Tecnologia

470 mil grupos do WhatsApp estão expostos no Google

Vazamento em Massa!

Publicados

em

Por Everson Bicudo

TDC.

Um dos aplicativos mais baixados da internet, o WhatsApp é um verdadeiro sucesso no Brasil, ainda que ele constantemente seja alvo de roubo de contas em sites de compras. Hoje a notícia é sobre uma quebra enorme de privacidade nos grupos do aplicativo, que foram expostos no Google de forma que qualquer um possa entrar neles.

A questão é que a URL de desses grupos foi exposta na pesquisa do Google pelo WhatsApp. URL é o link para entrar nesses grupos via convite, o administrador dos grupos não tem poder para recusar os convites, apenas de remover o link. A falha foi descoberta por Jordan Wildon, jornalista da Deutsche Welle, que encontrou cerca de 470 mil links de grupos no Google.

E no Brasil? WhatsApp Pay recebe aprovação parcial para operar na Índia
E no Brasil? WhatsApp Pay recebe aprovação parcial para operar na Índia 1

Android 10 Fev Aprovação parcial permitirá o início das operações de forma limitada, com posterior ampliação caso as regras…

Escureceu mais! WhatsApp beta traz wallpapers que combinam com o tema escuro
Escureceu mais! WhatsApp beta traz wallpapers que combinam com o tema escuro 104

Android 06 Fev Escolher uma cor sólida escura faz com que mensageiro aplique o tema automaticamente.

Para descobrir essa falha, Jordan utilizou uma ferramenta de monitoramento de redes sociais chamada CrowdTangle no WhatsApp Web. Para encontrar os grupos no Google não é preciso ser especialista em tecnologia, basta buscar por “site:chat.whatsapp.com” e os resultados aparecem. Isso poderia ser impedido com uma configuração no site do WhatsApp Web, que depende exclusivamente da empresa do Facebook.

Leia Também:  Pecuária e Tecnologia uma parceria que dá certo

Só no Google Brasil, são mais de 450 mil resultados, embora alguns deles sejam duplicados por serem indexados repetidamente pela pesquisa. Se pensarmos bem, não é uma violação direta de dados, porém, um administrador espera que o link seja acessível para um certo número de pessoas, não publicamente como está ocorrendo agora.

Situação ficando cada vez pior

Como se a situação não fosse ruim o suficiente, os links de grupos estão aparecendo no feed do Google como se fossem notícias relevantes, o que os expõe até mesmo por quem não sabe dos vazamentos, segundo Matt Pratta, desenvolvedor do site Tecnoblog.

É importante dizer que o WhatsApp mostra o seguinte texto na seção de ajuda sobre os links de grupos:

“Lembre-se que uma pessoa pode encaminhá-lo para outras pessoas; nesse caso, essas outras pessoas poderão entrar no grupo sem precisar da aprovação do admin.”

Assim, fica claro que grupos do WhatsApp não são o lugar mais privado da internet, nem de longe. Mesmo assim o WhatsApp, que é do Facebook, poderia se configurar de várias formas, algumas simples, para que o site não não fosse indexado na pesquisa.

Leia Também:  Chapada dos Guimarães vai sediar a 1ª Edição do Sábado Zen
Grupos do WhatsApp e Telegram já estavam vulneráveis

Wilson ainda alerta que os grupos poderiam ser descobertos a qualquer momento mesmo sem o Google ter os indexado:

“Qualquer link de grupo compartilhado fora de mensagens privadas e seguras pode ser encontrado e ingressado com relativa facilidade.”

O processo é relativamente simples: basta entender como as URLs dos grupos funcionam, afinal, elas sempre têm o mesmo formato: “chat.whatsapp.com/XXXXX”, onde o XXXXX é uma sequência de letras e números, assim, é possível digitar isso no navegador e tentar adivinhar qual a combinação que leva ao convite do grupo desejado, que em algum momento vai ser a URL de um convite.

Grupos do Telegram também estão vulneráveis: 25 mil deles foram indexados pelo Google com o formato ” telegram.me/joinchat/XXXXX”.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tecnologia

TCE-MT cede sistema do Plenário Virtual para Corte de Contas de Minas Gerais

Publicados

em

<span>IMG_0180.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96621>Download</a></span>
<span>IMG_0177.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96620>Download</a></span>
<span>IMG_0178.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96618>Download</a></span>
<span>IMG_0186.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96617>Download</a></span>
<span>IMG_0184.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96616>Download</a></span>
<span>IMG_0183.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96615>Download</a></span>
<span>IMG_0189.jpg   <a class=download_foto href=/conteudo/download/id/96614>Download</a></span>

Após apresentação do sistema do Plenário Virtual, por meio de videoconferência realizada nesta semana, o Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT) cedeu o software à Corte de Contas de Minas Gerais (TCE-MG). A troca de experiências e a disponibilização de sistemas já implantados em Mato Grosso às Cortes de Contas de todo país, faz parte do compromisso assumido pelo presidente do TCE-MT, conselheiro Guilherme Antonio Maluf, junto com o secretário de Tecnologia da Informação, Mateus Dias Marçal.

Tramitação de processos

Clique para saber como funciona o Plenário Virtual

A videoconferência, mediada pela assistente técnica de Suporte e Segurança da Informação do TCE-MT, Giulla Cabriotti, foi realizada a pedido da Presidência e da Vice-presidência do TCE de Minas Gerais, que têm interesse no sistema da Corte de Contas mato-grossense, que obteve certificação da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). O selo de Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001 foi concedido a partir de maio de 2013.

Desde a implementação, em 2012, já foram julgados mais de três mil processos nas sessões plenárias virtuais. Foram 400 processos referentes à esfera dos municípios e 2,1 mil itens que dizem respeito à administração estadual. A principal finalidade é dar celeridade aos julgamentos, a fim de tornar a prestação do serviço público mais eficiente e econômica, já que a adoção do Plenário Virtual resulta em economia de papel e de custos com postagem.

Participaram da videoconferência, a assessora do chefe de gabinete da Presidência e o assessor da vice-presidência do TCE de Minas Gerais, Luiza Amâncio Ferreira Duarte e Paulo Henrique Figueiredo, respectivamente.

CONHEÇA OS SISTEMAS CERTIFICADOS DO TCE-MT

Auditoria Informatizada de Contas Anuais de Governo Gerenciamento
do Planejamento Estratégico (GPE)
SISTEMA
GEO-OBRAS
SISTEMA DE GERENCIAMENTO
DE PRAZOS
PLENÁRIO VIRTUAL DIÁRIO OFICIAL
DE CONTAS
SAIBA MAIS
SOBRE OS PROCESSO CERTIFICADOS
CLIQUE AQUI
Sistema de Gestão
de Energia – SGE
COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Fávaro se diz tranquilo, sem mágoas e preparado para assumir o senado federal
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA