CUIABÁ

Confraria do Piano emociona artistas e amantes da música clássica em Cuiabá

Publicados

em

Por Robson Fraga
JB News

Amor pela música clássica. Este foi o ponto de partida para a criação da Confraria do Piano, em Cuiabá. Uma reunião de pianistas que resolveram se juntar para tocar, compartilhar conhecimento e levar música de qualidade para todos os cantos da capital de Mato Grosso.
O projeto foi criado pelo advogado, professor doutor em direito internacional e pianista Valerio Mazzuoli, radicado na Capital Verde há 15 anos.

“Sabemos que em Cuiabá existem dezenas de pianistas, mas, na contramão disso, não sabemos quem são eles. A Confraria nasce também desta proposta de promover encontros entre os mais diversos artistas do piano para que possamos juntos difundir a música clássica: tocar, trocar experiências, aprender novas técnicas, uns com os outros, e levar a música clássica, de graça, para que todos tenham acesso a ela”, explicou Mazzuoli.

O pianista conta que a ideia de criação da Confraria surgiu durante um passeio a um shopping de Cuiabá.

“Estava andando pelos corredores quando ouvi o som do piano que saía de uma loja de instrumentos. Entrei e vi jovens e crianças ali, parados, ouvindo música clássica. Foi aí que pensei: vou criar uma Confraria para que todos tenham acesso a este tipo de cultura. Contei desta proposta para o dono da loja que comprou a ideia e decidiu promover o lançamento deste grande encontro. Pesquisamos quem eram os pianistas locais, vimos que haviam pessoas comuns ao nosso ciclo de amizades, e demos o pontapé inicial ao projeto”.

Leia Também:  Como ganhar meu marido de volta da outra mulher

A Confraria do Piano foi lançada nesta segunda-feira (25) num evento promovido pela Mega Som. Ao piano, a musicista Miriam Braga, pianista do conservatório de Tatuí (SP); artista brasileira de sucesso internacional. No repertório, Partita n° 1 em Si Bemol (BWV 825), de J. S. Bach; Sonata em Lá Bemol (Hob.XVI:46) de J. Haydn; Sonata Op. 06 em Ré Maior, de L.V. Beethoven; além das peças Nocturne Op. 27 n° 2 e Ballade n° 3 Op. 47, de F. Chopin.

“Este é um evento pioneiro em fazer com que a música clássica seja novamente uma voz comum para os pianistas da nova geração, bem como um chamariz para as pessoas que ainda não a conhecem. Ontem (24), estava testando o piano em que eu iria me apresentar (GB1 Yamaha) quando percebi que várias crianças queriam ouvir o que eu tocava. Daqui a pouco, vi que os adultos também queriam me ouvir. Estou grata por esta oportunidade, pela acolhida, e por compartilhar deste sublime encontro entre o piano, a música clássica e as pessoas desta linda e amável Cuiabá. Vida longa à Confraria do Piano!”, disse Mirian Braga.

O maestro Fabrício Carvalho, da orquestra da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), esteve presente e avalizou a iniciativa.

“Esta é uma iniciativa fantástica que agrega a possibilidade das pessoas assistirem a um bom concerto de piano e dá aos pianistas a oportunidade de se conhecerem, trocarem conhecimentos e falarem entre si de projetos de dinamização da música clássica. O piano está em Cuiabá deste o século XIX, nas casas de diversas famílias tradicionais, nas escolas de música, no teatro municipal e nas orquestras que tanto nos alegram. Também nos agrada, enquanto artistas da música, saber que nossa capital abriga uma empresa preocupada e nos oferecer instrumentos de excelente qualidade e em promover a música clássica. Parabéns a todos os envolvidos.”, expressou o maestro.

Leia Também:  CBF detalha tabelas das Séries B e D; Confira as estreias dos mato-grossenses

“Há trinta anos vivemos da música através da comercialização de instrumentos. Promover um evento como este nos enche de alegria e traz a certeza de que nossa família acertou na definição de seu nicho de mercado. Gostamos de pessoas, de eventos e, sobretudo, de música clássica. Queremos que a emoção que estamos sentindo agora possa perdurar e abraçar cada vez mais pessoas na nossa cidade, em especial nossos artistas mato-grossenses”, concluiu o empresário Lucas Gentil.

“Pra mim foi um momento ímpar de emoção e alegria. Ouvir música clássica ao vivo, de graça, e saber que esta Confraria fará apresentações populares em praças, teatros, escolas, órgãos públicos e privados… em locais onde haja alguém que simplesmente queria ouvir música, me falar feliz e consciente de que ainda existem neste mundo pessoas comprometidas com o bem-estar e a qualidade de vida da sociedade. A música clássica traz emoção, alegria e bem-estar para todos que a ouvem”, disse o publicitário Guilherme Pirajá, que assistiu ao evento.

A Confraria do Piano deve se reunir a cada dois meses. O próximo encontro será em janeiro do ano que vem em local a ser definido.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CUIABÁ

Sindicatos solicitam alteração no horário do comércio de rua 

Publicados

em

Os Sindicatos do Comércio Varejista de Calçados e Couros do Estado (Sincalco-MT), do Comércio de Tecidos, Confecções e Armarinhos (Sincotec-MT) e do Comércio de Ópticas (Sindóptica-MT) solicitaram ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, alteração do funcionamento do comércio de rua para o horário das 9h às 18h.

De acordo com o presidente do Sincalco-MT, Valdir Adão Macagnam Junior, os comerciantes vêm seguindo corretamente as determinações impostas pela administração municipal para evitar o contágio da Covid-19 e, diante da classificação de risco de Cuiabá como “moderado”, a alteração é importante para a economia do estado.

“Devido a esse novo cenário, que acabou comprovando que o comércio não é disseminador do vírus, a mudança torna-se essencial para não gerar mais prejuízos aos comerciantes da capital mato-grossense, já que muitos ainda não conseguiram sobreviver diante das constantes paralisações de suas atividades nos últimos cinco meses”, afirmou.

Na noite desta segunda-feira (21), o prefeito baixou um novo decreto que flexibiliza os horários do comércio local, entretanto, não menciona o comércio de rua. Segundo as regras atuais, definidas pelo município, o horário para o comércio de rua é das 9h às 17h.

Leia Também:  Potencialidades produtivas de Mato Grosso atraem interesse de chineses

Para o presidente do Sincotec-MT, Roberto Peron, a medida deverá, inclusive, evitar aglomerações, já que o consumidor terá mais uma hora para efetuar suas compras. “Em atendimento às solicitações dos nossos associados, requeremos ao prefeito para fazer essa alteração, que além de proporcionar maior tranquilidade ao consumidor, também facilitará o deslocamento e o horário de almoço dos funcionários do comércio”.

O presidente da Sindóptica-MT, Jodeon Sampaio Silva, ressalta, ainda, que o segmento comercial está classificado como essencial, não justificando a permanência do horário reduzido. “Esperamos que o gestor municipal atenda ao pedido dos comerciantes que atuam em Cuiabá e aprove esta medida que beneficiará tanto os empresários quanto os consumidores”, enfatizou.

Os três sindicatos, que são filiados à Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do estado (Fecomércio-MT), formalizaram, nesta semana, o pedido junto à Prefeitura Municipal, por meio de ofício.

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA