Economia

Amaggi assina contrato com gigante Argentina El Tajar e incorpora mais 62 mil hectares para produção

Publicados

em

A Amaggi, uma das maiores produtoras de grãos e fibra do país, de Mato Grosso, fica ainda maior

JB News
Redação

A Amaggi Amaggi Exportação e Importação LTDA, assinou o contrato com a também gigante Argentina Al Tajar (no Brasil), com isso a empresa vai incorporar mais de 62 mil hectares e elevar sua capacidade de produção em mais de 34%, nos próximos anos.

Os valores da transação ainda não foram revelados, e dependem da aprovação de alguns órgãos regulatórios.

Entre os ativos adquiridos, estão estruturas de armazenagem, e plantas de beneficiamento de algodão em fazendas próprias.

A Amaggi produziu cerca de 1,1 milhão de toneladas de grãos e fibras entre 2019 e 2020, cerca 564 mil toneladas de soja, e 480 mil toneladas de algodão, e mais de 20 mil toneladas de milho. Com foco na sustentabilidade, a empresa vai se posicionando e se fortalecendo no mercado mundial da soja certificada.

As informações são de que o grupo também pretende em 2022 iniciar uma nova fábrica de biodiesel em Lucas do Rio Verde-MT. Em 2019, a empresa comercializou mais de 17.9 milhões de toneladas de grãos e fibras em todo o mundo.

Leia Também:  Fórum Agro pede a AL novo estudo do Zoneamento Socioeconômico e Ecológico

Para o presidente da Amaggi, Judney Carvalho, “Esse é um passo muito importante, que vai certamente consolidar nossa posição como uma das maiores empresas produtoras do país”.

A empresa já detém 30% de comercialização no mercado mundial, e de olho no mercado da soja com certificação, o presidente Judney também destacou que “este tipo de produção é sustentável e auditadas com critérios socioambientais mais rigorosos que a legislação do setor”.

A El Tajar está no Brasil desde 2003, e já foi considerada uma das maiores produtoras de soja no país, em 2010 chegou a ocupar cerca de 260 mil hectares de plantio, mas por conta da legislação brasileira, a empresa tem limites para sua atuação.

As informações são de que a assinatura entre as duas gigantes do agro ocorreu nesta última sexta-feira 12.03.

COMENTE ABAIXO:

CULTURA

Câmara aprova projeto que amplia prazos da Lei Aldir Blanc

Publicados

em

Por

Proposta é do senador Wellington Fagundes e atende pedido do setor cultural

A Câmara dos Deputados aprovou nesta madrugada o projeto de Lei de autoria do senador Wellington Fagundes (PL-MT) que prorroga o auxílio emergencial a trabalhadores do setor da cultura em todo o Brasil – a chamada Lei Aldir Blanc. Com a aprovação, o Ministério do Turismo poderá disponibilizar R$ 774 milhões que ainda estão disponíveis para apoiar projetos culturais e garantir auxílio de R$ 600,00 para os trabalhadores do setor.

“O setor da cultura foi o primeiro a ser atingido pela pandemia e ainda enfrenta dificuldades já que os espaços estão fechados”, lembra o senador. Segundo ele, muitos dos projetos que captaram recursos da Lei Aldir Blanc não puderam ainda ser executados diante do recrudescimento da pandemia.

Aprovada em 2020, a Lei Aldir Blanc dispunha de R$ 3 bilhões distribuídos entre estados e municípios, mas nem todos os recursos foram utilizados. Em Mato Grosso, por exemplo, 19 municípios não utilizaram os recursos, que chegam a quase R$ 3 milhões.

Leia Também:  Projeto de viveiros contribuirá para reestruturação de áreas degradadas no Pantanal de MT e geração de renda para comunidades 

O atraso na aplicação dos recursos fez com que R$ 773,9 milhões dos R$ 3 bilhões não fossem executados, o que possibilitou a aprovação do projeto que prorroga os prazos para a aplicação dos recursos.

Com isso, esses recursos ganham prazo maior para serem usados até o fim de 2021.

Aprovado em março no Senado Federal – e agora na Câmara dos Deputados – o projeto segue para sanção do presidente Jair Bolsonaro.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA