degradadas no Pantanal de MT e geração de renda para comunidades 

Sobre a Abrasel

A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes é uma entidade de cunho associativo empresarial, que tem como missão representar e desenvolver o setor de alimentação fora do lar (AFL), facilitando o empreender e melhorando a qualidade de vida no país. Em Mato Grosso como legítima representante deste setor e voz de todos esses empresários, atuamos trabalhando firme junto às lideranças políticas, empresariais, comerciais, trade turístico, imprensa e opinião pública, a fim de fomentar o desenvolvimento e a melhoria continua do setor no Estado.

COMENTE ABAIXO:

Economia

Projeto de viveiros contribuirá para reestruturação de áreas degradadas no Pantanal de MT e geração de renda para comunidades 

Publicados

em

Por

 

Iniciativa do Sesc Pantanal e Wetlands International será desenvolvida em Poconé e Barão de Melgaço 

Com a produção de sementes nativas do Pantanal, o projeto “Rede de mudas e sementes pantaneiras” irá contribuir com a regeneração das matas ciliares e a reestruturação de áreas e ecossistemas degradados na porção norte do bioma. A inciativa do Polo Socioambiental Sesc Pantanal e da Wetlands Internacional conta com sete parceiros para o desenvolvimento dos viveiros comunitários em Poconé e Barão de Melgaço, em Mato Grosso, que terá início ainda este ano.

A implantação de dois viveiros permanentes permitirá produzir mudas de alta qualidade e sistema de manejo para coleta de sementes de espécies vegetais nativas. A primeira etapa do projeto, com duração de 10 meses, prevê a produção de 40 mil mudas por viveiro, em uma área de meio hectare, empregando mão-de-obra de famílias em cada comunidade, com dedicação de meio período por dia, todos os dias na semana.

De acordo com a superintendente do Sesc Pantanal, Christiane Caetano, a instituição consumirá cerca de 20 mil mudas por comunidade na primeira produção. “O restante será comercializado para fazendas, parques e outras áreas privadas e públicas”,

Leia Também:  Plenário do STF vai decidir sobre equiparação do pantanal e mata atlântica

explica.

A produção de mudas em viveiros será complementada com a criação da rede de sementes, que permitirá a inclusão de mais famílias no sistema de manejo para coleta de sementes. O ciclo de obtenção das sementes é menor, cerca de quatro meses, e permitirá geração de renda entre os ciclos de produção das mudas. A produção pretendida de sementes é de 2 toneladas ao ano. Para a coleta, serão cadastradas, além das unidades do Polo socioambiental Sesc Pantanal, áreas privadas do entorno dos viveiros e públicas de Poconé e Barão de Melgaço.

Em reunião realizada nesta quarta-feira (7 de abril), a superintendente do Sesc Pantanal apresentou o projeto ao prefeito de Poconé, Tatá Amaral, para o planejamento das atividades. “Ficamos satisfeitos por sermos lembrados pelo Sesc para mais uma parceria, que vai atender a Comunidade Capão do Angico, onde já tem um trabalho firmado com a cerâmica. Ou seja, só vai fortalecer a renda das famílias. Agradecemos pela parceria e desejamos que venham outras mais, para atendermos as demandas do município”, avalia o prefeito.

Leia Também:  Mato-grossense Martinello Sicredi 2021: 6ª rodada começa na manhã desta quarta-feira

Projeto desenvolvido pelas comunidades 

Os dois viveiros serão construídos por meio de parcerias, em áreas públicas cedidas pelas prefeituras na Comunidade Capão do Angico (Poconé) e em São Pedro de Joselândia (Barão de Melgaço), para uso comunitário das famílias participantes do projeto. Além dos viveiros, serão construídos poços para irrigação e depósito para armazenamento e beneficiamento das sementes.

“O projeto oportunizará às famílias das duas comunidades fonte de renda à curto prazo para prover seus meios de vida, por meio da comercialização da produção estimada. A médio e longo prazo, o projeto da rede de mudas e sementes pantaneiras poderá ser uma alternativa para a manutenção e sustentabilidade das pessoas que vivem nessas comunidades, evitando o êxodo para áreas urbanas”, ressalta a superintendente do Sesc Pantanal.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA