Policial

27 homens tentam fuga da Cadeia Pública de Barra do Garças

Impedidos por Agentes

Publicados

em

Agentes impedem fuga de 27 homens da Cadeia Pública de Barra do Garças

Durante procedimento de inspeção na cela, os profissionais encontraram perfurações na parede que dá acesso à rua

Hérica Teixeira

Com informações Sesp-MT

– Foto por: Sistema Penitenciário/MT
A | A

Servidores da Cadeia Pública de Barra do Garças (a 516 km de Cuiabá) impediram a fuga de pelo menos 27 homens que cumprem pena na unidade. A ação aconteceu no início da manhã de segunda-feira (20.07), durante procedimento de inspeção na cela. Em uma das paredes foram encontradas marcas de perfuração na última barreira de acesso á rua, com tamanho de 60 cm de largura por 40 cm de altura.

Segundo o diretor da unidade, Maykon Brasil, o trabalho de vistoria nas celas é uma atividade contínua dentro da Cadeia. Na semana passada, por exemplo, durante inspeção foram apreendidos objetos pontiagudos que são utilizados para fazer buracos nas paredes.

“Os internos precisariam de 12 a 16 horas a mais para finalizar a abertura do buraco. Acredito que a fuga seria no período noturno, pois tem presença reduzida de pessoas nas ruas. Os presos desta cela são considerados de alta periculosidade e alguns já foram condenados a 30 anos de prisão”, destaca

Leia Também:  Motoristas são presos por embriaguez ao volante em rodovia

Ainda segundo Maykon, o material utilizado para furar as paredes são os ferros que compõem a estrutura da cama de concreto. “Eles vão furando até conseguir retirar o objeto que é pontiagudo”.

Os recuperandos vão responder processo disciplinar por violação das normas internas da unidade e da Lei de Execução Penal, podendo receber sanção disciplinar que vai desde advertência a suspensão e restrição de direitos.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Operação da polícia civil de SP cumpre em MT mandados contra Golpistas que agiam pela OLX

Publicados

em

JB News

Por Denise Niederauer

Quatro mandados de busca e apreensão são cumpridos nesta quinta-feira (22.09), em Cuiabá, em uma operação da Polícia Civil de São Paulo, com apoio da Polícia Civil de Mato Grosso, com objetivo de apurar a atuação de um grupo envolvido na aplicação de golpes cometidos por meio de site de compra e venda OLX, pela internet e em aplicativos de celulares.

A operação Camaleão, deflagrada pelo Setor Especializado no Combate à Corrupção, Organização Criminosa e Lavagem de Dinheiro (Seccold) da Seccional de Guaratinguetá (SP) constitui a fase externa de uma investigação de crimes de estelionato cometidos pelas plataformas OLX e WhatsApp.

O trabalho conta com apoio da Delegacia Especializada de Combate a Corrupção (Deccor), Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Contra a Administração Pública (Defaz), Gerência de Operações Especiais (GOE) e Delegacia de Diamantino.

Após instauração de inquérito policial e emprego de técnicas de investigação, foram colhidos indícios de autoria e materialidade que apontam a participação de ao menos quatro pessoas residentes em Cuiabá envolvidas no crime.

Leia Também:  Força Tática prende quatro e apreende mais de 100 tabletes de cocaína e 52 mil em dinheiro em Cuiabá

No golpe aplicado em um vendedor e um comprador de veículos anunciante na plataforma OLX, ambos residentes em Guaratinguetá, o estelionatário conseguiu obter R$ 26 mil da vítima que pretendia adquirir o veículo.

Com base nas investigações, a Seccold representou ao Juízo de Guaratinguetá pelo sequestro do valor da pessoa titular da conta bancária destino da vantagem ilícita, bem como pelo deferimento dos  quatro mandados de busca e apreensão domiciliar em quatro endereços localizados em Cuiabá com objetivo de apreender aparelhos celulares e outros elementos que possam contribuir com as investigações. Com informações da Polícia Judiciária Civil de Mato Grosso

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

CUIABÁ

VÁRZEA GRANDE

POLÍTICA

POLICIAL

MAIS LIDAS DA SEMANA